Header Ads

Cruzeiro 2016: Tão combatido, jamais vencido

Fala nação azul, sem duvida vocês já devem ter escutado esse velho ditado que nem tudo na vida são flores e que de vez em quando aparecem alguns espinhos em nosso caminho para nos desafiar. Bom, durante dois anos, nós cruzeirenses, temos encarado mais espinhos do que flores em nosso caminho.

Novamente encerramos mais uma temporada sem títulos, tendo como nosso maior objetivo a permanência na elite do campeonato e como a missão de um título na Copa no Brasil não foi cumprida, nos restou à tentativa de uma vaga na Sul-Americana, mas calma, irei relembrar cada momento com vocês, nos mínimos detalhes, até porque para quem é apaixonado por futebol, não há limites quando o assunto é falar sobre esse esporte sensacional.

@Cruzeiro
Apesar de tudo que “sofremos” nesse ano passamos por momentos inesquecíveis em cada competição que o Maior de Minas participou.

O inicio do ano:

A esperança do torcedor cruzeirense para a temporada 2016 era simples: Almejar títulos, brigar na parte de cima da tabela, construir um bom time, união entre torcida e jogadores e principalmente o reconhecimento e gratidão por fazer parte de um clube como o Cruzeiro. Resumindo queríamos um ano diferente de 2015.

Porém a diretoria do Cruzeiro não aprendeu com seus erros, pelo contrário insistiu naquilo que era visível que não daria certo. A verdade que começamos 2016 com o “pé esquerdo”. Para inicio de conversa, Mano Menezes não resistiu á proposta da China e deixou a Raposa aqui perdida, sem rumo e mais para frente, perdemos nosso capitão Fábio (graças às forças divinas Rafael deu conta do recado).

Resultado de imagem para cruzeiro inicio do ano 2016
UOL Esporte
E quando o assunto é contratações desesperadas, disso a diretoria do Cruzeiro entende muito bem um exemplo disso é Deivid, Paulo Bento e a lista de jogadores que vieram apenas para gastar nosso dinheiro, pois nada fizeram.

Campeonato Mineiro:

Tudo bem que na teoria o retrospecto cruzeirense é impecável. Foram onze partidas e desses onze confrontos a Raposa permaneceu invicta com dez vitorias e um empate, liderando a competição.

@Cruzeiro
Acho que o torcedor cruzeirense merecia ganhar um prêmio por aguentar e persistir vendo os jogos da equipe estrelada. Só quem acompanhou desde o inicio sabe do que estou falando. Foi á falta de organização dentro e fora de campo que juntou com a má vontade dos jogadores, sorte que os outros times estavam em uma fase pior do que a Raposa.

Entretanto, pelo segundo ano consecutivo o time azul e branco não participou de uma final, foi eliminado pelo Coelho nas semifinais.

Primeira Liga:

Esse ano foi marcado pelas suas surpresas, uma exemplificação disso é o torneio da Primeira Liga que começou como amistoso entre equipes do Sul, Minas e Rio e isso acontece no período de pré-temporada no Brasil. Assim como no Campeonato Mineiro a Primeira Liga trouxe na nossa bagagem algumas decepções.

Resultado de imagem para cruzeiro primeira liga
@UOL Esporte
A Primeira Liga é dividida da seguinte maneira: São três rodadas, semifinal e final. Os adversários da Raposa eram: Criciúma, Fluminense e Atlético-PR. E o time que tanto amamos fez o seguinte retrospecto um empate (contra o Criciúma) uma derrota (contra o Fluminense) e uma vitória de que nada adiantou (contra o Atlético-PR). Irregularidade no jogo e na competição foi apenas uma amostra do que iríamos enfrentar durante o ano.

Copa do Brasil:

Se por algum acaso existe uma competição que testou meu coração e me fez sofrer alguns ataques cardíacos, sem duvida foi a Copa do Brasil. Que competição maravilhosa, meus amigos. Sem dúvida foi nesta competição que o time de Minas, começou a reencontrar seu futebol e passou a ter algum objetivo.

Cada jogo foi uma emoção diferente, inexplicável, tanto no estádio ou dentro de casa. Sem pensar muito posso citar para vocês meus três jogos favoritos na Copa do Brasil. No topo da lista está Cruzeiro e Corinthians, que jogo foi aquele e como se diz aqui em Minas “o trem foi doido demais sô”. Na partida de ida, o Cruzeiro perdeu por 2x1, porém aquele gol marcado pelo Robinho reacendeu as esperanças do torcedor celeste e o jogo de volta era no Gigante da Pampulha, em casa nós conversamos e para ser honesta que conversa emocionante. 

@Cruzeiro
Foi emoção do inicio ao final, quando pensávamos que estava tudo resolvido, a história do jogo mudava completamente, foram quatro gols e em cada gol meu coração saia pela boca, o que aprendemos com isso? Nunca subestimem meu time.

O segundo duelo que ficou na história também foi: Cruzeiro e Botafogo (eu “cinco” muito) lembro-me como se fosse ontem, as comemorações dos cariocas por terem pegado o Cruzeiro, parece que o jogo virou, não é mesmo? Em terceiro lugar, mas não menos importante Cruzeiro e Grêmio, apesar da eliminação para a equipe gaúcha, foi lindo o que a torcida do Cruzeiro fez, bateu o recorde de público no Mineirão esse ano, recepção do hall da entrada, sinalizadores, bandeiras, papel picado, só para quem estava lá vai entender o quão emocionante foi participar de cada momento tanto nas arquibancadas, quanto nas ruas.

Brasileirão:

Ah, o Brasileirão. Ao contrário da Copa do Brasil, o Campeonato Brasileiro nos fez passar um pouco de raiva, até porque cruzeirense não está acostumado em brigar na parte debaixo da tabela e ainda mais ficar fugindo de rebaixamento por anos consecutivos.

Todos nós sabemos o motivo de nossas finalidades esse ano não condizer com nossa grandeza, mas colhemos aquilo que plantamos. Encerramos a temporada na 12° colocação com 51 pontos.

E para não perder o costume, gosto de deixar bem claro que o torcedor celeste é exigente e se por algum acaso os jogadores/diretoria acharem que ficamos satisfeitos apenas com a classificação para a Sul-Americana e a permanência na Série A, estão enganados, a equipe não fez mais que sua obrigação, assim como a torcida vem cumprindo seu papel.

@Cruzeiro
Foram 38 rodadas, 38 jogos, 38 noites mal dormidas. Vários confrontos que voltamos sem voz, que choramos de alivio ou tristeza e nesse mesmo dia prometemos não ver mais um jogo. Mais uma temporada finalizada e com ela o sentimento de dever cumprido, mudamos todo nosso cotidiano para coincidir com o dia a dia da Raposa e que nessa vida, temos uma certeza: Nós somos loucos, somos Cruzeiro, até 2017, meu grande amigo.

Paula Fernandes / @Paulinha_CEC

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.