Header Ads

Doutrinação infernal: seleção belga arrasa magiares de forma impiedosa

Comemoração belga após o gol de Alderweireld

Fonte: zerozero.pt

Na melhor atuação dos diabos vermelhos nesta UEFA EURO 2016 e, talvez, a melhor atuação de uma seleção em uma partida na mesma competição. O jogo de hoje mostrou uma Bélgica com um apetite voraz e intenso no ataque e doutrinador em seu meio campo. Destaque também para algumas grandes defesas de Thibaut Courtois que, quando foi exigido, trabalhou de forma espetacular e mostrou o porquê é um dos melhores goleiros do mundo.

O técnico Marc Wilmots resolveu de primeira mão, realizar uma única alteração para potencializar jogo ofensivo. A entrada de Dries Mertens no lugar da revelação Yannick Carrasco para melhorar o poder de fogo no lado direito de ataque. A alteração deu muito certo e a Bélgica começava impor o seu jogo com o maior envolvimento nos lados do campo e o futebol de Eden Hazard e Kevin de Bruyne reapareceu de forma significativa. O meia do Manchester City estava endiabrado em campo e era responsável pelas principais jogadas de ataque no primeiro tempo, desde os chutes de fora área até em jogadas organizadas para a finalização dos companheiros.

Logo aos 10 minutos, Kevin de Bruyne sofreu falta de Ádám Lang próximo a meia esquerda de ataque, o mesmo cobrou com profunda maestria e encontrou Toby Alderweireld que, chegou junto com Romelu Lukaku e testou com muita violência no canto esquerdo alto de Gábor Király. A partir daí o jogo começou a ficar mais a feição dos belgas. Enquanto os húngaros arriscavam mais nos chutes de fora da área com algum perigo, os belgas jogavam numa intensa velocidade e envolviam a defesa húngara de forma apoteótica. Chances eram criadas e o goleiro da Hungria se consagrava como um dos melhores jogadores da equipe na partida, mesmo com seus 41 anos ainda demonstrava uma agilidade monstruosa. Outra grande chance criada pelos belgas foi em uma cobrança de falta espetacular de Kevin de Bruyne que mandou com categoria por cima da barreira no canto alto esquerdo, o goleiro Gábor Király tocou na bola e ela acertou o travessão.

Kevin de Bruyne foi um dos destaques da partida

Fonte: www.squakwa.com

No segundo tempo a seleção húngara voltou mais perigosa e ameaçando mais o gol de Thibaut Courtois. Quem se destacou neste início foi o atacante Ádám Szalai que teve duas chances perigosas em cinco minutos. Estas chances contribuíram para que a seleção magiares tivesse um novo fôlego e deu a partida um caráter mais aberto. Os belgas entravam no segundo tempo com menor posse de bola, mas extremamente perigosos no ataque. O técnico Marc Wilmots promoveu substituições importantes que melhoraram a situação ofensiva dos belgas. Dries Mertens e Romelu Lukaku (que estavam muito bem em campo, mas com um cansaço maior) deram lugar para os jogadores de frente Yannick Carrasco e Michy Batshuayi, que foram extremamente decisivos e ajudaram a golear os húngaros nos 15 minutos finais.

O segundo gol belga veio em uma cobrança de escanteio de Kevin de Bruyne afastada pela zaga húngara. A bola chegou a Eden Hazard que tentou tocar em Axel Witsel, mas o volante inteligentemente deixou passar, já que estava em impedimento, e o meia pegou a frente e cruzou rasteiro na medida para Michy Batshuayi que chapou no canto esquerdo de Gábor Király ampliando o placar aos 32 minutos. Um minuto depois, foi a vez de o meia Eden Hazard receber um passe espetacular de Radja Naingollan. Ele pegou, partiu pra cima da zaga húngara e bateu colocado no canto esquerdo de Gábor Király. Por fim, aos 40 minutos, em outro contragolpe, foi a vez de Radja Naingollan dar um belo passe para Yannick Carrasco que ganhou na velocidade de Richárd Guzmics e tocou por baixo, na saída de Gábor Király sacramentando a maior goleada desta edição.

Eden Hazard decide novamente para equipe e é o grande destaque em campo

Fonte: www.thesun.co.uk

Os belgas se classificaram para as quartas de final e farão um belo jogo contra a sensação, País de Gales, de um dos melhores jogadores do mundo, Gareth Bale. A partida será na sexta-feira (1º), às 16h (horário de Brasília), no estádio Pierre-Mauroy, em Lille. O desfalque ficará por conta do zagueiro do Barcelona Thomas Vermaelen, que tomou o segundo cartão amarelo e não jogará esta partida.

Terra arrasada: Hungria é goleada e dá adeus a UEFA EURO

A seleção da Hungria entrou em campo para este jogo de hoje sabendo do que enfrentaria nestas oitavas de final, o confronto contra uma das melhores seleções deste torneio poderia reservar momentos de glória intensa, como poderia sinalizar um confronto duríssimo e sem muitas expectativas de êxito. Tudo isso foi desenhado durante o jogo e o que se viu em campo foi uma Hungria que tentava nos chutes de fora da área, mas que se esbarrava na sua limitação técnica, enquanto a sua defesa tentava segurar o ímpeto ofensivo da Bélgica, mas sempre levava desvantagem na maioria das vezes.

A partida começa com a seleção húngara sofrendo com os ataques do talentoso time belga e tentando controlar o jogo na posse de bola, só que a mesma não parava no seu setor ofensivo e pouco a pouco era pressionada contra a parede com as investidas belgas. Sobrava a equipe tentar jogar pelos lados do campo e arriscar chutes de longa distância, já que a seleção belga não conta com exímios jogadores nas laterais e tem neste o seu ponto fraco em seu sistema defensivo.

