Header Ads

Sampaio Corrêa 4 x 3 Náutico: luz no fim do túnel?

Sampaio 4 x 3 Náutico: luz no fim do túnel?

Neste sábado (03), o Sampaio Corrêa recebeu o Náutico no Estádio Castelão, em São Luís. O confronto valeu a 23ª rodada do Brasileirão Série B. Foi um jogo de muitos gols e Pimentinha desequilibrou a partida para o tricolor. A Bolívia Querida derrotou o Timbu por 4x3.

Pimentinha, melhor jogador da partida (Foto: Elias Auê)

O primeiro tempo foi bastante morno. E o primeiro lance que valeu o registro foi o momento do gol que abriu o movimentado placar. Aos 16 minutos, Rony rolou a bola para Vinicius na entrada da área. Ele acertou um belo chute de três dedos no ângulo esquerdo, golaço para deixar o torcedor tricolor com o coração na mão.

O segundo lance de perigo na primeira etapa foi na ocasião do gol de empate da Bolívia Querida. Aos 35 minutos, Tássio fez ótima assistência para Pimentinha, que invadiu a área e finalizou no canto esquerdo do goleiro Rodolfo. Próximo ao fim do tempo regulamentar, Pimentinha teve a chance de virar o jogo, após receber bom passe de Elias, mas sob marcação dentro da área, o atacante tricolor chutou e o arqueiro timbu defendeu.

O segundo tempo nem bem iniciou e o Náutico jogou um balde de água fria na reação do Sampaio. Aos 2 minutos, Jefferson Nem cruzou da direita, Vinicius se antecipou à defesa na pequena área e desviou para o fundo das redes para desempatar a partida. Aos 8 minutos, o Sampaio teve a chance de empatar novamente em cobrança de falta. Guilherme Lucena efetuou a cobrança forte no centro do gol, por cima, mas Rodolfo fez boa defesa, espalmando para fora.

A reação tricolor começou aos 25 minutos. Pimentinha sofreu pênalti duvidoso. Elias foi para a cobrança e a torcida boliviana soltou o grito de gol. Dois minutos depois, novo pênalti para a Bolívia Querida, desta vez sem sombra de dúvida. Pimentinha recebeu carga faltosa por trás. Elias novamente efetuou a cobrança com categoria e virou o placar.

A torcida tricolor ainda estava sob o efeito da euforia dos gols de pênalti em seqüência quando, aos 30 minutos, Gustavo Marmentini partiu em contra-ataque e tocou na direita para Jean Carlos, que tocou rasteiro no lado oposto da área para Pimentinha chegar de carrinho e empurrar a bola para o gol. Aula de contra-ataque, relembrando os velhos tempos de Flávio Araújo à frente do comando. Inacreditáveis 3 gols em 4 minutos.

O Náutico ainda esboçou uma reação diminuindo o placar, aos 37 minutos. Após cruzamento da esquerda, o zagueiro Igor Rabello subiu sozinho para testar para o gol. Falha de posicionamento da defesa boliviana. Aos 42, o Sampaio teve nova chance em contra-ataque com Marmentini, mas ao invadir a área, sob marcação, ele chutou fraco e Rodolfo defendeu. O resultado causou espanto até aos mais fiéis bolivianos. O ataque funcionou e Pimentinha, o melhor do jogo, com dois gols e dois pênaltis sofridos, desequilibrou a partida.

Após um primeiro tempo sem graça, sem criatividade e com o resultado parcial adverso, o Sampaio Corrêa mostrou poder de reação, mas muito em razão das alterações processadas pelo treinador Flávio Araújo. Na primeira etapa, o tricolor errava muitos passes e a saída de bola não existia. O posicionamento da defesa, com Éder Sciola improvisado na zaga, não funcionava bem. Com as subidas de Lucena, o flanco direito ficava muito exposto, lado em que ocorreu a jogada da abertura do placar.

O técnico tricolor mudou o posicionamento de Pimentinha da direita para a esquerda, já que sofria forte marcação e não tinha espaço para trabalhar. No lado esquerdo, tinha campo para jogar, com as constantes subidas do lateral direito Joazi, tanto é que no lance do primeiro gol, o atacante boliviano recebeu com liberdade, entre a defesa, com a ausência do lateral para fazer a cobertura. Outra mudança importante foi a saída de Enercino, que não jogava bem, substituído por Jean Carlos, abrindo dois corredores para trabalhar em velocidade. No segundo tempo, a entrada de Marmentini deu um novo gás ao ataque e foi muito importante com uma assistência e ainda gerando uma chance de ampliar o placar próximo ao fim do jogo.

A vitória, de fato, foi importante demais tanto para ganhar confiança quanto para se aproximar um pouco dos adversários na luta contra o rebaixamento, já que Tupi e Joinville perderam na rodada. O que se viu no segundo tempo pode ser um sinal de reação no decorrer do campeonato ou não. O futebol é muito imprevisível, mas é importante não se iludir demais, apesar do desejo de ver meu time longe dessa situação. O que se tem que fazer é acreditar até o fim. Sou torcedor e não desisto nunca. E se for para cair, que caia de pé, lutando até o fim, colocando o coração na ponta da chuteira. Futebol é alma.

O próximo embate da Bolívia Querida será diante do Bragantino, na terça-feira (06), às 19h, em Bragança Paulista.

FICHA DO JOGO:
SAMPAIO CORRÊA 4 X 3 NÁUTICO

Local: Estádio Castelão, São Luís (MA)
Data/Hora: 3 de Setembro de 2016, às 21h

Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Guilherme Lucena, Éder Sciola, Wágner Fogolari e Renan Luís; Diogo Orlando, Tássio, Enercino (Jean Carlos) e Rayllan (G. Marmentini); Pimentinha (Felipe Baiano) e Elias.
Técnico: Flávio Araújo

Náutico: Rodolfo; Joazi (Yuri Mamute), Igor Rabello, Adalberto e Gastón; Negretti, Maylson (Rodrigo Souza) e Vinicius; Hayner (Hugo), Rony e Jefferson Nem.
Técnico: Alexandre Gallo

Gols: Pimentinha, 35’ 1ºT e 30’ 2ºT, e Elias, aos 26’ 2ºT e 28’ 2ºT (Sampaio); Vinicius, aos 16’ 1ºT e 2’ 2ºT, e Igor Rabello, aos 37’ 2ºT.

Cartões amarelos: Pimentinha e Rayllan (Sampaio); Joazi, Hugo e Adalberto (Náutico)

Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.