Header Ads

Precisamos ser serenos como o Dourado batendo pênalti.

 [Mailson Santana/FFC]

A vida já é um pesadelo normalmente. Aí você fica fisicamente doente depois de perder pra um certo rival, ainda que aquele jogo tenha sido estranho e a galera do bacalhau estava em ascensão. Frustrações com empates concedidos e com o fato de que não temos um time que faça tanta frente assim a times com melhores jogadores e situação financeira. Sem falar em um time que não controla sua versão feminina do Celso Barros e causa um caos na relação entre diretorias. A única coisa boa desse episódio é a liberdade para Calazans.

O time atualmente é uma sopa de pedra, com mais pedras do que água comparando com o começo do ano. O departamento médico é a própria enfermaria do Vietnã, todo mundo morto ou quase lá. A salvação pode vir da Eslováquia, de onde o melhor volante da segunda divisão quebrou assim que poderia virar esperança. Mas Marlon, Luquinhas e Peu vem aí, pra alegrar aqueles que reclamam dos nomes do time se confundirem com os de uma repartição pública.

Das certezas que temos até que elas se provem ao contrário:

  • Não temos goleiro. Por mais que Cavalieri esteja em má fase, Júlio César inspira menos confiança que Geraldo Magela no gol. Ele nunca falha, mas ele chama gol, tal qual certos zagueiros chamam desastre, ainda que nunca falhem diretamente.
  • Temos um zagueiro que parece um guarda roupa. Além de jogar decentemente(botou Guerrero no bolso), faz os seus gols. E por um milagre tem o nome Reginaldo, mas não cantam "como uma deusa..." logo após falarem seu nome, tal qual na TV Pirata. Não foi expulso de forma ridícula e sabe pular, o que o torna automaticamente melhor que Nogueira e Frazan.
  • Se Richarlison seria vendido por 40 milhões de reais, Wendel ser vendido por menos de 80 é caso de invadir as Laranjeiras e promover algo só comparado com a Queda da Bastilha ou ao dia que o Romário deu porrada no cara das galinhas.
  • André Kfouri comparou hoje o Dourado batendo pênalti com o Evair. É bem por aí. Ele bate tão bem que mesmo quando o adversário tem um goleiro de verdade, o gol acontece.
  • Mascarenhas é realidade, até porque Léo Pelé acertou um cruzamento fora de campo e engravidou sua Xuxa. Assim, um amigo meu que prometeu não ver mais jogos enquanto Léo fosse titular até foi ao estádio ontem(e foi embora quando Pelézinho entrou em campo).
Dito isso, o empate de ontem foi a maior derrota do ano. Poderíamos ter deixado o time de 500 milhões de dólares a 2 pontos do Z4, poderíamos estar rindo do Conca nervoso até agora. Voltar a ser o melhor do Rio e consolidar pontos pra depois não contar migalhas, ainda que eu faça isso desde a primeira rodada. Aliás, 11/46.

E as outras competições? É possível administrar tudo, mas isso é assunto pra depois do jogo do São Paulo.

Faltam dois jogos para acabar essa maratona, um contra o Avaí, onde não me atrevo a falar que é obrigação(ainda que seja) e contra um time tão mal montado como o nosso e que nem técnico tem. É a hora e a vez de humilhar Ceni como técnico. Se em 2015 Marcos Junior o aposentoun aquele 2 x 0, hora dele carimbar o fim do Mito enquanto técnico,até pra lembrar daquele 2008 mágico. Saudades.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.