Header Ads

No melhor estilo Série B, Vitória surpreende Grêmio em Porto Alegre

Foto: Gremio.net
Brasileirão Série A 2016, Rodada 10. O Vitória viajou a Porto Alegre desacreditado e precisando somar pontos contra um Grêmio que nem gol havia levado jogando em casa. Entretanto, o clube baiano surpreendeu e venceu por 2x1, quebrando a invencibilidade gremista como mandante. Kieza e Diego Renan marcaram para o Vitória, e Fernando Miguel/Victor Ramos marcou contra para o Grêmio.

RESUMO

Mas porque "ao estilo de jogo da Série B"? Vamos explicar aqui rapidamente que sim, jogamos como os clubes da Série B costumam atuar fora de casa, para levar pontos. Estilo Série B com um recheio de estudo por parte de Mancini como nos clássicos contra o rival local. 

Após assistir o jogo e já sabendo do resultado, notei uma estratégia quase que infalível de Mancini para ir buscar os pontos necessários, que é ajudado pela baixa atenção dos clubes grandes quando enfrenta o Vitória. Quando eles assistem e se prepararam para jogar contra nós, não acreditam que possam ser surpreendidos pelo nosso baixo nível de jogo com a bola. Ignoram o fato que esse esporte é FUTEBOL. De fato o rubro-negro joga futebol de Série B na Série A, mas ontem sem a bola jogou o fino da Série B.

Sobrou disposição e trabalho em grupo. Muita atenção nas propostas traçadas por Mancini. Jogou feio e sem brincadeiras. Mas quando tinha a bola, devolvia por não saber o que fazer ou pelas deficiências que todos na Bahia já sabem. A equipe é limitadíssima tecnicamente, o coração de um time, que é o meio campo, é inferior ao que tínhamos na Série B 2015.

Clubes da Série A costumam também se fechar como fez o Vitória, mas quando tem a bola também jogam, mostram qualidade para trocar passes, aproximação, jogadas de ultrapassagens, circulam a bola com confiança e valentia. Nosso time trocava dois passes e voltava a bola no goleiro para dar chutão, mesmo quando teve um jogador a mais no gramado.

Falando sobre tática, Mancini ontem foi o herói, se foi o vilão contra a Chapecoense, contra o Grêmio sobrou estudo. Atuou dentro de um 5-4-1, sistema que mostrava várias variações acertadas, como 3-5-2 ou 4-1-4-1 com Ramon hora zagueiro e hora volante entre linhas. 

O time marcava hora por encaixe individual no setor e hora por zona com referencia na bola. Descansou mais Dagoberto que mesmo assim voltava mais pra ajudar e fez um jogo muito bom no primeiro tempo, mostrando que esse colunista está certo quando ver evolução a cada do jogo do atleta. Mesmo que bem devagar.

Roger do Grêmio não soube remediar o nó tático e acreditou demais que uma hora o gol deles sairia. Gol que veio numa falha do goleiro Fernando Miguel. Grêmio que só não empatou porque Luan não soube finalizar, numa falha bizarra do zagueiro Ramon . 

Foi um resultado maiúsculo claro. Mas uma atuação ainda muito abaixo para um time que joga a Série A do Brasileiro. Precismos incomodar mais quando temos a bola. O meio campo do time precisa ser reforçado com jogadores de Alto Nível técnico. 

Pois me parece que se o Vitória jogar o que jogou ontem no próximo domingo no Barradão, terá enormes dificuldades pra vencer e pode amargar outro revês. Jogo que o torcedor normalmente se empolga por uma vitória como essa fora de casa, e vai em peso ao estadio para cobrar. 

E podem acabar se decepcionando porque tem tudo para ser uma partida totalmente diferente em termos de proposta de jogo.

Onde precisamos propor o jogo, onde o adversário que entra para jogar no erro e estuda muito o Vitória. É um jogo de iguais onde normalmente falta concentração ao Vitória por achar que venceu Corinthians, Inter e Grêmio, pode vencer a Ponte Preta sem problemas.

Certamente Mancini vai mudar a forma do time jogar novamente, visando remediar todos os problemas de qualidade que tem o elenco. Mas uma coisa é certa, e até quem não acompanha futebol sabe, é um esporte coletivo, ninguém joga e ganha sozinho.




Então é em jogos contra clubes do mesmo nível que nossas deficiências ficam ainda mais explicitas, uma vez que a torcida espera um triunfo e não admite perder para clubes médios ou pequenos no Barradão.

Mais uma partida de seis pontos domingo. A tabela esta muito apertada e esse texto também serve de alerta ao clube e jogadores. É coisa de Vitória ganhar um gigante e se apertar com um médio dentro do Barradão. Todo cuidado é pouco

Onde só melhorando nosso nível de jogo, poderemos começar a sonhar em jogar a Série A 2017. É um campeonato que exige muito mais técnica que força. Com a desorganização do Grêmio com um jogador a menos ontem, o Vitória tendo mais qualidade no meio campo, poderia encaçapar uma goleada no time do Sul.

Mas COMEMORE TORCEDOR, o Vitória quebrou um jejum de 34 anos e, mesmo jogando mal quando com a bola, venceu um Grêmio superior e que construiu bem mais. Quem não pode comemorar é o clube. Precisa trabalhar e muito, tanto Mancini como a diretoria, em especial os dois abaixo:


BOLA MUCHA DO VITÓRIA NO JOGO: 
Ramon e Leandro Domingues.


É isso aí galera!

Seja Sócio SMV!

Por @AdsonPiedade

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 2 VITÓRIA
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Assistentes: Carlos Berckenbrock (SC) e Neuza Back (SC)
Cartões Amarelos: Bressan, Marcelo Oliveira, Walace e Ramiro (Grêmio); Victor Ramos, Tiago Real, Euller, Dagoberto (Vitória)
Cartão Vermelho: Bressan (Grêmio)
GOLS:
GRÊMIO: Victor Ramos (contra) aos 10 minutos do segundo tempo.
VITÓRIA: Kieza, aos 25, e Diego Renan aos 31 minutos do primeiro tempo.
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Bressan, Fred, Marcelo Oliveira; Walace, Ramiro (Jaílson), Giuliano, Douglas (Negueba), Éverton (Marcelo Hermes); Luan
Técnico: Roger Machado
VITÓRIA: Fernando Miguel; Victor Ramos, Ramon e Kanu; Diego Renan, Amaral (Leandro Domingues), William Farias, Tiago Real e Euller (José Welison); Dagoberto (Marcelo) e Kieza
Técnico: Vágner Mancini

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.