Header Ads

Guia do Campeonato Catarinense 2018

Nesta próxima quarta-feira (17), dá-se início a disputa de mais um  Campeonato Catarinense de futebol. Dez times na disputa por um único e máximo objetivo: o título estadual.

Guia Linha de Fundo do Catarinense 2018 (Arte: Patrick Floriani/Linha de Fundo)
A fórmula para este ano, é bem simples em relação a dos anos anteriores. As dez equipes jogarão entre si, em turno e returno, em disputa por pontos corridos. As duas piores campanhas são rebaixadas para a Série B do estadual; já os dois melhores colocados farão uma final em jogo único, com mando do time que obtiver a melhor campanha. O vencedor sagra-se campeão, e em caso de empate, teremos uma disputa por pênaltis.

Sendo assim, o Linha de Fundo preparou para você leitor, um breve guia de um dos campeonatos estaduais mais disputados do país.



ATLÉTICO TUBARÃO

Nome: Clube Atlético Tubarão
Fundação: 14 de abril de 2005
Estádio: Domingos Silveira Gonzalez (3.100)
Campanha 2017: 6° lugar
Destaque: Daniel Costa, meia


Com boa campanha no estadual 2017, onde terminou na sexta posição, assim alcançando uma vaga na Copa do Brasil e na Série D do Brasileiro deste ano. O Tubarão vem para o seu segundo ano consecutivo na elite catarinense após a sua volta, querendo superar 2017. O Peixe, de apenas 13 anos, manteve uma certa base do time campeão da Copa Santa Catarina. Acertou as renovações dos empréstimos do lateral-esquerdo Marlon, e do atacante Índio, que se reencontrou com o bom futebol no time do sul. Trouxe o atacante Batista, da base do Grêmio; e de volta, o seu bom meia Daniel Costa, um dos destaques de 2017 e que estava defendendo o São Caetano. Comandados pelo também remanescente Waguinho Dias, o Tubarão quer seguir a mesma receita e surpreender ainda mais.



AVAÍ

Nome: Avaí Futebol Clube
Fundação: 01 de setembro de 1923
Estádio: Ressacada (17.800)
Campanha 2017: Vice-campeão
Destaque: Claudinei Oliveira, técnico


Vice-campeão no estadual passado, o Avaí manteve boa parte do seu elenco que acabou sendo rebaixado no Campeonato Brasileiro. Dos que permaneceram, destaque para a sólida dupla de zaga formada por Betão e Alemão; o meia e capitão Marquinhos; e o técnico Claudinei Oliveira que vai para a sua terceira temporada no Leão da Ilha, fazendo o possível e o impossível com o que tem em mãos. Para o início, as contratações foram poucas e pontuais. Vieram o atacante Rafinha, ex-Flamengo; o volante/meia André Moritz; o lateral-esquerdo Thiago Cametá; e o experiente goleiro Rubinho, que por durante 12 anos esteve no futebol italiano e chega para substituir Douglas de ótimo 2017.



BRUSQUE

Nome: Brusque Futebol Clube
Fundação: 12 de outubro de 1987
Estádio: Augusto Bauer (5.500)
Campanha 2017: 4° lugar
Destaque: França, volante


Com um ótimo 2017, chegando ao quarto lugar no estadual, com boa campanha na Série D, vice da Copa Santa Catarina, e eliminação na Copa do Brasil para o Corinthians apenas nos pênaltis, o Brusque busca em 2018 repetir e quiçá superar o ano anterior. A equipe que será comandada pelo jovem técnico Picoli, terá em seu elenco alguns jogadores conhecidos do futebol nacional como o meia Dakson, ex-Vasco; o zagueiro Antônio Carlos, ex-São Paulo; e o polêmico volante França, com passagens por Palmeiras e Figueirense. Investindo bem e mesclando experiência e juventude, o Marreco quer mais uma surpreender a todos no futebol catarinense.



CHAPECOENSE

Nome: Associação Chapecoense de Futebol
Fundação: 10 de maio de 1973
Estádio: Arena Condá (22.600)
Campanha 2017: Campeã
Destaque: Canteros, meia


Atual campeã, a Chapecoense entra como favorita ao título por mais um ano. Com maior folha salarial, e com mais qualidade em seu elenco até do que os demais considerados grandes, manteve para a temporada, o técnico Gilson Kleina, que chegou ao clube para salvar de um possível rebaixamento, e acabou levando-os para a Libertadores – a segunda disputada em dois anos. Com seu jeito de estudar as contratações feitas, trouxe jogadores pontuais como o zagueiro Rafael Thyere (Grêmio), o volante Márcio Araújo de passagem turbulenta no Flamengo, e o goleiro Ivan, ex-Joinville, o que é uma enorme aposta. Franca favorita e com parte do elenco mantido, é esperado, pelo menos, a ida à final.



CONCÓRDIA

Nome: Concórdia Atlético Clube
Fundação: 2 de março de 2005
Estádio: Domingos Machado de Lima (8.000)
Campanha 2017: Campeão (Série B)
Destaque: Mauro Ovelha, técnico


Campeão da última segundona, o Concórdia permaneceu com uma base do time vencedor. Além disso, o Galo do Oeste contará com as caras novas de Aldair, ex-Joinville; Diogo Roque, ex-Chape; e de Luizinho, ex-Hercílio Luz, que formará dupla de ataque com Marcos Paulo, artilheiro da segundona com 13 gols, pelo Concórdia. O comando é de Mauro Ovelha que revolucionou o time do oeste catarinense após sua chegada em julho de 2017, sendo um dos responsáveis do acesso e título.



