Header Ads

Aquecimento Olímpico: Tênis

Novak Djokovic, Serena Williams, Roger Federer, Maria Sharapova e Rafael Nadal são apenas alguns dos mais populares tenistas do mundo e conhecidos por boa parte das pessoas, mesmo que elas não acompanhem o esporte que estará presente na Olimpíada de 2016.


Rafael Nadal (Foto: Reuters)
Quem nunca assistiu ao jogo de tênis pode achar confuso, mas o andamento de cada ponto é muito simples. Cada tenista tem o objetivo de fazer a sua bola pingar uma vez mais do que seu oponente para marcar o ponto.

Todo ponto começa no saque: o jogador que está sacando começa sempre pela direita e deve colocar a bola com a raquete no quadrado oposto do outro lado da rede, sempre cruzado. Ele terá duas tentativas para isso ou perderá o ponto. Caso acerte, valerá o ponto. 

Cada jogador tentará rebater a bola, com no máximo um pingo na sua quadra, para o outro lado. Quem não conseguir perde o ponto. Importante observar que os corredores nas duas laterais da quadra só valem para jogos de dupla - e a área de saque nunca é alterada.

Durante o jogo, cada tenista saca um "game" inteiro que é o conjunto de pontos que será disputado enquanto ele sacar. Para vencer um game serão necessários quatro pontos (a contagem é: 15-30-40-Game), desde que o adversário tenha feito no máximo dois pontos.


Dupla brasileira para os Jogos, Marcelo Melo e Bruno Soares (Foto:jornaldestro)
No caso de um empate com três pontos para cada (40-40), continua-se jogando até um dos dois jogadores marcar dois pontos seguidos a mais que o oponente. Após um game completo, o outro tenista saca e segue-se alternando.

Cada jogo é composto por um determinado número de sets (geralmente "melhor de 3" ou "melhor de 5"). Para ganhar um set o tenista precisa marcar seis games antes do rival, mas o perdedor poderá ter no máximo quatro games. Por exemplo, ele poderá fechar um set vencendo por 6x4. Caso fique 5x5, o tenista precisará fazer um game adicional (7x5) para ganhar o set.

Caso, novamente, acabe empatado, gerando um placar de 6x6 em games, o set é desempatado pelo que se chama de tie-break: os pontos são contados em ordem numérica normal (1,2,3,4...) e alternando saques a cada dois pontos, com exceção do primeiro que saca apenas um. Esse desempate vai até sete pontos, mas para vencer é preciso ter uma diferença mínima de dois pontos - ou seja, em caso de 6x6, vence quem fizer 8x6.

Lá vem história...

Apesar de ser creditado diretamente aos ingleses, o tênis teve uma forte influência de uma brincadeira praticada por monges franceses no século XII cujo objetivo era bater a bola na parede utilizando a palma da mão - não se usava qualquer tipo de raquete ou produto semelhante até então. As raquetes foram incrementadas no século XIV com um jogo que dividia seis atletas (3x3) com uma rede.

O esporte também foi muito difundido na Inglaterra praticamente no mesmo período e ganhou uma relevância pelo interesse do rei Henrique VIII, adepto e praticamente do esporte, ajudando na difusão já com a configuração próxima do esporte que temos hoje. Por ser praticado por nobres, acabou tornando-se elitizado e assim é conhecido até os dias de hoje.

Foi também na Inglaterra que realizou-se pela primeira vez o torneio de Wimbledon, em 1877. Trata-se do torneio mais antigo do mundo e que, por essa razão, acaba tornando a Inglaterra um segundo berço do esporte (e país fundador para muitos).

Em Olimpíadas, a estreia veio junto da inauguração do evento na Grécia, em 1896, mas acabou ficando fora a partir de 1924. Com problemas de guerras, a evolução do esporte travou e foram diversos anos de atraso na divulgação e profissionalização. Apenas em 1988 que o tênis retornou ao programa olímpico, já devidamente profissionalizado e organizado.

Rio 2016

A modalidade pode ter uma marca inédita nestes Jogos Olímpicos, marcando o primeiro bicampeão da história, feito nunca antes estabelecido mesmo com nomes importantes já tendo atuado. Andy Murray e Rafael Nadal na disputa masculinas e as irmãs Venus e Serena Williams no feminino são os quatro que podem atingir a marca, já que venceram o tênis olímpico em oportunidades anteriores.

A grande dúvida fica por conta da polêmica envolvendo a russa Maria Sharapova, 23ª do ranking e pega em exame antidoping, recentemente. Mesmo suspensa das atividades de tenistas pela Federação Internacional, ela foi convocada pela Rússia e, com ranking mínimo exigido ficará aguardando julgamento para saber se poderá participar ou não da competição.


Brasileiro Thomaz Bellucci (Foto:revistatenisuol)
Jogando em casa, Thomaz Bellucci é o principal tenista brasileiro no circuito masculino, mas não deve incomodar os principais favoritos. Já nas duplas, Marcelo Melo e Bruno Soares prometem brigar pelo título de duplas masculinas da competição.

Principais torneios

Atualmente organizados por todo planeta, cada torneio tem uma pontuação diferente de acordo com sua tradição, quantidade de interessados e dificuldade. Os mais importantes torneio de tênis do mundo e que costumam atrair grande atenção de todos (tenistas, público e mídia) são chamados de Grand Slam's.

Esses torneios concedem dois mil pontos aos seus vencedores, podendo representar quase dez vezes mais que torneios menores como Doha (250 pontos ao campeão). 

Australia Open: é um dos primeiros torneios do ano, acontecendo logo em janeiro. O piso disputado é de quadra rápida, embora tenha sido disputado sobre grama até 1988. A primeira disputa foi em 1905.

Roland Garros: o tradicional torneio parisiense é a principal competição disputada em saibro e costuma acontecer entre maio e junho desde 1981. O piso de saibro deixa os jogos mais lentos e arrastados, ajudando jogadores de resistência e que gostam de trocas de bola.

Wimbledon: torneio mais antigo e sempre realizado na Inglaterra, é um dos poucos disputados sobre a grama, geralmente entre junho e julho. A grama é o piso onde a bola menos pinga, exigindo muito mais agilidade dos atletas e favorecendo jogos com pontos mais rápidos - é raro ter longas trocas de bola.

US Open: o cenário norte-americano não ficaria fora dos grandes eventos e recebe o últimos Grand Slam de cada ano entre agosto e setembro. Assim como o Austrália Open, ocorre em quadras rápidas. A grande final ocorre no tradicional Arthur Ashe Stadium, com capacidade para 23.500 pessoas, o maior do mundo no esporte.

Local de competição: Centro Olímpico de Tênis


Foto:Rio2016
Os jogos de tênis serão abrigados no Centro Olímpico de Tênis e contará com 16 quadras, sendo seis destas para treinamento dos atletas. Arquibancadas temporárias serão instaladas para servir como apoio a estrutura permanente, a quadra principal comportará um público de dez mil pessoas. O Centro está localizado dentro do Parque Olímpico da Barra. Os mais importantes tenistas já declararam interesse nas disputas que estão previstas para ocorrer entre os dias 6 e 14 de agosto.

Stéfano Bozza (@stebozza )




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.