Header Ads

Esperanças renovadas

Guerreiro. Valente. Heroico. Surpreendente. Essas são algumas palavras que definem o confronto entre Paraná x Atlético-MG pela Copa do Brasil. Depois de um primeiro jogo emocionante e a vitória por 3 x 2, de virada, as esperanças da torcida Paranista estavam elevadas, mas o sonho teve fim nessa quarta-feira, numa derrota bastante dolorosa.

Biteco comemora seu 2º gol no 1º confronto (Foto: Paraná Clube)
O JOGO

A derrota, de virada, para o Juventude na Série B no sábado passou quase que despercebida, o foco era só a Copa do Brasil. O cenário da possível classificação mexia com os ânimos do torcedor, que sofreu uma semana com esperando o jogo de volta.

Quando a bola finalmente rolou nesse 31/05, eram 90 minutos que nos separavam da glória, da classificação. 90 minutos que seriam de intensa pressão do time adversário. 90 minutos de agonia, de sofrimento.

O Tricolor soube jogar durante todo o primeiro tempo: marcava forte, não deixava o Galo criar e tentava sair nos contra-ataques. A entrada de Jhony no lugar de Renatinho, lesionado, e de Felipe Alves na vaga de Pedro deram a equipe o necessário: Consistência defensiva e velocidade no ataque.

Sem levar sustos atrás, mas também não criar na frente: Biteco não demonstrava a mesma inspiração do 1º jogo e Robson e Felipe Alves desperdiçavam as chances de ataque. No entanto, a melhor chance do jogo foi Paranista, Gabriel Dias roubou a bola, Felipe Alves achou Robson, e ele bateu cruzado para fora. No lance seguinte, já aos 40’ uma infelicidade de Léo e o gol olímpico de Otero para os donos da casa. Robson ainda acertou a trave em cobrança de falta, mas a primeira etapa terminou 1 x 0.

No segundo tempo a situação se inverteu, o Paraná precisava do gol e o Atlético se fechou atrás. O time de Cristian de Souza se adaptava a nova situação: Um gol e classificação na mão de novo. Mas num contra-ataque Cazares achou Fred, que tocou na saída de Léo e fez 2 x 0. No mesmo lance Fred acertou o joelho na cara de Léo, que saiu do jogo com o rosto bastante inchado*. No final, Pedro, Biteco e Alex Santana ainda tentaram, mas pararam em Victor. 2 x 0 para o time da casa e o sonho ficando pelo caminho.

A equipe lutou até o fim, mas não conseguiu a vaga (Foto: Paraná Clube)
DE CABEÇA ERGUIDA

Mesmo com a derrota dolorida, pelo futebol apresentado e pelo fato de jogar de igual para igual com um time considerado um dos melhores do país, a expectativa para o resto da temporada é boa.

A perda de Renatinho por lesão ainda mesmo antes do jogo, a partida apagada por parte de Biteco e Alex Santana e a falha de Léo, pesaram na eliminação. O foco passar a ser total no acesso a Série A do Brasileiro, onde já temos 6 pontos em 4 jogos disputados. Voltaremos ainda mais fortes depois dessa desclassificação, começando pelo Londrina, na terça-feira (06/06).

Juntos somos mais fortes. Esse foi só o começo. Que 2017 ainda nos dê muitas alegrias!

Fellipe Vicentini | @_FellipeS
#PRaCima

* Apesar da imagem forte, onde Léo aparece com o olho muito inchado, ele não sofreu lesões na visão, mas sofreu uma fratura e precisará de cirurgia. O tempo de recuperação é de um a dois meses. Força, Léo!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.