Header Ads

A culpa é do 9

Momento que decidiu o jogo. (Foto: Divulgação)
Na tarde deste domingo (12), o Paysandu entrou em campo para enfrentar o seu rival, no Mangueirão. O alviazul estava desde o dia 31/01 sem jogar, quando perdeu para o Independente, fora de casa. Já o Remo havia empatado com o São Raimundo no último domingo, dia 5.

O Paysandu foi quem começou levando perigo, logo aos 2’ a bola foi alçada na área do Remo e a defesa da equipe adversária não conseguiu cortar, ela acabou sobrando para William Simões, que chutou rasteiro perto da meta azulina.

A equipe bicolor jogava melhor, buscando espaços para chegar ao gol, tentando pressionar. Porém, o Remo começou a reagir, aos dezessete minutos, após longa troca de passes, Leo Rosa cruzou, Flamel desviou e Edgar (impedido) abriu o placar no Mangueirão. Minutos depois, Ayrton bateu falta direto e num bate e rebate na área, Sobralense acabou mandando a bola para o gol. Entretanto, o lance não valia mais nada, já que o juiz já tinha assinalado falta.

O Paysandu voltou a pressionar, com chances perigosas de empatar. A primeira foi aos 22’, quando Bergson chutou de fora da área com força e André Luís tirou com a ponta dos dedos. A segunda foi cinco minutos depois, quando Gilvan deu um chutão para frente, Cearense arrancou e tentou tocar por cima do goleiro azulino. Único lance aproveitável do 9 no jogo.

(Foto: Divulgação)
Quando o cronômetro marcava 37’, Rodrigo Andrade, com liberdade, conduziu a bola e arriscou de muito longe, a bola acabou desviando em Tsunami e foi direto para o gol, sem chances para o goleiro André Luís, empatando a partida e dando fim aos lances perigosos do primeiro tempo.

No segundo tempo, os times voltaram sem alterações. A primeira oportunidade foi do Papão, quando Bergson puxou o contra-ataque e mandou uma “bomba”, o goleiro azulino, atento, espalmou para escanteio. O rival respondeu aos 17’, quando Edgar cruzou rasteiro na área e Val Barreto e Jaquinha se atrapalharam na hora do desvio, apesar disso a bola ficou perto de entrar, sobrando para Emerson salvar em cima da linha.

Aos 23’, o lance que definiu a partida. Diogo Oliveira cruzou na área e Leo Rosa desviou com o braço, o juiz marcou o pênalti e Cearense insistiu para cobrar. O mesmo bateu muito mal, no meio do gol, de forma displicente e André Luís fez a defesa. No contra-ataque, Rodrigo Andrade precisou fazer uma falta em Edgar e levou seu segundo cartão, sendo expulso.

O Paysandu tentou continuar pressionando, mas logo o fato de ter um a menos pesou e o Remo iniciou sua reação que acabou resultando num gol. Aos 48’, Jaquinha ganhou de Wesley e tocou para Edgar, que dominou e bateu cruzado para fechar o placar. Logo depois, Leandro Carvalho tentou decidir sozinho e quase conseguiu, no último suspiro do Paysandu, ele chutou de fora da área, porém André Luís defendeu.

Próximo confronto: O Paysandu enfrenta o São Francisco, num jogo válido pela terceira rodada do Parazão, que não ocorreu antes por conta de logística. A partida será realizada na Curuzu, às 20h30.

Palavra da colunista: Buscar culpados após esta partida é incrivelmente fácil. Vamos começar por quem cometeu o primeiro erro, o técnico. Marcelo Chamusca pecou na escalação e depois, mesmo vendo que alguns atletas não estavam rendendo, ele demorou bastante para fazer as substituições.

Porém o maior culpado da derrota de hoje é o nosso camisa 9, Leandro Cearense, que fez um único lance aproveitável na partida. Com exceção deste, foi praticamente nulo. Não apareceu para finalizar jogadas, perdeu bolas fáceis e errou muitos passes, nunca conseguindo dar continuidade lances. Além de tudo isso, ele perdeu o pênalti, que insistiu que decidiu o jogo. Depois disso, tudo começou a desandar.

Daniel Sobralense e Jhonnatan foram os outros dois atletas que competiram com Cearense pelo prêmio de pior da partida. Ambos não conseguiam dominar e Jhonnatan simplesmente não marcava e quando tentava atacar, falhava. Sobralense, por sua vez, não acertava um passe e atrapalhava o ataque bicolor.

O melhor da partida foi Rodrigo Andrade, mesmo expulso, o Pelezinho teve uma atuação digna. Marcou por ele e por outros, atacou pelos atacantes e foi premiado com um belo gol. Foi expulso porque precisou matar o contra-ataque. Outros que merecem uma menção honrosa: Leandro Carvalho e Pablo. O primeiro entrou e deu um gás na partida, teve mais oportunidades que os outros atacantes, mesmo jogando menos tempo. Já o segundo, tirou bolas perigosas e ganhou a maioria dos embates com os atacantes rivais, apesar de um passe errado que quase beneficiou o Remo. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.