Header Ads

São Januário, MEU Caldeirão

De todos os amores que eu tive, és o mais antigo
O Vasco é minha vida, minha história, o meu primeiro amigo
Quem não te conhece me pergunta por que eu te segui
Eu levo a Cruz-de-Malta no meu peito desde que eu nasci

E eu não paro... Não paro, não!
A Cruz-De-Malta... Meu coração!
Vasco da Gama... Minha paixão!
Vasco da Gama... Religião”.

Créditos: UOL Esportes
As cenas de sábado me entristeceram como ser humano e me envergonharam como torcedor de um clube que não tem sua história condizente com o ocorrido de ontem. Acho que mais do que nunca, o Vasco precisa que nós, torcedores, sejamos o seu melhor amigo. Depois do clássico de sábado, senti a mesma sensação que tive em 2008. Achava que depois das três quedas, nada iria me afetar tanto quanto o ocorrido no jogo contra o Flamengo. Nem a tensão política, nem a derrota e muito menos o questionamento técnico deste elenco poderiam justificar tais atitudes deploráveis por parte desses torcedores vascaínos (ou será que ainda podemos chamá-los assim?).

Vergonha é o sentimento que tive depois de assistir o pós-jogo, misturado com medo por ter alguns amigos dentro de São Januário. Para esses pseudotorcedores, um pequeno aviso, destruir São Januário não irá mudar nada; vocês somente irão agravar este clima insustentável que já temos nos entorno do clube. Perder o nosso santuário é uma baixa muito forte, pois foi de lá que tiramos 15 dos 16 pontos que temos hoje no Brasileirão. Para aqueles que não entendem a importância de São Januário, não só como casa do Club de Regatas Vasco da Gama e de seu torcedor, por favor, estude sobre o time que você ama. Pode não ser uma das mais novas mega arenas que estão sendo construídas nos últimos anos, mas é nossa casa; foi erguida do chão por aqueles que deixaram ali seus esforços para que os Camisas Negras tivessem um lugar pra treinar e mandar seus jogos.

Créditos: Extra
O famoso Território Hostil tornou-se hostil no sentido mais literal possível da palavra, ameaçando a vida de muitos que ali estavam. Depredar o lugar que chamamos de casa não ajuda em nada o Vasco, pois só gera mais despesa com o reparo e, com uma futura resolução jurídica, pagar outros estádios para o Vasco poder mandar seus jogos. A única solução que hoje o Vasco tem para sair dos aparelhos que ainda usa para respirar é a mudança na gestão do clube. Nada é certo, pois não se sabe se a oposição realmente conseguirá mudar a realidade do Vasco; precisamos de uma gestão quase que empresarial, pois necessitamos sair desse buraco de dívidas e a constante ameaça de perdermos o nosso estádio para pagarmos dívidas.

Julio Brant é um nome que já é ventilado há muito tempo, contudo, será mesmo que ele conseguirá o feito que o Bandeira de Melo conseguiu no nosso rival do Clássico dos Milhões? O Flamengo hoje consegue contratar jogadores como o dono da partida de sábado: Éverton Ribeiro. Ou será que continuaremos a nos contentar com Escudeiros e Muriquis da vida? Será que teremos um elenco que podemos confiar e ficar tranquilos, pois uma hora ele irá engrenar? Podemos nos tranquilizar com as nossas jovens promessas ou o primeiro milhão que aparecer as levará?

Eurico (frente) e Julio Brant (ao fundo) - Créditos: GE
Apesar do caos que foi instaurado em São Januário, assistimos mais um jogo pífio entre Vasco e Flamengo. Poucas jogadas de efeito, poucas finalizações, muitas faltas, muitos passes errados e esporádicos lances de bom futebol. O Vasco foi aguerrido e o Flamengo mais técnico, porém os dois foram desnecessariamente violentos. Os quatro grandes jogadores (Diego, Nenê, Luis Fabiano e Guerrero) fizeram partidas de doer os olhos e restou a Éverton Ribeiro decidir o jogo com uma assistência precisa. A análise do jogo é basicamente isto, pois não houve nada além. Vimos uma arbitragem confusa, indecisa e medrosa. O árbitro errou em não expulsar os dois centroavantes, por não marcar o pênalti cometido por Éverton Ribeiro no primeiro tempo, e distribuir mais amarelos em um jogo altamente faltoso. Espero sinceramente não mais ver jogos como o de sábado, em todos os aspectos.

Um grande abraço e Saudações Vascaínas,

J.P. Alves || @8_joaopedro
Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.