Header Ads

Cada vez mais perto do Z4

Nesta terça-feira (04), o Paysandu enfrentou o Londrina, detentor da 5ª melhor campanha fora de casa, na Curuzu. A partida tinha todos os componentes de um jogo difícil para o clube paraense e logo que rolou a bola, isto se concretizou.

Com um minuto de jogo, já havia falta para a equipe paranaense, esta foi cobrada por Gustavo Geladeira de longe e passou por cima do gol do Papão. Só aos 17’ o time da casa conseguiu levar perigo, quando Ayrton cobrou escanteio e Renato Augusto, sozinho, perdeu uma grande oportunidade, mandando para fora. Os lances perigosos, que só vinham de bolas paradas, foram se modificando. Aos 31’, Jonatas Belusso arriscou e chutou no canto esquerdo de Emerson e o goleiro fez a defesa. A resposta do Lobo saiu quatro minutos depois, quando Diogo Oliveira teve o chute defendido por César.

Até que num “apagão” total da defesa do Paysandu, saiu o primeiro gol da partida. Com 41’ de jogo, Welisson puxou contra-ataque e tocou para Jonatas Belusso que, totalmente impedido e livre de qualquer marcação, teve tempo de dominar e chutar, abrindo o placar na Curuzu. Quatro minutos depois, quase o Tubarão ampliou em novo contra-ataque. Emerson saiu muito mal do gol e a bola acabou em Celsinho, que chutou por cima do gol.
(Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu) 
No segundo tempo, o meia de criação (que não cria), Diogo Oliveira, foi substituído pelo atacante Magno, que fazia sua estreia no clube paraense. Isso acabou fazendo com que a obrigação de criar as jogadas fosse dos volantes, ou dos pontas. Mas o time conseguiu voltar melhor e arriscar mais. Aos 4’ Ayrton cruzou na área e Rodrigo Andrade desviou para César fazer a defesa. Dois minutos depois, novo ataque, Marcão pegou sobra e chutou, entretanto, novamente, César estava atento e defendeu.

Depois de muita insistência o empate finalmente saiu. Aos 11’, Marcão sofreu falta e Ayrton foi para a cobrança, o lateral acertou um chutaço no ângulo e empatou a partida, marcando seu primeiro gol de falta pelo time. O gol de empate parecia que daria um ânimo no clube mandante, porém acabou fazendo com que o adversário acordasse.

O Londrina parecia mais perto do segundo, que o Paysandu da virada. E o clube paranaense foi atrás disso. Aos 23’, Belusso invadiu a área e chutou forte, entretanto, Emerson conseguiu fazer a defesa. Dois minutos depois, Perema foi expulso, depois de levar seu segundo amarelo em uma falta sem bola. O que parecia ruim poderia ficar pior e ficou. Aos 33’, após falta – desnecessária – de Lombardi, Jumar cobrou falta no lado direito, a barreira se abriu e Emerson contribuiu para o segundo gol londrinense.

A reação que o torcedor esperava parecia estar vindo, quando Gustando Geladeira, na área, tocou com a mão na bola e o juiz assinalou pênalti, expulsando o jogador. Bergson cobrou e converteu. Porém, nada estava dando certo para o Lobo e dois atletas (Recife e Magno) acabaram invadindo a área no momento da conversão, fazendo o juiz, depois de muita insistência do Londrina, voltar o penâlti. Em nova cobrança, Bergson acertou o chute na trave, desperdiçando o empate.

Próximo jogo: Paysandu volta aos gramados na próxima terça-feira, às 19h15, contra o Criciúma, no Heriberto Hülse.

Palavra da Colunista: Em jogos como este, é difícil saber por onde começar as críticas. Mas de certo, o erro começou na escalação. Não há cabimento na titularidade de Augusto Recife e de Fernando Lombardi, os dois atletas que deveriam ser os “experientes” do grupo e usar a experiência a seu favor, se mostram os mais “juvenis” do elenco. Ambos abusando das faltas desnecessárias, comuns em jogadores sem experiência. Como se não bastasse tudo isso, o primeiro ainda consegue fazer com que Bergson tenha que faer uma nova cobrança.

E falando em Bergson, a última vez que este jogou como o verdadeiro artilheiro do time, nem está mais na memória do torcedor bicolor. A cada jogo o vemos mais sumido e perdido em campo, aparecendo somente nos momentos em que quer resolver tudo sozinho e sem nenhum “jeito” com a bola. Perdeu gol, foi desarmado diversas vezes com a bola encostada no pé e ainda perdeu o pênalti.


A parte delicada ainda é falar dos jogadores seguintes, apesar da super proteção da torcida, é necessário analisar que nem Emerson e nem Perema estão livre de críticas e há algum tempo já andam falhando. O zagueiro, que começou a Série B como um dos melhores zagueiros do elenco, vem decaindo no decorrer dos jogos. Nesta terça, ele não só continuou a tentar os lançamentos que ele não sabe dar, como, tendo um amarelo, resolveu se jogar em cima do atleta do Londrina, comentendo uma falta sem a bola. Já Emerson, que desde o primeiro jogo da final, passou a dar sintomas de que não é mais o mesmo, falhou demais. Não estava bem posicionado no primeiro gol, saiu mal demais da meta para tentar impedir um contra-ataque do Tubarão no lance seguinte e ainda ajudou no segundo gol do adversário.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.