Header Ads

Hat-trick de Bergson leva Lobo a sua segunda final

Na noite deste sábado (22), foi disputado o segundo jogo da semifinal do Campeonato Paraense entre o Lobo e o Pantera. Antes de iniciar a partida, o Paysandu homenageou alguns dos atletas que enfrentaram o Boca Juniors naquele dia 24/04/2003, quando “o impossível aconteceu”. Esse foi só o começo de um misto de emoções que o torcedor alviazul passaria durante a partida.

Logo que o jogo começou, o Paysandu desperdiçou a posse, Hayner errou e o São Raimundo aproveitou com Alexandre que, sozinho na área, mandou a bola na trave. Mas o time da casa soube responder a altura, aos 13’ Hayner cruzou, a bola passou por todo mundo e chegou em Bergson, que dominou e mandou de esquerda para o fundo da rede. O empate quase saiu no lance seguinte, quando Leandrinho cruzou, Emerson saiu errado e a bola sobrou para Wanderlan chutar, porém Perema salvou de cabeça em cima da linha.
 
(Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
O Paysandu tentava criar jogadas, entretanto pecava na conclusão delas. Por isso, a chance mais perigosa apareceu aos 26’, quando Ayrton mandou uma “bomba”, obrigando Roger Kath fazer boa defesa. O alvinegro tentou jogadas com Erick Foca e Alexandre, mas nenhuma delas surtiu efeito.

Na segunda etapa, o alviazul veio igual e o São Raimundo resolveu fazer mudanças, Wendell entrou no lugar de Lucas Barboza. E com apenas 6’, o Pantera chegou ao empate, Tiago deu o passe em profundidade e a zaga bicolor parou pedindo impedimento e Alexandre seguiu sozinho, ficou cara a cara com Emerson e bateu por debaixo do goleiro para empatar.

O time da capital tentou de tudo para voltar a ficar na frente, porém falhou em todas, com Leandro Carvalho, com Diogo, de todas as maneiras. Parecia que nada estava dando certo, até que Bergson foi derrubado na área e sofreu o pênalti. Aos 21’, o mesmo cobrou e converteu. Quatro minutos depois, após grande jogada de Hayner, Leandrinho chegou forte no jogador e o juiz assinalou nova penalidade. Na cobrança, Bergson bateu muito mal, Roger Kath fez a defesa, mas no rebote, o atacante marcou. O quarto gol quase saiu num contra-ataque, aos 40’ quando Leandro driblou o goleiro, entretanto acabou desperdiçando, mandando para fora.

Próximo confronto: O Paysandu enfrenta o Santos, nesta quarta-feira (26), na Vila Belmiro, às 19h30, pelas oitavas da Copa do Brasil.

Palavra da colunista: Chegamos a nossa segunda final de dois campeonatos disputados e apesar das comemorações, ainda há muito que mudar. Os resultados estão vindo, mas as atuações em campo pouco convencem. Isso leva o torcedor a pensar como será a participação do time em campeonatos mais fortes, como a Copa do Brasil e a Série B. O primeiro grande jogo do Paysandu neste ano é nesta quarta, com o primeiro adversário realmente difícil e é essa partida que poderá dar uma dimensão de como realmente estamos.

Falando do jogo de hoje, o prêmio de melhor e pior em campo poderia ser dado ao mesmo jogador. Bergson teve uma atuação abaixo do que se esperava, perdendo muitas bolas e tomando algumas decisões precipitadas, porém fez um hat-trick, coisa que não acontecia no Paysandu desde 2014 (quando Lima marcou quatro gols contra o Princesa de Solimões). Perema teve uma boa atuação, não inventou e ainda salvou uma bola em cima da linha. Leandro Carvalho teve um desempenho digno do antigo Leandro, aquele que estamos torcendo para não vermos nunca mais, tomou diversas decisões erradas e perdeu oportunidades que não poderia perder.

Hoje vimos um Paysandu que teve momentos ruins, mas que conseguiu se sair melhor do que na primeira semifinal contra o São Raimundo. Agora o torcedor espera que junto dos números bons possam vir também às boas atuações, pois só assim podemos ter uma visualização melhor do futuro do time nos campeonatos que temos pela frente.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.