Header Ads

O Pará tem dono: Paysandu é 47x Campeão Paraense

No mosaico produzido pela torcida bicolor, Gino carrega a taça de Campeão dos Campeões, título conquistado em 2002. (Foto: Fernando Torres/Paysandu)
Na tarde deste domingo (07), o Paysandu enfrentou o Remo, no jogo válido pela grande final do Parazão 2017. No primeiro RexPa da final os times empataram em 1x1 e, por isso, qualquer empate levaria a decisão do título aos pênaltis. O que por muito pouco não aconteceu.

Apesar do resultado desfavorável recentemente (pela Copa Verde), o torcedor do Papão foi ao jogo confiante. A atmosfera do estádio deixava isso extremamente claro. Mais uma vez, o torcedor acreditou na camisa, acreditou que ela poderia ser capaz de passar por cima das adversidades e trazer o Bicampeonato Paraense.

No primeiro tempo, o Paysandu começou dominando a partida, porém, apesar de chegar mais e manter mais a posse, não foi de pés bicolores que saiu o primeiro lance de real perigo. Aos 13', Edgar fez jogada individual, ganhou de Ayrton e fez o cruzou para a área, Perema apareceu para cortar, mas a bola passou bem perto do travessão. A resposta saiu sete minutos depois, quando Hayner pegou sobra de bola e tentou encobrir André Luís, entretanto, a bola só bateu na rede pelo lado de fora.

A pressão alviazul pelo gol só aumentava, este que quase saiu aos 27', quando André Luís fez grande defesa após Bergson desviar de cabeça para Alfredo cabecear em direção à meta. Três minutos depois, não teve goleiro, não teve zagueiro, ninguém conseguiu parar o contra-ataque fulminante do time alviazul. Rodrigo Andrade conseguiu sair de dois marcadores, passou para Diogo Oliveira, que deixou para Bergson dominar e marcar o primeiro gol da partida. Os times ainda tentaram fazer algo na primeira etapa, todavia ela acabou terminando com vitória parcial do Lobo.

No segundo tempo, o primeiro lance de perigo foi bicolor. Logo no primeiro minuto de jogo, Alfredo recebeu na área e finalizou, André Luís acabou defendendo. Nove minutos depois, outra oportunidade, desta vez foi com Ayrton, que bateu uma bela falta, mas teve o chute defendido por André Luís. Depois desse lance, o Paysandu "relaxou" e o Remo passou a pressionar. Quase empatou aos 14', quando Fininho bateu falta venenosa, que acabou parando no travessão. No minuto seguinte, o empate chegou. João Victor apareceu livre na área e enfiou para Rodrigo Miranda empurrar e empatar a partida.

Logo a partida começou a ficar dramática. O empate levava o jogo aos pênaltis e qualquer gol daria título a alguém. O Paysandu acabou perdendo uma grande chance aos 28', quando André Luís saiu mal do gol e Cearense chutou bem fraco, a bola acabou sendo tirada por Zé Antônio. Daí em diante o nervosismo tomou conta de todos os torcedores ali presentes, chutões de fora da área e tentativas frustradas de levar perigo ao gol levavam a crer que a partida seria mesmo decidida nos pênaltis. Até que aos 45', a estrela de Bergson brilhou. Ele recebeu na entrada da área e chutou com força, sem chance para o goleiro remista. Fazendo o Paysandu Bicampeão Paraense!

(Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
Próximo confronto: A próxima partida do Papão é nesta quarta-feira (10), contra o Santos, pela Copa do Brasil. A partida ocorre às 21h45, no Mangueirão.

Palavra da colunista: Essa camisa pesa. Passa por cima de incompetência, de falta de qualidade, de erros, de tudo. Ela pesa na hora certa de pesar. O Paysandu ganhou quando precisava ganhar. Não venceu o primeiro RexPa do ano, tampouco conseguiu sair do empate no segundo e no terceiro, mas quando valeu título, fez o que se esperava dele: Venceu e foi campeão.

A partida deste domingo foi um pouco mais dramática do que esperávamos e precisávamos. Após um primeiro tempo onde o clube alviazul foi altamente superior, esperávamos um segundo tempo parecido. Mas não foi o que aconteceu. O time cansou, recuou, pegou gol com falha de todo sistema defensivo e só matou o jogo aos 45 minutos do segundo tempo. Está mais do que na hora do clube oferecer desconto para os torcedores num plano de saúde.

Neste jogo, algumas falhas individuais acabaram ficando bem claras. Leandro Carvalho fez, de longe, o seu pior jogo com a camisa bicolor esse ano. Wesley e Hayner foram campeões da Copa Erro de Passe. E os dois centroavantes usaram a capa de invisibilidade do Harry Potter sumiram em campo. Ayrton fez um jogo melhor que os últimos, mas ainda precisa melhorar muito.

Os melhores da partida? Bergson, Rodrigo Andrade e, claro, Perema. O atacante bicolor pode até cometer erros, sumir na partida, porém é impressionante o poder de decisão do nosso ponta, dois gols importantíssimos e que nos deram o título. O Pelézinho voltou a ser aquele que estávamos acostumados. E Perema foi essencial na defesa.

Algumas coisas ainda precisam melhorar, o time precisa evoluir muito e é de extrema importância que o Paysandu pare de ser um time de um tempo só. Mas hoje é dia de comemorar. O maior da Amazônia mostrou que o Pará tem dono, pela 47° vez.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.