Header Ads

Tudo o que precisamos

Precisamos deixarmos a "corneta" um pouco de lado e termos consciência até que ponto as exigências devem ser feitas sobre a equipe comandado por Aílton Ferraz. No cenário atual, creio que ninguém espera atuações de encher os olhos – Afinal, quem realmente quisesse ver espetáculo, poderia ter ficado em casa assistindo a decisão da Champions, como muitos ditos "torcedores" lamentavelmente fizeram. Já bons resultados, estes sim, são mais do que esperados por nós, carijós, que marcamos presença.

Em busca da primeira vitória na competição, o Tupi recebeu o São Bento neste sábado (03), pela 4ª rodada da Série C, no Estádio Radialista Mário Helênio. A partida contou com um público bem baixo, talvez por conta da decisão do principal torneio de clubes do planeta acontecer no mesmo horário, mas certamente pela péssima impressão deixada no primeiro jogo em casa, onde sofremos a única derrota até o momento.

O gol coroou a grande atuação de Bruno Santos (Foto: Leonardo Costa/tupifc.esp.br)
A semana que antecedeu o jogo ficou marcada pela chegada de mais um reforço: Romarinho, filho do baixinho dos mil gols, acertou com o Alvinegro. Ainda sem poder contar com o recém-contratado, o treinador repetiu o esquema utilizado contra o Joinville, o 3-6-1, com a única diferença por conta do desfalque de Leandro Ferreira – Paulo Henrique; Patrick, Fernando e Edmário; Lucas, Ronaldo Kalu, Marcel, Diego Luís (novidade), Andrey e Bruno Santos; Rafael Teixeira.

Diante do até então líder da competição, a estratégia do treinador novamente deu muito certo. É bem verdade que em momento nenhum sufocamos o time sorocabano, mas dentro das nossas limitações, fizemos um bom jogo. A vontade – Mais nítidas através de Edmário e Marcel – e a organização de todo o coletivo novamente foram características da nossa equipe.

Enquanto esteve zerado, o Alvinegro foi quem demonstrou insatisfação com o placar, sempre estando mais perto de sair na frente. Na melhor chance de gol, o Carijó chegou perto, o lateral-esquerdo Bruno Santos deu um indício do que estava por vir e assustou Rodrigo Viana, numa finalização por cima da meta. No mais, o goleiro ex-Carijó não viu nenhuma chance mais clara, tampouco Paulo Henrique do nosso lado. O 0 a 0 fez jus ao primeiro tempo bastante morno e sem muitas emoções.

O Tupi recebeu o até então líder da Série C (Foto: Leonardo Costa/tupifc.esp.br)
Na volta do intervalo, o Galo manteve a mesma postura, sem se desesperar pela necessidade de fazer o dever de casa. A diferença foi que o "dedo do treinador" apareceu e os melhores jogadores em campo foram protagonistas na jogada do gol. Aos 10', Lucas cruzou da direita, Bruno Santos subiu nas costas da defesa adversária e cabeceou no ângulo, sem chances para o excelente goleiro. Foi o segundo jogo neste esquema e o segundo tento do lateral-esquerdo!

Após o gol, confesso que a postura não me agradou nem um pouco, pela forma que a equipe cedeu campo ao adversário. Faltou tranquilidade para segurar a bola no ataque. Foi um segundo tempo longo, mas que no fim das contas, não resultou em nenhuma grande defesa de Paulo Henrique. Na verdade, até teve uma, quando o lance já estava paralisado, só servindo para reforçar a qualidade do jovem. O gol no rebote não valeu, mas deve servir de alerta, para que a equipe não complique jogos que estiverem sob controle.

A primeira vitória nos dá mais tranquilidade, porém precisamos ter consciência do principal objetivo, que é a permanência. Pensando em acesso, é visível que o elenco possui muitas limitações, especialmente quando há a necessidade de propor o jogo – A meu ver, ainda falta uma peça mais experiente e de mais qualidade na armação. Mesmo atuando como volante, é inegável que Leandro Ferreira dá mais qualidade na construção jogo, desde que esteja comprometido.

Ainda assim, podemos dizer que começamos razoavelmente bem a Série C. Com exceção do jogo contra o Ypiranga-RS, pontuamos em todas as rodadas, inclusive nos dois jogos como visitante. Com a vitória, o Tupi chegou aos cinco pontos, dois pontos do G-4. Os jogos consecutivos como visitante são boas oportunidades para recuperar o que foi perdido em casa: Manter a invencibilidade como visitante contra Macaé e Mogi Mirim é necessário!

No Helenão, não teve espetáculo, mas teve vitória do Galo! #VamosTupi

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.