Header Ads

Aquecimento Olímpico: entrevista com Yane Marques

De Afogados da Ingazeira para o mundo

Yane Marques é a pentatleta – ou mulher maravilha - que representará o Brasil nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. Guerreira, perseverante e forte, ela coleciona títulos e marcas históricas. Com apoio da família, principalmente de sua mãe, Goretti, a pernambucana Yane percorreu o caminho dentro dos esportes e aproveitou todas as oportunidades que surgiram.

Em Recife, onde foi morar com 11 anos, iniciou a prática da natação no Clube Náutico Capibaribe. Convidada a participar de uma disputa de biathlon, foi campeã, era sua primeira competição; logo em seguida se aventurou no pentatlo moderno, modalidade até então desconhecida por sua mãe e, inclusive, por ela.

Pentatlo Moderno: esgrima, hipismo, corrida, tiro ao alvo e natação (Foto: eseqex)
“Fui favorecida pelo cenário nacional do esporte na época. Então, comecei com resultados interessantes e então, tomei gosto e as coisas foram acontecendo naturalmente. Não existiu um momento onde eu percebi que poderia ser uma atleta de excelência”. 
Com tantas dificuldades de praticar um esporte pouco difundido em nosso país, a relação do pentatlo moderno e Yane foi de identificação com as especificações das provas, principalmente a natação, modalidade que a originou. Encantada com a diversidade do esporte, diz que ainda pode melhorar na corrida e mesmo assim se tornou a única detentora da medalha olímpica na América Latina e no Hemisfério Sul.

> Aquecimento Olímpico: Triatlo e Pentatlo Moderno <

Admiradora do tenista Guga, a pentatleta carrega grande confiança em seus percursos, sempre com muita fé, é assim que segue em frente. Uma etapa importante de um ciclo olímpico é a base dos treinos em que precisa se dedicar com tranquilidade, e credita este momento ao amparo dado pelos patrocínios. Yane é terceiro sargento do Exército Brasileiro e participa do Programa de Alto Rendimento, o qual encontra uma boa estrutura para trabalho.

Multicampeã, Yane Marques guarda na memória o bronze olímpico conquistado em Londres, 2012. “Subir ao pódio nesse evento é, possivelmente, o maior desejo do atleta. Poder realizar foi sensacional. É uma prova diferente e envelopada com um glamour diferente. É único”, porém, tem a esperança de repetir o feito no Rio 2016 e com esta carrega alguns sonhos. “Subir novamente ao pódio no Rio em 2016 e mais que isso, seguir no mundo dos esportes contribuindo e passando para os mais jovens toda minha experiência adquirida ao longo desses mais de 20 anos dedicados aos treinos e competições”.


Bronze em Londres, 2012 e esperança de pódio no Rio, 2016 (Foto:uipi.com)
Daqui a 23 dias no Rio de Janeiro, a pentatleta Yane Marques terá novamente a oportunidade de competir na cidade. Nos Jogos Pan-Americanos de 2007, a medalha de ouro foi um feito nacional e seu nome explodiu entre esportistas e ídolos. “Eu, particularmente, acredito que existam vantagens e desvantagens. Conhecer o lugar de prova, estar adotado ao clima, ao fuso e a língua. Então, é inegável essa vantagem. Mas em contrapartida, a cobrança é multiplicada por dez. Portanto, vamos nos apegar aos pontos positivos de estar fazendo uma Olimpíada em casa”. 
Integrante do Time Brasil, tem recebido apoio e estrutura do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), passou alguns dias em Paris para treinamento intenso onde há infraestrutura necessária para um esportista de alto rendimento. Yane Marques, a mulher cinco em uma, se dedica todos os dias para fazer suas melhores provas de natação, esgrima, hipismo, tiro ao alvo e corrida. “No pentatlo, está na prova é ter chance. Não existe favoritismo. Para os Jogos 2016 eu espero chegar 100%.”

Com carinho, Cássia Moura e Lucas Felipe (@cassinha_moura | @lsouza73)

Agradecimentos: Yane Marques, Junior Rossi e Lília Jacqueline Amaral


LEIA: Aquecimento Olímpico - Nado Sincronizado

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.