CRICIÚMA

Nome: Criciúma Esporte Clube
Fundação: 13 de maio de 1947
Estádio: Heriberto Hülse (19.300)
Campanha 2017: 3° lugar
Destaque: Alex Maranhão, meia


Terceiro colocado no Catarinense do ano anterior, o Criciúma para este ano com uma cobrança enorme por parte de sua torcida: a cobrança por títulos. Sem ser campeão desde 2013, o Tigre acredita no potencial dos atletas que ficaram como o goleiro Luiz, o volante Douglas Moreira, e o meia Alex Maranhão, junto com as caras novas do atacante Siloé, do zagueiro Sandro, ex-Figueira e JEC, e o rodado lateral-esquerdo Eltinho. Comandados por Lisca Doido, o Tigre quer surpreender com seu time, sem fazer loucuras e devolver ao seu torcedor a alegria de tantas glórias já conquistadas.



FIGUEIRENSE

Nome: Figueirense Futebol Clube
Fundação: 12 de junho de 1921
Estádio: Orlando Scarpelli (19.584)
Campanha 2017: 8° lugar
Destaque: Henan, atacante


Com um péssimo Catarinense e Série B, correndo sérios riscos de rebaixamento em ambos, o Figueirense entra em 2018 para não esquecer o ano anterior, e sim aprender com os erros cometidos. De início, o grupo de investidores que hoje comanda o Figueira, manteve no cargo, o técnico Milton Cruz. Renovou com jogadores importantes como o experiente Jorge Henrique, o atacante André Luis, volante Zé Antônio, entre outros, e por último, uma semana antes do pontapé inicial do campeonato, renovou com Henan, artilheiro do time, após uma longa e tenebrosa novela. De principais contratações vieram o goleiro Dênis, o lateral Diego Renan, e os atacantes Maikon Leite, e Romarinho, filho de Romário, que é uma tremenda incógnita, assim como qual será a campanha do Figueirense em 2018.



HERCÍLIO LUZ

Nome: Hercílio Luz Futebol Clube
Fundação: 22 de dezembro de 1918
Estádio: Aníbal Torres da Costa (10.000)
Campanha 2017: Vice-campeão (Série B)
Destaque: Lima, atacante


De volta à elite do futebol catarinense no ano de seu centenário, o Hercílio Luz manteve uma parte da base do time que foi vice da Série B do estadual em 2017. O time que será comandado por Luiz Carlos Cruz, ainda conta com as caras novas e conhecidas dos volantes Jackson ex-Figueirense, e Revson ex-Avaí, e do meia Matheusinho, da base do Figueira. Porém a contratação mais 'pomposa' é do atacante Lima, maior artilheiro da história do Joinville. Com a rivalidade com o Atlético Tubarão, o Leão do Sul espera fazer uma campanha digna e permanecer na elite no ano em que completa 100 anos de fundação.


INTER DE LAGES

Nome: Esporte Clube Internacional
Fundação: 13 de junho de 1949
Estádio: Vidal Ramos Júnior (9.600)
Campanha 2017: 7° lugar
Destaque: Max, atacante


Com um dos elencos mais modestos do Catarinense, o Inter de Lages entra para a competição para tentar evitar o seu rebaixamento - diferente de anos anteriores, onde o Leão Baio brigou forte e alçou voos mais altos. O treinador para a temporada será Leandro Niehues, que já havia sido treinador da equipe em 2014. Inicialmente, Leandro havia chego para assumir cargo de gerente de futebol do clube, porém surgiu o convite e acabou assumindo o comando técnico. Com pouco dinheiro em caixa, as principais peças do Colorado lageano estão no ataque com o remanescente Max, e o contratado Rafhael Lucas, com passagem por Coritiba e Goiás.


JOINVILLE

Nome: Joinville Esporte Clube
Fundação: 29 de janeiro de 1976
Estádio: Arena Joinville (22.675)
Campanha 2017: 5° lugar
Destaque: Rafael Grampola, atacante



Com o orçamento e elenco mais modesto entre os ditos cinco grandes, justamente por estar na Série C do nacional, o Joinville vem para o estadual como franco-atirador e esperando contar com que os dias de trabalho que começaram já desde dezembro, deem frutos em busca de um título catarinense que não vem desde 2001. O técnico da equipe será Rogério Zimmermann, que após anos no Brasil de Pelotas, chega ao JEC para reviver o futebol do tricolor do norte. O destaque da equipe com certeza é o bom camisa nove Rafael Grampola, artilheiro da Série C com 13 gols, vestindo a camisa do Coelho.

A primeira rodada do Catarinense 2018 terá todos os jogos realizados na quarta-feira (17), e as partidas serão as seguintes:

- Concórdia x Chapecoense (20h30)
- Hercílio Luz x Atlético Tubarão (20h30)
- Joinville x Brusque (20h30)
- Inter de Lages x Avaí (20h30)
- Figueirense x Criciúma (21h45)

Patrick Floriani | @figueiradepre

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.