Header Ads

O dia que o Lobo parou o Trem de Ferro

(Foto: Fernando Torres/ASCOM Paysandu)
Diante de uma Curuzu lotada, Paysandu e Parauapebas fecharam a primeira rodada do Campeonato Paraense. Apesar da expectativa do torcedor de ver seu time estrear bem, ele estava ciente que a curta pré-temporada poderia influenciar na partida, já que o clube foi o último a iniciar sua preparação.


Na partida desta quarta-feira, a equipe bicolor não pode contar com cinco atletas. Pedro Carmona (meia), Victor Lindenberg (lateral-esquerdo), Cassiano (atacante) e Ylmar Filigrana (atacante) ainda não estão no BID e por isso não estavam a disposição do treinador. Enquanto Rodrigo Andrade foi afastado por postura inadequada durante a pré-temporada e por questões físicas, e acabou ficando fora da relação.

O Paysandu começou a partida num 4-3-3, com Fernando Timbó improvisado na lateral-esquerda e com o meio campo formado por dois volantes de contenção; Carandina e R. Augusto, e um meia armador; Fábio Matos. O sistema adotado por Marquinhos Santos acabou fazendo de Fábio o único do meio responsável pela criação de jogadas. Juntando isso e falta de entrosamento do time, vimos uma demora para criação de jogas de perigo, já que havia uma clara dificuldade em ligar o meio de campo e o ataque.

Apesar dos problemas de criação, uma bola alçada na área, combinada com erros da defesa do Pebas quase culminaram num gol aos 2’, quando Nando Carandina deu um passe longo, o goleiro saiu mal e Max Carrasco se recuperou e salvou em cima da linha. O Paysandu passou a abusar das bolas aéreas e de jogadas pela lateral, foi assim que quase abriu o placar aos 31’, após Maicon Silva cruzar e Mike ajeitar para Peu, que bateu de primeira e viu a bola passar raspando a trave.

Aos 36’, um lance mudou o rumo da partida, Recife – agora jogador do Parauapebas – acabou sendo expulso, após carrinho em Perema. Pouco depois, o técnico Leo Goiano também foi convidado a se retirar, por reclamação acintosa. E o jogo ensaiou ficar quente, já que dentro de campo, Monga e Diego Ivo começaram uma discussão, que acabou depois de amarelo para ambos. Ainda assim, uma das melhores oportunidades do primeiro tempo foi do Trem de Ferro, que contou com grande defesa de Marcão, quando Angelo cruzou na área e Monga desviou de cabeça no meio do gol.

No segundo tempo, Marquinhos Santos optou por retirar o, amarelado, Nando Carandina e utilizar Caceres, que tentou desafogar o meio, ajudando nas criações. O time parecia ter entendido a postura do Pebas e o jogo virou ataque x defesa, fazendo do goleiro Marcão um mero espectador. Aos 5’ Maicon Silva avançou pela direita e cruzou para Mike, que desviou de cabeça e quase fez o primeiro do Paysandu, mas Bruno fez grande defesa, evitando o gol.

Com 26’, Gorne entrou no lugar de Fernando Timbó, deixando a equipe com 4 atacantes. A saída do lateral acabou não fazendo falta, já que o time passou a não utilizar o lado esquerdo para atacar e não estava sofrendo com investidas do adversário. Aos 34’ saiu o tão esperado gol bicolor, quando Diego Ivo recebeu cruzamento, dominou e tocou, a bola chegou em Fábio Matos, que girou e chutou com força, sem chances de defesa para Bruno. O Paysandu ainda teve oportunidade de ampliar, aos 41’, após cruzamento de Maicon Silva para Moisés, que chegou de primeira, mas acabou isolando.


Próximo jogo: O Paysandu volta a jogar neste domingo (21), contra o Castanhal, no Modelão, às 16h00.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.