Header Ads

Paysandu sofre, mas volta com um ponto do Paraná

Na noite desta terça-feira (1), o Paysandu esteve no Estádio do Café para enfrentar o Londrina, que buscava entrar no G4. O time paraense, já sem ambições no campeonato, quase sem chances de rebaixamento, resolveu entrar com time misto, buscando testar atletas que não tiveram muitas chances e poupar outros já assegurados.

O jogo teve um início morno e chance real de gol só saiu aos 19', quando Raí chutou forte de longe e Marcelo Rangel fez a defesa em dois tempos. A resposta do Londrina foi imediata, trinta segundos após o lance, Anderson passou por João Lucas e bateu da meia lua, a bola acabou batendo na rede pelo lado de fora.

A grande chance do primeiro tempo foi aos 32', quando Filipe Soutto lançou, Pablo falhou e a bola sobrou para Itamar, que avançou e tocou para Zé Rafael, que acabou demorando muito para concluir a jogada e perdeu a bola. O time paranaense pressionava em busca do resultado, porém não conseguia êxito na finalização.

(Foto: Divulgação)
No segundo tempo, a pressão londrinense continuou. Aos 4', João Lucas cortou errado para frente da área e Zé Rafael soltou uma bomba de primeira, entretanto, Emerson atento ao lance, fez uma grande defesa. Logo depois, Zé Rafael apareceu novamente, desta vez alçando a bola na área para Itamar cabecear, o gol acabou sendo invalidado pelo assistente.

O alviazul teve sua primeira oportunidade na segunda etapa apenas aos 24', com João Lucas, que dividiu com Germano e bateu colocado de direita, mas a bola acabou passando por cima do gol de Marcelo Rangel. No final da partida, Jô (ex-Paysandu) chegou chutando, após uma tabela entre Lucas Ramon e Safira, e viu a chance da vitória Paranaense acabar no travessão.

Palavra da colunista: Dado Cavalcanti resolveu testar jogadores que não vinham sendo utilizados, já que o Paysandu não briga mais por nada e está praticamente seguro na Série B 2017. Como o mesmo fez questão de dizer, faltaram coisas. Uma delas foi a posse de bola, e a qualidade no passe, faltou também agressividade, o que se esperava de atletas que estão tentando manter seu contrato.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.