Header Ads

O 2016 do Náutico: Mais um ano de perspectivas frustradas

O que falar de mais um ano caótico em nosso clube? Mais um ano em que muitas coisas foram almeijadas e no final nenhum objetivo foi alcançado. Essa história torna a repetir pelo terceiro ano consecutivo, desde que fomos rebaixados novamente para a Série B em 2013. Mais um planejamento fracassado. Mais uma vez todos nós alvirrubros nos perguntamos "o que aconteceu este ano?" novamente sem título e batendo na trave, sem conseguir o acesso a elite do futebol nacional.

Isso se resume a um longo ano de erros sucessivos que culminaram nessa temporada monótona do nosso clube, infelizmente essa foi nossa realidade em 2016.

Náutico vence o Santa Cruz no primeiro jogo do estadual 2016 com gol de Bergson (Foto: NE 10)
Campeonato Pernambucano

O que fazer com a seca de títulos que já dura 12 anos? Apostar suas fichas no campeonato, que em tese é o mais fraco da temporada. E foi isso que o Náutico fez no início do ano, fora da Copa do Nordeste, o time fez várias contratações para o campeonato estadual, contratações que até então dariam certo e que acenderam uma chama de esperança dentro do coração do torcedor alvirrubro.

Na primeira fase do campeonato, o Náutico fez uma ótima campanha e liderou do início ao fim, vencendo jogos difíceis contra Santa Cruz e Salgueiro, com ótimas partidas de Rony, Rodrigo Souza, Renan Oliveira, dentre outros. Entretanto ainda viria a fase decisiva do campeonato.

Junto da nova fase, veio um fantasma que aflige o torcedor alvirrubro há muito tempo, o mata-mata chegou e nosso Náutico mais uma vez decepcionou a torcida. Trata-se da semifinal, onde encaramos o Santa Cruz, o primeiro jogo foi realizado no estádio do Arruda, talvez esse jogo que definiu nosso destino no torneio, fomos totalmente dominados por nossos rivais e quando reagimos foi tarde demais, assim acabando a partida com o placar de: Santa Cruz 3-1 Náutico.

O jogo de volta era uma tentativa heroica de reversão de placar, mesmo com tantas dificuldades conseguimos abrir o placar, mas sofremos a virada e mais uma vez, fomos eliminados do estadual, assim dando fim ao sonho do título pernambucano.

Primeiro jogo da semifinal do campeonato pernambucano 2016 (Foto:Diário de Pernambuco).
Copa do Brasil

Nesse ano, aconteceu uma das participações mais horrorosas desse século nessa competição nacional, nós, caímos diante de um Vitória da Conquista, time com pouquíssima tradição que apesar de ter feito uma boa Copa do Nordeste, era infinitamente inferior a nós e ainda sim, conseguimos a proeza de sermos eliminados.

Dois empates dolorosos que culminaram na nossa queda diante do pequenino Vitória da Conquista, a primeira partida foi realizada na Bahia e ambas as equipes não saíram do 0-0, assim, levando o jogo final para a arena Pernambuco. Esse duelo que decretou nossa eliminação, com uma atuação pífia, saímos atrás do placar e depois de muito batalhar conseguimos o empate com Renan Oliveira, mas foi pouco, com o critério do gol fora de casa, nós estávamos ali sendo eliminados na primeira fase da copa do Brasil, uma vergonha.

Vitória da Conquista elimina o Náutico na Arena Pernambuco (Foto:Diário de Pernambuco)
Série B

Então após os fracassos no primeiro semestre, chegava a principal competição do ano e junto com ela o principal objetivo do time do ano, o acesso.

Comandados por Alexandre Gallo, mesmo com o time tendo algumas novas peças aplicadas ao elenco a equipe iniciou a competição bem, chegando a estar presente no G4 logo nas rodadas inicias, entretanto, com o decorrer da competição o time desandou e começaria ali uma série de resultados negativos que acarretariam na demissão do nosso técnico, Alexandre Gallo, que deixou nosso time no meio da tabela e com o sonho do acesso muito distante.

O time estava indo de mal a pior, com o elenco desentendido, foi quando então chegou Givanildo Oliveira que mudou totalmente às nossas perspectivas para a segundona, junto com ele chegaram Vinicius, do Atlético-PR, e Marco Antônio que vinha do futebol do exterior. Givanildo uniu o grupo novamente e fez peças importantes voltarem a render, principalmente como o atacante Rony, que pode ser considerado o principal jogador do time no ano, não só o principal jogador, como também terminou a temporada como artilheiro.

O Náutico então emplacou uma sequência impressionante de seis vitórias consecutivas que lhe fez voltar ao G4 nas últimas rodadas da competição, mas como em 2015, não tivemos forças para nos mantermos lá. E então chegou a última rodada, com três equipes brigando pelo acesso.

O Timbu tinha que vencer em casa e torcer por tropeços de Vasco ou Bahia, o time carioca venceu, mas os baianos tropeçaram, então bastava apenas uma simples vitória para estarmos de volta à Série A, foi ai que a principal decepção da temporada aconteceu, jogando na Arena Pernambuco, nós fomos derrotados pelo time do Oeste que brigava contra o descenso, assim, amargando mais um ano na segunda divisão do campeonato nacional.


Fim de ano trágico pra um time que tinha tantas ambições e um elenco capaz de conseguir o objetivo, mas o que faltou foi atitude dos jogadores e por isso estamos mais um ano na Série B, e por esses jogadores que jogam sem garra nos últimos anos que estamos também a 12 anos sem conquistar um título se quer, isso é uma vergonha para um clube da nossa grandeza. Que em 2017, as coisas mudem, porque o torcedor não aguenta mais decepções!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.