Header Ads

Em jogo difícil, Liverpool volta a vencer algoz em casa

Por Caio Semblano

(Foto: Reprodução/Mirror Football)

O Liverpool encarou o Crystal Palace, talvez o seu maior carrasco nos últimos anos, nesse sábado (19) em Anfield pela 2ª rodada da Premier League. O time londrino buscava a quarta vitória seguida contra os Reds dentro de seus domínios. Provavelmente pensando já na sequência difícil que terá pela frente, Jurgen Klopp poupou alguns jogadores e deu tempo de jogo a outros; os Reds terão pela frente Hoffenhein, pela Champions, e em seguida, Arsenal e Manchester City, pelas próximas rodadas do campeonato inglês. Dentre as mudanças, destaca-se a entrada de Robertson na lateral-esquerda, que foi bem e mostrou que pode se dar na posição que vem sendo um dos maiores problemas do Liverpool desde a temporada passada. Sturridge, Klavan, Gomez e Milner também começaram entre os titulares. 

Em um primeiro tempo amarrado, poucas chances foram criadas. Jogando em casa e com um elenco superior, o Liverpool tinha por obrigação buscar o jogo e tentar abrir o marcador. O Palace jogava fechadinho, ao seu estilo, ainda com muita cara de Big Sam e pouco Frank De Boer, técnico que chegou essa temporada e busca implementar um novo formato de jogo ao time londrino, mais ofensivo e com maior posse da bola.

Ao fim da primeira etapa as estatísticas mostravam 70% de posse de bola ao Liverpool, domínio apenas simbólico, já que os reds pouco ameaçaram o gol de Hennessey. Ao todo foram 3 finalizações, duas em jogadas pela esquerda, com participação do estreante Robertson, melhor do time na primeira etapa, e uma em chute  de fora da área de Roberto Firmino. Os visitantes assustaram uma vez em contra-ataque, quando Mignolet precisou fazer boa defesa para evitar o gol de Puncheon.

Nos primeiros minutos do segundo tempo o cenário manteve-se o mesmo, o Liverpool trocava muitos passes no campo de ataque, mas não conseguia quebrar as linhas defensivas do adversário que mantinha-se muito bem postado e apostava em saídas de velocidade. Em uma dessas, Loftus-Cheek fez ótima jogada pra cima de Klavan e deixou Benteke livre pra marcar, o belga que costuma castigar o Liverpool, dessa vez errou e chutou por cima do gol. Sem Coutinho e Lallana, faltava criatividade ao meio de campo Red, que conseguia assustar apenas em investidas pelas laterais, em especial a esquerda. 

Precisando da vitória, Jurgen Klopp abriu mão de um meia e lançou um atacante, deixando assim o time com quatro jogadores de frente: Firmino, Manè, Sallah e Solanke. A mudança ofensiva fez com que os donos da casa pressionassem e sufocassem o adversário. Assim, meio no sufoco e na pressão, saiu o gol da vitória, quando Manè tentou tabelar com Robertson, e a bola foi dividida por Solanke e Milivojevic e com o toque do volante sobrou para o senegalês, que só teve o trabalho de tocar na saída do goleiro.

Após o gol, o Liverpool encontrou mais espaços, já que o Palace precisou sair em busca do empate, e muitas chances foram criadas, no entanto, todas desperdiçadas. Felizmente, as oportunidades perdidas não fizeram falta e o placar manteve-se no 1-0 até o apito final. O Liverpool consegue assim a sua primeira vitória na competição, após um jogo muito difícil, e chega aos 4 pontos. Dentre as atuações individuais, destaque para Robertson, Matip e Roberto Firmino, que tiveram as melhores apresentações da equipe.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.