Header Ads

Garçom, põe na conta mais uma derrota

Seria muito fácil, colocar a culpa no juiz, técnico, goleiro ou qualquer outra circunstância que nos impediu de alcançar o triunfo diante da Chapecoense, porém algo que foi observado pelos torcedores da Raposa, é que o Cruzeiro após o abrir o placar se acomodou e simplesmente parou de assustar o time mandante, a verdade que a falha foi da equipe cruzeirense.

Depois de uma sequencia de duas vitorias consecutivas da Raposa, as expectativas para o confronto entre Chapecoense e Cruzeiro eram gigantescas, principalmente do lado celeste que precisa prosseguir com resultados positivos.

(Sirli Freitas / Especial /Diario Catarinense)
A Raposa desperdiçou a chance de ganhar os três pontos no duelo de ontem, porém com dois jogos em casa, a equipe terá a oportunidade de se recuperar, é obrigação do Time do Povo fazer o dever de casa e vencer nas próximas rodadas.

A Raposa enfrentará no domingo (03) o time do Vitória, a partida acontecerá às 11h, tudo indica que a Toca III estará lotada, o que significa que apoio não faltará.

Sobre o jogo:

Mesmo sendo visitante, a Raposa iniciou o primeiro tempo com uma postura ofensiva e pressionava bastante a Chapecoense, o Cruzeiro estava com mudança em seu time, às novidades eram Pisano e Fabrício Bruno.

Matias Pisano, atualmente está sendo muito criticado pela nação azul, porém uma coisa boa ele fez no jogo, o primeiro gol do duelo foi marcado por ele, com menos de 10’ que a bola estava rolando na Arena Condá a Raposa estreou o marcador, após boa jogada de Arrascaeta, Pisano oportunista, aproveitou o rebote do goleiro e mandou para o fundo das redes.

Depois do gol celeste a situação começou a ficar difícil, a Raposa que ate então estava superior, resolveu “tirar o pé do acelerador” e era tudo que a Chapecoense precisava.

E como se diz aqui em Minas Gerais: “O trem ficou feio”, a equipe de Caio Júnior á todo momento levava perigo ao gol defendido por Fábio, e a cada bola que a zaga cruzeirense perdia era um desespero para a torcida azul.

E quem não faz leva, esse é o tipo de ditado que nunca falha, já no final da primeira etapa a Chapecoense conseguiu um empate com Silvinho.

Um primeiro tempo preocupante, o que mais prejudicou a Raposa foi a perda de Henrique que necessitou ser substituído após ter batido a cabeça, quem perdeu literalmente foi o Cruzeiro que ficou com o meia de campo desorganizado e o para piorar Gino entrou. Uma observação ao juiz que distribuiu uma “chuva” de cartões desnecessários, o que de certa forma atrapalhou os jogadores de arriscar mais.

@Cruzeiro
A etapa final começou equilibrada, tudo que o Cruzeiro precisa fazer na fase inicial, fez no segundo tempo com a intenção de correr atrás do prejuízo, porém quem teve a felicidade de virar o jogo foi o time da casa.

A Chapecoense marcou seu segundo gol com Arthur Maia, em cobrança de falta acertou no ângulo do gol defendido pelo capitão cruzeirense, que apenas observou.

Paulo Bento tentou uma nova tática, colocando Fabrício Bruno como atacante e colocando Lucas Romero na zaga e não é que deu certo? O zagueiro que também pode ser atacante fez o segundo gol cruzeirense, o jogo poderia ter acabado nesse exato momento, um ponto já era suficiente.

Estava bom demais para ser verdade e no final do jogo, Kempes faz o terceiro gol da Chapecó e foi assim que a Raposa trouxe na bagagem mais uma derrota.

Paula Fernandes - @Paulinha_CEC

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.