Mas o que parecia ser ruim ficou ainda pior, quando Toby Alderweireld subiu no segundo pau e acertou uma bela cabeçada, vencendo o goleiro Gábor Kiraly, após uma linda cobrança de falta Kevin De Bruyne. A partir daí, os magiares se sentiram na obrigação de sair mais para o ataque e tentar investir nos chutes de fora da área. Durante o primeiro tempo, Balázs Dzsudzsák, Zoltán Gera e Ádám Pintér tentaram surpreender o goleiro Thibaut Courtois, mas o belga realizava defesas seguras e garantia o resultado. Enquanto isso, os belgas eram mais incisivos no ataque e chegavam com mais perigo, obrigando ao goleiro Gábor Kiraly a realizar ótimas defesas.

Gábor Kiraly foi o melhor em campo pela Hungria

Fonte: www. wordpress.com

No segundo tempo, a tentativa húngara de pressionar mais começou a surtir mais efeito e, além dos chutes de fora da área de Ádám Pintér, o centroavante Ádám Szalai começava a incomodar ainda mais a defesa belga. Teve duas chances para tentar empatar o jogo, na primeira ele tabelou com Ádám Nagy e soltou a bomba a esquerda do gol de Thibaut Courtois e na segunda, numa tentativa perigosa, ele chegou a cabecear uma bola cruzada pelo capitão Balázs Dzsudzsák, mas a bola bateu no rosto de Thomas Vermaelen e saiu a escanteio. O lance mais perigoso do time belga foi num chute de fora da área de Ádám Pintér, onde a bola bateu em Axel Witsel e quase encobriu o goleiro Thibaut Courtois, que deu um pulo pra trás para realizar uma bela defesa.

Os quinze minutos finais foram catastróficos para os húngaros. Em um tempo de oito minutos, a seleção levou os três gols da equipe belga e não evitou a goleada dos diabos vermelhos.  Primeiro com Michy Batshuayi que completou o cruzamento de Eden Hazard com perfeição. Depois, no minuto seguinte, foi a vez de Eden Hazard fazer um carnaval na zaga húngara e ampliar a partida. Por fim, em um contragolpe mortal, foi Yannick Carrasco que recebeu de Radja Naingollan e bateu na saída de Gábor Kiraly. A equipe até tentou diminuir numa boa virada de Ádám Szalai que obrigou a Thibaut Courtois a realizar uma outra boa defesa, mas se não fosse o goleiro Gábor Kiraly, a goleada poderia ter sido ainda maior.

Jogadores e torcida da Hungria cantam o hino no final da partida

Fonte: www.sportv.globo.com


Após o fim de jogo, a torcida reconheceu todo o empenho dos jogadores durante a UEFA EURO 2016 e cantaram o hino do país em campo como uma forma de homenageá-los pelo feito depois de 44 anos ausentes do torneio e 34 anos fora de todas as competições oficiais. O que resta a Hungria agora são as eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, onde estará na mesma chave que Portugal, Suíça, Letônia, Ilhas Faroe e Andorra. Sua estreia será contra as Ilhas Faroe, no dia 6 de setembro, fora de casa.


HUNGRIA
C
G
S

BÉLGICA
C
G
S


1
GK
Gábor Király
8,5
1
GK
Thibaut Courtois
8,5

2
DF
Ádám Lang
3,0

16
DF
Thomas Meunier
6,5

20
DF
Richárd Guzmics
5,0
2
DF
Toby Alderweireld
6,0
1

23
DF
Roland Juhász
6,0
80'
3
DF
Thomas Vermaelen
5,0


4
DF
Tamás Kádár
4,5

5
DF
Jan Vertonghen
6,0

10
MF
Zoltán Gera
5,0
INT
4
MF
Radja Naingollan
7,0

8
MF
Ádám Nagy
5,0
6
MF
Axel Witsel
6,5

16
MF
Ádám Pintér
6,5
74'
14
FW
Dries Mertens
7,0
70'

14
MF
Gergő Lovrencsics
6,0
7
MF
Kevin De Bruyne
9,0

7
FW
Balázs Dzsudzsák ©
7,0
10
MF
Eden Hazard ©
9,0
1
80'

9
FW
Ádám Szalai
6,5

9
FW
Romelu Lukaku
7,5
75'


3
DF
Mihály Korhut

8
MF
Marouane Fellaini
5,0

80'

5
DF
Attila Fiola

11
MF
Yannick Carrasco
7,0
1
70'

6
MF
Ákos Elek
5,0

INT
12
GK
Simon Mignolet


11
FW
Krisztián Németh

13
GK
Jean-Francois Gillet


12
GK
Dénes Dibusz

15
DF
Jason Denayer


13
FW
Dániel Böde
5,0
80'
17
FW
Divock Origi


15
MF
László Kleinheisler

18
DF
Christian Kabasele


17
FW
Nemanja Nikolić
4,5
74'
19
MF
Mousa Dembélé


18
MF
Zoltán Stieber

20
FW
Christian Benteke


19
FW
Tamás Priskin

21
DF
Jordan Lukaku


21
DF
Barnabás Bese

22
MF
Michy Batshuayi
6,5

1
75'

22
GK
Péter Gulácsi

23
DF
Laurent Ciman


-
TR
Bernd Storck
5,5
-
TR
Marc Wilmots
9,0




C
Cartão
C
Cartão


G
Gol
G
Gol


S
Substituição






S
Substituição






Produzido pelos colunistas:

Sérgio Júnior || @fantastico_scr || HUNGRIA
Marcos Paulo || @makavista || BÉLGICA

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.