Header Ads

Uma boa primeira impressão

Não foi como queríamos, e este ano não vai ser como queremos. Se acostumem, pois será mais um ano muito difícil, apesar de que hoje com a estreia de Sérgio Soares o time foi muito bem dominando 80% da partida e eu ousaria em dizer que dominou mais. A derrota de hoje para o Figueirense foi devido a uma falha individual, de um indivíduo que está errando até demais, e não por má organização da defesa ou indisciplina tática. Além disso, temos que lembrar que Sérgio está treinando o Goiás há cinco dias, tudo que nos resta é paciência, e fazer o famoso teste dos cinco jogos que já realizei com Kleina esse ano.

Foto: Site Oficial do Goiás
Léo Sena ainda é "garoto" segundo ano de profissional e já demonstra muita habilidade e visão, isso é indiscutível, faz o clima de resenha sendo o palhaço do grupo e isso é muito bom também. Mas já é a segunda vez que um erro grave do nosso segundo volante tem como preço um gol adversário, e erro só ocorre por culpa única e exclusiva do Léo Sena, que tem como apelido "delegado” (aquele que fica demais com a bola nos pés). O primeiro tempo foi equilibradíssimo, poucas finalizações e o jogo se concentrando no meio campo, o time estava melhor que o adversário até que em uma dessas atuações de delegado, Léo entregou a bola junto com nossa zaga toda desmontada e não deu outra, gol do adversário aos 38 minutos do primeiro tempo.

Com o primeiro tempo resumido ao parágrafo acima, Sérgio Soares já chegou após o intervalo com o intuito de empatar e se a formação inicial já era ofensiva a do segundo tempo foi mais ainda, o único porém é que as peças corretas não foram usadas. A saída de Jean Carlos custou caro no quesito armação, já que Tiago Luís não consegue executar com a mesma qualidade, era mais valido abrir mão do Carlos Eduardo (que já voltou a ser o mesmo jogador de baixa técnica de antes) formando uma linha de quatro jogadores, composta por dois meias e dois jogadores de lado (Jean, Michael, Thales e Tiago) deixando Elyeser, que até estreou bem, cuidando da retaguarda e Gamalho de centroavante.

Tivemos um segundo tempo de total ataque por nossa parte, o Figueirense sentiu o cansaço físico e se retrancou ainda mais. O goleiro fez milagre, Gamalho furou, o zagueiro tirou... Escolha qualquer uma dessas pra dizer qual foi a chance mais clara de gol que conseguimos perder nesse jogo.

Claro que uma derrota pesa, mas há todo um campeonato por vir e a primeira impressão de Sergio Soares é positiva, precisamos de mais cinco jogos para avaliar ele nos quesitos de vestiário, tática e futebol, são eles:

Paraná Clube, terça-feira (16) fora de casa
América Mineiro, sexta (19) fora de casa
Brasil de Pelotas, sexta (26) no Serra Dourada
Santa Cruz, terça (06/06) no Serra Dourada
Paysandu, sexta (09/06) fora de casa

Cinco jogos que podem nos dizer muito sobre o estilo do técnico, e que dão a oportunidade de ele estabelecer seu estilo de jogo. Peço ao torcedor paciência e que mantenha os pés no chão, não somos o melhor time da B e estamos longe de ser, em meu último texto disse que o ano vai ser difícil e precisamos de muita sorte e apoio por parte da torcida se quisermos ver a Série A ano que vem, e creio que ainda estou certo. Estadual não passa de uma mera ilusão, e nada como um balde de água fria pra acordar os iludidos que sonharam demais.

Artur Pinheiro ll Facebook

Linha de Fundo ll @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.