Header Ads

Lobo é atingido por nova flecha

O Paysandu entrou em campo em jogo válido pela quinta rodada da Série B, nesta terça-feira, para enfrentar o Brasil de Pelotas, no Estádio Bento Freitas. O alviazul tinha a difícil missão de vencer fora de seus domínios o time não havia nem empatado em casa. Entretanto, o Índio Xavante se mostrou um adversário acessível, possível de vencer, só quem não percebeu isso foi o próprio PSC.

Um primeiro tempo sem muitas oportunidades, assim pode se definir. Lance de perigo só aos onze minutos e em bola parada, quando Marlon cobrou uma falta e Emerson fez bela defesa. O Paysandu tentava responder às tentativas do Brasil, mas faltava qualidade na finalização em algumas oportunidades e em outras faltava até o último passe. Um lance muito discutido pelo time do Xavante foi um possível pênalti de Domingues em cima do atacante rubro-negro, entretanto, não foi marcado. Chance boa para o Papão só foi sair depois dos trinta, quando Fabinho Alves pegou uma bola de primeira e acabou acertando o defensor do adversário.

(Foto: Carlos Insaurriaga)
Na volta para o segundo tempo, o alviazul parecia ter “acordado” e, antes mesmo do cronometro marcar um minuto, Fabinho Alves recebeu um cruzamento e cabeceou no cantinho de Eduardo Martini, que se esticou todo para fazer a defesa. O Brasil conseguiu responder aos cinco, com Cirilo desviando de cabeça e Ramon finalizando a jogada para o gol, porém o bandeira assinalou o impedimento. Depois disso, o jogo voltou a esfriar, havia pouca criação e praticamente nenhum perigo. Até que, aos 29’, Nathan cruzou e a bola acabou batendo no braço de Pablo. O juiz marcou o pênalti e Diogo Oliveira converteu. O jogo acabou assim: Brasil de Pelotas 1-0 Paysandu.

Palavra da Colunista: O Paysandu não teve uma atuação desastrosa, se for parar para analisar, ele até jogou bem. Manteve a posse de bola e até criava, fazia jogadas de velocidade, mas faltava o principal: objetividade. Sem um centro-avante de verdade, o trabalho de buscar a vitória foi um pouco mais difícil. Wanderson perdeu oportunidades e em alguns momentos tentava fazer coisas que não tinha segurança para fazer, o que resultava em novos erros. O capitão, que tem feito atuações cada vez piores, fez nova atuação ruim, entretanto, Rodrigo Andrade (que o substituiu) também entrou mal. O que continua não justificando a titularidade de Augusto Recife. Novamente, em mais uma rodada, o Papão viu o adversário sair na frente no placar e isso precisa ser revertido logo. Outra coisa que tem complicado muito o clube é a quantidade de jogadores no departamento médico. Dos sete atacantes do elenco, apenas três estavam disponíveis.

Próximo jogo: Nesta sexta, o Paysandu enfrenta o Bahia, às 19h15, na Arena Fonte Nova.

Ficha Técnica:
Paysandu: Emerson; Roniery (Edson Ratinho), Fernando Lombardi, Domingues e Pablo; Ricardo Capanema, Augusto Recife (Rodrigo Andrade), Jhonnatan (Raphael Luz) e Rafael Costa; Fabinho Alves e Wanderson.
Brasil-RS: Eduardo Martini; Wender, Cirilo, Leandro Camilo e Marlon; Leandro Leite, Washington, Diogo Oliveira (Marcão) e Marcos Paraná (Nena); Felipe Garcia e Ramon (Nathan)
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE)
Cartões amarelos: (PSC) Domingues, Recife, Rodrigo Andrade e Emerson (GEB) Cirilo e Marcos Paraná.

Um comentário:

  1. Um ou dois torcedores do Papão da Curuzu cometeram um erro grave, para não dizer infantil. Associaram-se ao lobo azul e amarelo, eterno freguês do Xavante. Não sabem que os Segundinos além de azarados, fogem da peleia antes mesmo do jogo terminar. Não deu outra, recolheram as bandeiras e bateram em retirada com medo de tomarem mais gols. Dê uma olhada no link em anexo e veja do que estou falando. http://xavantemunhoso.blogspot.com.br/2014/05/co-irmao.html

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.