Header Ads

Gilvan: O caça-fantasma

Mais de 9.400 pessoas estiveram presentes no Estádio da Curuzu (Foto: @Paysandu)
Depois de quase 50 dias, o Paysandu voltou a jogar pela Copa do Brasil, contra o Operário-PR. Na primeira partida, o Fantasma venceu o Papão por 1x0 e precisava apenas de um empate para eliminar o único Paraense remanescente da competição.

O Paysandu não marcava gols há três jogos e precisava fazer pelo menos dois (caso não levasse nenhum), para passar de fase. Sabendo disso, Gilmar Dal Pozzo resolveu colocar três atacantes, visando maiores oportunidades de marcar. Entretanto, foi um zagueiro quem fez o alviazul voltar a vencer.

No primeiro tempo, o clube Paraense teve dificuldades de armar jogadas e de chegar ao ataque. O Operário-PR tentou se aproveitar desses problemas de criação, porém também não obtinha êxito em suas tentativas.

Depois da metade do primeiro tempo, o Papão começou a melhorar. Aos 30' Ruan recebeu passe de Betinho na entrada da área, avançou e chutou cruzado, mas Juninho fez a defesa. Passados seis minutos, outra grande chance foi desperdiçada pelos mandantes, Recife chutou da intermediária e a bola passou por cima do gol.

(Foto: @Paysandu)
A recompensa de tantas tentativas saiu aos 38' quando Rafael Costa cobrou falta, Lombardi desviou de cabeça e a bola sobrou para Gilvan finalizar e marcar o primeiro gol da partida. Quatro minutos depois, Gilvan apareceu de novo, após cruzamento de Rafael Costa, cabeceando para fazer o segundo e último gol no jogo.

No segundo tempo, o Paysandu resolveu segurar o resultado e atacou pouco, focando mais no contra-ataque. Resultando num Operário mais competitivo, já que 2x1 classificava o Fantasma.

Depois dos vinte, o jogo ficou ainda mais perigoso e o visitante quase diminuiu aos 26', quando Washington cobrou uma falta e a bola acabou passando por cima do gol. A resposta do Paysandu foi numa falta também, esta cobrada por Rafael Costa, onde Juninho espalmou e tirou o perigo. Aos 39' Washington recebeu de Peixoto e perdeu a maior chance do segundo tempo, chutando de chapa na trave.

Com o resultado, o Papão passou de fase na Copa do Brasil e terá o Juventude-RS como seu adversário.

Palavra da colunista: Se for para começar pelo pior setor, mais uma vez, devemos começar pelo ataque. Tirando Maílson, que teve uma grande atuação, lutando por todas as bolas, todos os outros três foram muito abaixo da média. Ruan, apesar de alguns lances, foi muito mal, errou vários passes e não conseguia dominar a bola. Já o Betinho desaparecia em jogadas importantes, deixando de se apresentar para um cruzamento ou um passe. Cearense jogou pouco, mas também não conseguiu mostrar nada.

Lombardi teve falhas grotescas no primeiro tempo, porém conseguiu melhorar e fez uma boa apresentação no segundo. Gilvan, incontestável, errou pouco, foi importante na defesa e um ótimo elemento surpresa no ataque. Emerson respondeu bem quando foi exigido. Roniery desapareceu em alguns momentos do jogo, não errou tanto, fez o feijão com arroz. Lucas teve boa atuação, como de costume.

Sobre o meio campo, podemos dizer que Rafael Costa é um dos jogadores mais azarados que temos, uma verdadeira incógnita, é participativo, porém não consegue obter êxito nas jogadas em que tenta marcar. Recife errou bastante, mas acertou quase que na mesma proporção. Celsinho entrou e errou quase tudo, dominava mal, dava passe errado, longe de ser Celsinho que víamos no começo do ano. Capanema foi bem e Rodrigo Andrade acabou errando divididas fáceis, prejudicando sua atuação.

Próximo confronto: Neste sábado (09), o Paysandu enfrentará o Londrina, numa partida válida pela Série B. O jogo será às 21h, no Estádio da Curuzu.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.