Header Ads

Gol contra classifica País de Gales e elimina Irlanda do Norte

Na tarde desse sábado (25), País de Gales e Irlanda do Norte se enfrentaram em um confronto inédito entre britânicos na fase final de Eurocopa, no Parc dês Princes, em Paris. Em um confronto bem equilibrado, o gol contra de McAuley no segundo tempo acabou decidindo o jogo e classificando os galeses para as quartas de final.

Dallas (à direita) persegue o craque do Real Madrid, Gareth Bale. 
         País de Gales: Dia de Gareth... Gareth McAualey
Depois de uma derrota para um britânico, o País de Gales voltava a enfrentar alguém do Reino Unido, desta vez, um adversário tecnicamente inferior, o que dava esperança de uma história com final mais feliz.

No primeiro tempo, eram os galeses quem comandavam a partida, mantinham mais posse de bola e tentavam amadurecer o gol. Antes dos vinte minutos, os Dragões comemoraram o gol, após Vokes escorar de cabeça para Ramsey colocar para dentro, entretanto, o bandeira assinalou o impedimento. 

O ocorrido fez com que os norte-irlandeses “acordassem”. E Ward arriscou de fora da área para mostrar ao País de Gales que eles teriam um adversário difícil e Hennessey deixou claro que não facilitaria as coisas para a Irlanda do Norte, fazendo bela defesa.

A etapa permanecia equilibrada, as duas seleções tentavam chegar ao gol, porém nenhuma conseguia obter êxito. Com um tempo apagado de Gareth Bale, as oportunidades mais perigosas acabaram sendo do adversário. 

No segundo tempo, Bale resolveu voltar a ser o que vinha sendo. Em uma de suas oportunidades, quase abriu o placar de falta, mas McGovern salvou os Norte-Irlandeses.

Até que aos 29 minutos algo mudou a história da partida. McGovern não conseguiria e nem poderia imaginar que após grande jogada e belo cruzamento de Gareth Bale, o seu companheiro de seleção, Gareth McAualey faria gol contra e daria a classificação ao adversário.
Gareth Bale comemora após o gol contra de McAuley
Os Dragões se garantiram na próxima fase e seu adversário nas quartas de final sai do confronto entre Bélgica x Hungria.

Por: Cássia Gouveia

 Irlanda do Norte: Uma despedida dolorosa...


A Irlanda do Norte foi à Paris com a esperança de fazer história. Classificada em terceiro lugar de seu grupo, os norte-irlandeses encaravam um adversário em tese mais "fácil"do que qualquer seleção de peso, já que País de Gales também era um estreante em fases finais de Eurocopa. Sendo assim, a esquadra verde entrou em campo aliada com a sua incansável torcida em busca da vaga para as quartas de final, em Lille.

A formação dessa vez era mais ofensiva, o craque Lafferty estava de volta no ataque além de Dallas e Ward terem total liberdade pelas pontas. No momento defensivo, os pontas voltavam para recompor a linha defensiva e o tradicional 4-5-1 voltava à tona. No primeiro tempo, a Irlanda do Norte criou três chances importantes mas esbarrou na grande atuação do goleiro galês Hennessey. 

No segundo tempo, o técnico Michael O'Neill abriu mão da partida e já ajeitou o time para tentar vaga nos pênaltis, o recuo era visível pois nos primeiros 11 minutos do segundo tempo a Irlanda do Norte não passou do meio de campo, literalmente. Aos 30 minutos, após cruzamento de Gareth Bale, McAuley, o herói da vitória contra a Ucrânia empurrou a bola para dentro dá própria rede. O gol contra acabaria por definir o placar final de 1 a 0 e eliminar a Norn Iron da Eurocopa.

O gol contra de McAuley acabou eliminando os norte-irlandeses, mesmo
com substituições o placar permaneceria o mesmo.
Mesmo com uma despedida de forma extremamente dolorosa, a Irlanda do Norte volta pra casa  com motivos pra comemorar. Além da primeira vitória em fases finais contra Ucrânia, a animação de sua torcida  foi um dos destaques da competição e com certeza, faz qualquer norte-irlandês ter orgulho de sua seleção.

Por: Artur Pinheiro

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.