Header Ads

Não só pelos três pontos

Salve, amigos carijós, finalmente o ano de 2017 resolveu sorrir para nós! Após dois empates e duas derrotas, o Tupi venceu a primeira no Campeonato Mineiro, chegando ao segundo jogo consecutivo de invencibilidade. Neste sábado (25), o duelo válido pela 5ª rodada aconteceu no Estádio Radialista Mário Helênio, onde recebemos a equipe do URT, em um horário fora do habitual, às 10hrs.

Não foi uma vitória qualquer e devemos comemorar mais do que os três pontos. De fato, a diferença que as diretorias têm tratado o estadual (há algum tempo a prioridade do Alvinegro é investir mais nas competições nacionais), o retrospecto recente dos confrontos e principalmente os primeiros resultados (eles vieram embalados pelo empate contra o Cruzeiro), davam os visitantes como favoritos.

Particularmente, o gosto de uma vitória seria ainda mais especial. Ao longo da semana, presenciei vários torcedores do time patense nos subestimando, dizendo que seria um jogo fácil – Talvez os anos seguidos no Módulo 2 fizessem com que eles se esquecessem do equilíbrio que é este campeonato –. Pois bem, aguentei tudo isso ansioso, sabia que dentro de campo tudo se resolveria... E assim foi!


O Tupi venceu o URT no Campeonato Mineiro (Foto: Felipe Couri/tupifc.esp.br)
É preciso exaltar o "dedo" do novo treinador nisso. Mais que o resultado, a atuação dá indícios de um recomeço, ainda que não seja uma certeza. Apesar do elenco não condizer com as nossas perspectivas, tivemos pontos positivos com a troca de comando, cuja diferença de organização foi alarmante. No pouco tempo que teve, Aílton Ferraz já mostrou mais competência que Éder Bastos, que pouco aproveitou o período de pré-temporada.

Abdicar de algumas peças que vinham sendo utilizadas fizeram bem a equipe nos dois últimos jogos. Contra o URT, o 'onze inicial' teve a equipe escalada no tradicional 4-2-3-1, com Paulo Henrique (titular pelo segundo jogo consecutivo); Lucas, Edmário, Elivelton e Bruno Santos; Leandro Ferreira (que, diga-se, elevou o nível da equipe), Bonilha, Bruno Paiva (novidade no lugar de Marcel), Matheus Pato e Jajá; Caça-Rato isolado à frente.


O Galo Carijó teve a sua melhor atuação da temporada (Foto: Felipe Couri/tupifc.esp.br)
Desde os primeiros minutos, o Galo foi o dono do jogo, fazendo jus ao fato de ser mandante. Além da posse de bola, a equipe teve maior presença no campo ofensivo, sem dar muitas chances ao adversário ao longo dos 90 minutos. Porém, assim como contra o Tricordiano, ainda vimos alguns erros antes de conseguir a vantagem no placar – Seja pela falta de técnica de alguns ou até mesmo a ansiedade criada pela seca de gols –.

Faltou mais contundência na primeira metade da etapa inicial e não conseguimos transformar o domínio em chances criadas. Pelo lado esquerdo, Bruno Santos foi bastante participativo, mas errou cruzamentos de maneira demasiada. Já Pato, falhou ao tomar decisões, tentou alguns dribles em momentos errados e faltou objetividade, o que é normal para um jogador jovem. Ambos já mostraram ser fundamentais para a criação e podem evoluir na sequência.

Após exercer um estilo de jogo possessivo, o Tupi conseguiu mais efetividade sendo reativo, num contra-ataque veio a chance mais clara. Aos 27', Pato finalmente foi decisivo ao "rasgar" a defesa adversária com um belo passe, CR7 arrancou do meio campo e finalizou na saída do goleiro, abrindo o placar. A vantagem no primeiro tempo foi bastante justa: Paulo Henrique voltou para o vestiário sem fazer uma grande defesa. A única frustração do primeiro tempo foi a lesão de Lucas, que novamente sentiu o joelho, dando lugar a Dieguinho.

Jajá encobriu Juninho com extrema categoria (Foto: Felipe Couri/tupifc.esp.br)
A etapa complementar começou mais equilibrada. Ainda sim, não sofremos como poderíamos imaginar, também não conseguimos encaixar um contra-ataque nos primeiros minutos. Até os 12', quando Jajá percebeu Juninho adiantado, resolveu arriscar de muito longe e encobriu o goleiro adversário, marcando o gol mais bonito da peleja. Essa pretensão mostra a confiança que o primeiro gol no campeonato trouxe ao time.

Depois do gol, o técnico sacou o esforçado Caça-Rato, colocando Sávio. Posteriormente, Bruno Paiva deu lugar a Juninho, já aos 32'. Os minutos seguintes caminharam sem grandes esboços de reação do adversário e única chance clara do URT no jogo só aconteceu quando a nossa vitória já estava garantida. Nos acréscimos, a bola sobrou dentro da área, Gabriel Ceará não aproveitou o goleiro ainda caído e acertou a trave, perdendo um gol inacreditável. Logo o apito do árbitro confirmou o 2 a 0.

É incrível como uma vitória muda o ânimo de um torcedor – há quem pense em G-4 –. Foi uma atuação animadora sim, mas devemos manter os pés no chão, tendo consciência que a prioridade é escapar do rebaixamento. O próximo jogo será em Poços de Caldas, onde visitamos a Caldense, apenas dia 06. Até lá, esperamos que a equipe siga evoluindo nos treinamentos, enquanto nós podemos comemorar o resultado. Afinal, vencemos e vencemos bem!

#VivaoCarijó

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.