Header Ads

São Paulo não faz um bom jogo e vê sonho do Tetra adiado.

São Paulo se despede da Libertadores 2015 (saopaulofc.net)
São Paulo foi para o Mineirão com vantagem (primeiro jogo no Morumbi, foi 1 a 0 para o time paulista), porém, em uma noite ruim, não soube aproveitá-la. O Tricolor Paulista foi eliminado da Libertadores nas penalidades máximas. O goleiro Rogério Ceni ainda fez duas defesas, todavia 3 cobradores, erraram a cobrança dos penâltis e fizeram com que o Cruzeiro passasse para as quartas.
Milton Cruz escalou um time defensivo, com apenas Alexandre Pato no ataque, Michel Bastos voltou para o meio, entretanto  ainda sem ritmo de jogo - o camisa 7 pegou dengue e não jogou as duas últimas partidas do Tricolor -, e a reclamação de muitos torcedores: Centúrion no banco. Além dos erros na defesa do São Paulo, Milton preferiu escalar a dupla Lucão e Tolói, deixando Rodrigo Caio e Dória no banco. Na lateral, um problema gravíssimo, Reinaldo. Já que Carlinhos está se recuperando de uma contratura na coxa. E foi nesse ponto fraco, na lateral esquerda, que o Cruzeiro pressionou.


Posicionamento dos times em campo
O 1º tempo foi de correria, a equipe mineira passou boa parte no ataque, enquanto o Tricolor apostava nos contra-ataques. Cruzeiro foi superior ao São Paulo, atacou bastante, dominou o meio de campo, e não deixava o visitante ficar com a bola - já que o time paulista aposta muito em posse de bola - São Paulo segurou o empate na 1ª etapa por 0 a 0, com boa atuação do Rogério Ceni, esse que foi algumas vezes acionado como líbero, tendo que sair da área e defender de cabeça, já que o Cruzeiro estava achando espaços, pelas laterais.

Com a pressão exercida pelo mandante no 1º tempo, o esperado seria o Milton tirar o Reinaldo - que já tinha um amarelo e estava perdendo todas as bolas - passar Michel para a esquerda e colocar Centúrion no meio, seria uma opção possível. Porém, o visitante voltou do intervalo, sem mudanças. Em resultado disso, no início do 2º tempo, o Cruzeiro abriu o placar. Willian lançou para Mayke, nas costas de Wesley e Reinaldo, o lateral passou para Damião e esse só emendou para o gol. Alguns minutos após ter tomado o gol, Milton trocou um atacante, por outro. Tirou Pato e colocou Fabuloso. Como a bola não chegava nos pés do camisa 9, Milton mudou mais uma vez, tirando Wesley e colocando, o tão esperado, Centúrion. Com essa mudança, São Paulo começou a chegar com perigo. Todavia, quando tudo parecia melhorar, Milton teve que fazer uma substituição inesperada, Michel Bastos sentiu câimbras e em seu lugar, entrou Hudson. Cruzeiro continuou pressionando, sempre explorando as laterais e o Rogério Ceni tendo que mostrar o porquê é idolatrado pela torcida. 

Jogo terminou 1 a 0 em Minas, no placar agregado 1 a 1. A decisão foi para as penalidades máximas, os cobradores do Tricolor eram: Ceni, Ganso, Souza, Luis Fabiano e Centúrion. Rogério defendeu duas bolas, porém 3 cobradores são-paulinos erraram. Souza mandou para fora, do Luis e do Lucão - bateu pênaltis alternados - pararam nas mãos do Fábio.



BOLA CHEIA

O goleiro, Rogério Ceni: além das duas defesas nas penalidades, ele também jogou como líbero, saindo e afastando de cabeça lances de perigo do Cruzeiro. Não teve culpa no gol do Damião. Após o término do jogo, Rogério Ceni ainda deixou o campo visivelmente "segurando o choro" e confirmou que esse foi o seu último jogo pela Libertadores.

BOLA MURCHA

O lateral esquerdo, Reinaldo: Marquinhos e Mayke tiveram facilidade em descer nas suas costas, além de ter levado chapéu de Marquinhos. A jogada do gol de Leandro Damião surgiu em um cruzamento, em suas costas.

Assim o Tricolor encerra a sua participação na Copa Libertadores, encerrando junto, a participação do MITO, em sua carreira, nesse campeonato. A culpa não foi dos pênaltis e sim da postura do time durante o jogo, jogou recuado a partida inteira. Além do erro do técnico de insistir no lateral, Reinaldo, que fez sua pior partida. Agora São Paulo foca no Brasileiro e espera para entrar nas oitavas de final da Copa do Brasil. O Tricolor vai até Campinas enfrentar a Ponte Preta, pelo Brasileirão, domingo (17/05), às 18h30. O torcedor espera que a eliminação, não abale o emocional dos jogadores, e deixe o presidente atento que o São Paulo precisa de um novo técnico, pra já.

FICHA TÉCNICA

Local: Mineirão, Belo Horizonte
Cartão amarelo: Reinaldo (São Paulo)
Gols em tempo normal: Damião (Cruzeiro)
Gols nos pênaltis: Marquinhos, Arrascaeta, Henrique e Gabriel Xavier (Cruzeiro); Ceni, Ganso e Centúrion (São Paulo)
Arbitragem: Andres Cunha (URU), auxiliado por Miguel Nievas (URU) e Gabriel Popovirs (URU)

CRUZEIRO: 
Fábio; Mayke (Willian Farias), B.Rodrigo, Manoel, Mena; Willians, Henrique, De Arrascaeta; Willian (Gabriel Xavier), Damião e Marquinhos. Técnico: Marcelo Oliveira

SÃO PAULO:
Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Lucão e Reinaldo; Denilson, Souza, Wesley (Centúrion), Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos (Hudson); Alexandre Pato (Luis Fabiano). Técnico: Milton Cruz

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.