Header Ads

Sofrimento, emoção e vitória Chapecoense


Tudo se encaminhava para mais um empate dentro da Arena Condá, saindo atrás do placar, o Verdão em sua primeira partida sob comando de Caio Júnior mostrou força e, empurrado por sua linda torcida, não desistiu e venceu com gol salvador de Kempes por 3x2, se distanciando do temido Z4.


Silvinho e Arthur Maia junto com Kempes foram responsaveis pela vitória Chapecoense. (Foto: Gilberto Pace Thomaz)

Apresentado na segunda-feira (27), Caio Júnior teve pouco tempo para conhecer e treinar a equipe para o duelo diante dos mineiros. Em relação aos onze que iniciaram na goleada sofrida no Recife, duas alterações fundamentais mudaram a cara o Verdão: Danilo muito criticado foi poupado e nem no banco ficou, já Lucas Gomes deu lugar a volta de Ananias ao time titular depois de voltar de contusão.



Antes da bola rolar, o treinador do Verdão, em sua primeira participação no banco de reservas, destacou seu início utilizando o lado emocional e baseando seu único treinamento em organização, dando equilíbrio e confiança aos jogadores após a dura goleada do Sport.



Com o apito inicial do árbitro, não demorou muito para o desespero tomar conta da Arena Condá, já que, logo aos 6 minutos, os visitantes mineiros surpreenderam e abriram o placar com Pisano, que após rebote de Boeck empurrou para o fundo da rede.



Nos primeiros minutos, o Verdão sentiu o gol sofrido e, sem conseguir criar boas chances, deixou o torcedor apreensivo, mas sem parar um minuto de apoiar a equipe. O resultado veio apenas no final da primeira etapa, quando Silvinho recebeu livre de Gimenez, chutando por baixo das pernas de Fábio e empatando a partida na Arena Condá. A virada só não veio ainda no primeiro tempo porque a bola de Silvinho passou raspando o ângulo do goleiro.



O Verdão voltou para o segundo tempo com o apoio de seu torcedor em busca da virada, que quase chegou aos 15 minutos, após bela jogada de Ananias pela esquerda, que puxou para a perna direita e chutou forte para grande defesa de Fábio. Eis que o dedo do novo comandante entrou em ação e Arthur Maia, dois minutos após entrar em campo no lugar de Gil, cobrou falta de forma magnifica, acertando o ângulo de Fábio e virando o placar para a Chape.


Conforme os minutos passavam, os torcedores ficavam mais apreensivos, isso porque os visitantes partiram para cima para o empate. Em lance polêmico aos 38 minutos, Romero dominou com o braço, o árbitro nada marcou e, na sequência, o zagueiro Fabrício Bruno livre de marcação chutou por baixo de Boeck. Depois de muita reclamação do banco Chapecoense, o gol de empate foi confirmado para revolta do torcedor.



E quando todos já imaginavam novamente um empate dentro de casa, a magia de Caio Júnior voltou a fazer efeito no Verdão. Jogando todo ofensivamente e com Rafael Lima como um quarto atacante, o zagueiro desviou e a bola caiu nos pés de Kempes, que finalizou no canto de Fábio e explodiu a Arena Condá.



Se engana quem pensa que os minutos finais foram tranquilos. O Cruzeiro não aceitou o resultado e emplacou forte pressão nos minutos finais. O time só não chegou ao empate porque Marcelo Boeck mostrou por que deve ser o titular no gol do Verdão. Lucas chegou pelo lado direito e chutou, a bola desviou na zaga e o goleiro milagrosamente espalmou jogando para escanteio. Sem tempo para mais nada, o alívio só veio após o apito da vergonhosa arbitragem.



Com a vitória a Chapecoense pulou para o 8° lugar com 18 pontos, ficando a dois pontos do G4 e se afastando da zona de rebaixamento. No próximo duelo, o Verdão viaja à Vila Belmiro para enfrentar no domingo a equipe do Santos, às 16h.



O sofrimento vivido na noite desta quarta-feira coroa uma linda participação do torcedor, que recebeu calorosamente o elenco minutos antes do início a partida. Vale destacar ainda a força de recuperação que tem tomado conta da campanha da equipe no decorrer da competição, sem desistir jamais, garantindo mais uma vitória emocionante e fazendo valer o ditado “Se não é sofrido, não é Chapecoense”.



Em relação a Caio Júnior, devemos lhe saudar com palmas de pé. Se vencemos foi por total participação do novo treinador. Após conquistar o torcedor em palavras, duas alterações feitas pelo técnico foram fundamentais para esta vitória, Arthur Maia marcou de falta um golaço e, quando todos imaginavam que com o placar a favor o treinador tirasse um atacante e colocasse um jogador defensivo para segurar, Caio chamou Kempes, já esquecido pelo ex técnico Guto Ferreira, e nos minutos finais após a bola cair nos pés do atacante, mostrou que sim, pode ser útil e garantiu a vitória para o Verdão.



Esta é a Chapecoense que o torcedor quer ver, que jamais desiste. Que cada jogador lute por seu companheiro. Muitos podem pensar que vamos desabar, para esses digo: vocês realmente não conhecem a força dessa equipe e dessa torcida. Eu te amo, Associação Chapecoense de Futebol.



Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.