Header Ads

Decisão só domingo que vem: RexPa termina empatado e sem vantagens

Na tarde deste domingo, o Paysandu enfrentou o Remo no primeiro jogo da final do Campeonato Paraense. A torcida remista estava confiante pelos resultados dos RexPas já jogados este ano, a do Paysandu tinha grandes esperanças, muito por conta do jogo contra o Santos, onde o time teve uma grande atuação.

O primeiro tempo começou equilibrado, os dois times pressionavam em busca do gol, mas nenhum conseguia chegar bem no ataque. Ou a zaga chegava antes, ou os chutes acabavam indo muito longe do gol. Com o tempo, o Remo passou a ter mais oportunidades, faltando apenas calibrar o chute. Aos 25', o primeiro grande lance do jogo saiu. Gabriel Lima cruzou rasteiro na área, Emerson tirou mal e a bola sobrou para Jayme que, sem marcação, chutou para o gol, porém teve o chute defendido pelo goleiro alviazul. No lance seguinte, o Paysandu sofreu falta perto da área e Diogo Oliveira cobrou na medida para Bergson cabecear e abrir o placar.

(Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
O gol abalou o clube azulino, que passou a ter menos oportunidades no jogo. O Papão aproveitou para pressionar e por pouco não ampliou o placar. Aos 30' Diogo Oliveira tentou encontrar Alfredo, o passe acabou sendo longo e foi para fora. Logo depois, Bergson avançou pelo meio e arriscou com a perna esquerda de longe, André Luís se esticou e conseguiu fazer a defesa. No último lance da etapa, Leandro Carvalho puxou contra-ataque, ganhou de Jefferson e entrou na área, mas acabou chutando em cima de André Luís, num lance muito similar ao seu contra o Santos, na quarta-feira.

No segundo tempo, Josué tirou Lucas Victor e colocou João Victor no time azulino, mas a principal mudança foi a postura do time para o segundo tempo, que avançou para cima do Paysandu. Aos 2' quase o empate saiu, João Victor pegou sobra de bola e chutou com força, entretanto, Emerson fez grande defesa. A pressão do adversário era forte e logo se concretizou em gol. Com 5 minutos de jogo, Edgar ganhou da marcação e cruzou na área, Emerson saiu muito mal e Igor João apareceu, totalmente livre, para cabecear e empatar a partida. O comando desta etapa era mesmo do time da Antônio Baena, tanto é que a primeira oportunidade do Lobo foi aos 11' e nem levou muito perigo. Saiu dos pés de Diogo Oliveira, que invadiu a área e tentou dar passe, podendo tentar a finalização.

Aos 20', Zé Antônio pegou sobra e foi de primeira na bola, na entrada da área, um chutaço que passou raspando na trave. O time bicolor parecia estar totalmente desmotivado na partida, até que aos 27' Bergson cobrou uma falta de longe com bastante força e quase botou o Paysandu na frente novamente, porém André Luís conseguiu mandar para escanteio. Nesta cobrança, Ayrton alçou na área, Diogo dominou com o braço e chutou para marcar o segundo, que acabou sendo anulado pelo árbitro. Nos momentos finais da partida, o Remo quase virou com Jayme, quando ele tentou um chute de longe, que foi defendido por Emerson.

Próximo confronto: O Papão jogará ainda esta essa semana, outra final de Campeonato, contra o Luverdense. O jogo desta quinta-feira (04) é válido pelo primeiro jogo da final da Copa Verde e acontece na Arena Pantanal, às 20h30.

Palavra da colunista: O Paysandu parecia ter tirado o dia para perder oportunidades. Perdeu a oportunidade de ampliar duas vezes no primeiro tempo, que acabaram custando caro. Perdeu a oportunidade de marcar Igor João, que estava acompanhado apenas de um companheiro do time na hora do seu gol. Perdeu também a oportunidade de se doar em campo. O segundo tempo do time foi, de longe, um dos mais "sonolentos" do ano.

O alviazul teve um primeiro tempo "bem mais ou menos". Antes do gol vinha sendo dominado pelo time remista. Do lance do gol até o final do primeiro tempo, o clube viveu seu melhor momento do jogo, atacou melhor, teve uma postura diferente e deixou o rival acuado na defesa. Era este o momento de tentar "matar o jogo", o que acabou não acontecendo.

O segundo tempo foi marcado pelas oportunidades perdidas do time azulino, pelas defesas de Emerson e pelo bom posicionamento de Perema. O momento do gol do adversário fica marcado como o lance de falhas da defesa bicolor. Gilvan pulou sozinho e dois metros longe dele estavam dois jogadores do rival, dois jogadores livres de marcação. Além disso, houve falha também de Emerson no gol de Igor João.

Neste domingo, sem dúvida alguma, o "melhor da partida" é do Perema, que esteve lúcido a partida inteira, sempre bem pocisionado, ganhando a bola no jogo aéreo e no chão, além de demonstrar uma "frieza" importante.

Já nos destaques negativos da partida, temos uma lista grande, vamos começar por Marcelo Chamusca. Mais uma vez o técnico não soube mexer e continua insistindo num 4-3-3, mesmo quando o atacante central fica invisível. E é justamente este o segundo destaque negativo do RexPa, Alfredo está cada vez mais desaparecido em campo. O problema de Leandro Carvalho está longe de ser sumiço, o que ele precisa é treinar finalização e acertar esse pé. Por último cito Ayrton, esse fez dois bons jogos desde que chegou aqui.

E como perguntar não ofende, pergunto: será que no jogo contra o Santos vimos uma atuação daquelas porque o jogo era grande e a partida estava sendo televisionada para todo país? 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.