Header Ads

Fortaleza 4 x 0 Maranguape: Para acalmar os ânimos

Fortaleza voltou a campo na noite da ultima quinta-feira (2) para enfrentar a equipe do Maranguape em jogo válido pela quinta rodada do certame estadual. Fora uma semana bastante complicada, em virtude da derrota no ultimo domingo frente à equipe do Horizonte. Tivemos reuniões com torcidas organizadas, protestos nas redes sociais, convocação de uma campanha de público zero para o próximo jogo em casa.

A diretoria agiu e sentiu o apelo da torcida contratando seis jogadores o lateral direito Pablo (ex América-MG), os meias Esquerdinha (ex Náutico) e William Schuster (que estava no Catar) e o retorno do meia Leandro Lima (que havia atuado quatro vezes no final da temporada passada) e dos atacantes Vinícius Baiano (destaque na copinha jogando pelo Avaí) e do centroavante conhecido Zé Carlos (ex Santa Cruz).

O jogo foi bastante movimentado na capital cearense, os pouco mais de 2 mil torcedores viram um Fortaleza com uma postura mais organizada e sabendo o que queria em campo. O time veio com algumas mudanças em relação ao jogo anterior, saíram os contestados Allan Vieira e Juninho Potiguar, para a entrada dos garotos Bruno Melo e Wesley, respectivamente. Os volantes Gastón Filgueiras e Anderson Uchôa retornaram de suspensão e reforçaram o Tricolor do Pici.

O centroavante Lúcio Flávio conseguiu desencantar e marcou os dois primeiros gols do jogo, o primeiro aos 13 minutos do primeiro tempo aproveitando o bate-rebate na área e o segundo aos 24’ do primeiro tempo, num contra-ataque bem armado, com a assistência do Rodrigo Andrade. Os outros dois gols foram marcados no segundo tempo, aos 27 minutos pelo estreante Leandro Lima e aos 43 minutos pelo garoto oriundo das categorias de base o meio-campista Wesley. O time teve uma postura mais consistente, não dando tanto espaço para o time adversário e impondo o ritmo de jogo e conseguindo criar várias chances de gol.

Uma presença pequena da torcida tricolor acompanhou a vitória do time na noite desta quinta-feira. Fortaleza, Maranguape  (Foto: Grazielle Gomes/Arquivo Pessoal)
Opinião do colunista

- O protesto das torcidas organizadas é válido e tem que ser respeitado pela dita ''torcida comum'', desde que seja pacífico e não venha a denegrir o clube ou prejudicar a instituição.

- Jogo às 19h30min, na Arena Castelão, com difícil acesso e com o time não jogando muito bem, contribuiu para um público pífio de pouco mais de 2 mil torcedores. Tem que averiguar essa situação e achar uma maneira mais conveniente para a torcida e para o clube.

- As vaias para o jogador Juninho Potiguar, foram um caso peculiar no jogo, o atleta nem tinha entrado em campo ainda e a torcida estava pegando no pé dele, vaiando e xingando o jogador, ele não jogou bem nas partidas anteriores, foi muito criticado pela nação tricolor, mas, o que estão fazendo com ele, é uma covardia, entendo o lado do torcedor, as frustrações e as decepções, mas vaiar o atleta fora de campo ou quando pega na bola, não vai contribuir para o desenvolvimento dele no time.

- O trabalho não pode parar, a torcida vai continuar cobrando na hora que tem que cobrar e apoiando na hora de apoiar, até levar esse clube para onde ele merece.

Próximo compromisso do Fortaleza é no domingo (5), pela Copa do Nordeste,vai enfrentar o Altos-PI, pela segunda rodada da competição, as 16h (horário local).

BORA LEÃO!
SAUDAÇÕES TRICOLORES! 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.