Header Ads

O Flamengo menos Flamengo que eu já vi

Hoje o papo vai ser curto e grosso, aliás, não dá pra digerir a apatia do Clube de Regatas do Flamengo. Além disso, quem é mais antigo aqui acompanhando a Coluna do Mais Querido vai notar e perceber a referência no título desse texto. Não é a primeira vez que o rubro-negro revoltado que aqui escreve o usa, e o usa de novo de propósito, tamanha é a repulsa pelo o que esse time é em campo, salvo alguns nomes, e pela diretoria omissa que não entende bulhufas de futebol e que não cobra absolutamente nada desse time acomodado.

Sobre o jogo, o Botafogo precisaria da vitória em cima do Flamengo para chegar na final do Carioca, sendo que o Mais Querido (que nojo) não tinha perdido nenhuma partida pro alvinegro nesse ano. Perdeu ontem, perdeu feio, perdeu rude. Carpeggiani entra com um time cheio de mudanças (?) que só mostraram sua insatisfação frente ao jogo anterior contra o Fluminense, mas TODAS as mudanças do Professor Pardal foram totalmente desastrosas.

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
Ele coloca o Éverton, simplesmente o jogador mais agudo do time, que agride a defesa adversária o tempo todo e uma das principais armas ofensivas rubro-negra - quiçá a principal -, pra coloca-lo na lateral esquerda. Flamengo perdeu muita força ofensiva com essa mexida que, ao meu ver, foi equivocada. Isso para dar oportunidade nos onze iniciais a Vinicius Junior que, aliás, é o artilheiro com 6 gols em 13 jogos. 1 como titular e 5 entrando durante o jogo. O cria da base teve a oportunidade de mostrar que poderia fazer a diferença no time titular do Flamengo, não só pro Carpeggiani mas também pro scout do Real Madrid que estava no Maracanã. Não conseguiu. Arão não mostrou pro que veio, não deu a consistência no meio e nem mostrou ser uma segunda opção ao Diego nas jogadas de meio campo. Outra, se Pará é jogador de futebol eu sou astronauta então. Não dá pra entender a esquizofrenia do treinador rubro-negro que, já tinha visto que Rodinei é uma opção melhor que o camisa 21 do Flamengo, embora não seja lá essas coisas também. Jonas que vinha fazendo boas atuações foi desastroso ontem e Diego continua com a mesma apatia e não joga bola desde 2016, apenas engana eu e você. 

Flamengo encontrou dificuldade de fazer jogadas ofensivas no primeiro tempo todo. Mesmo com Vinicius Junior e Paquetá sumidos do jogo, as pontas eram o melhor escape do time rubro-negro. Entretanto, não surtiu muito efeito. Já o Botafogo, muito organizado e com vontade de ganhar o jogo, abriu o placar. 1 a 0, chegando ao gol enquanto a zaga do Flamengo marcava a distância. O time alvinegro saiu vencendo porque foi mais consistente e mais atento na marcação e na distribuição, além de seu jogo pelos lados ter funcionado. Flamengo se quisesse alguma coisa no segundo tempo precisaria mudar de postura. Time totalmente desorganizado com uma formação não deu certo. Qual treinador no mundo vai testar formação nova numa decisão que vale final de campeonato?

Entraram Cuéllar e Geuvânio no lugar de Jonas e Arão respectivamente e num primeiro momento o Flamengo foi mais intenso e ofereceu mais perigo que o Botafogo que fechou a casinha só esperando uma oportunidade de contra ataque. E foi assim o restante do jogo. O problema é que o time do Flamengo é tão apático e conformado que fica trocando bola na frente da área como se fosse handebol (sem desmerecer os amigos). Toca de um lado pro outro até surgir a oportunidade de? Lançar a bola na área. O time do Flamengo é um samba de uma nota só. Bola alçada na área. 38 no total pro Henrique Dourado conseguir acertar uma na trave. Esse é outro ponto que a gente já vem martelando aqui há quase um ano. Complicado.

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
Marlos Moreno entrou no lugar de Paquetá pra dividir a opinião dos rubro-negros e acabar com qualquer ponta organização - se é que teve - no meio campo e o time começou a tentar o empate na base de "joga todo mundo no ataque e vamos ver o que vai dar". Mas não deu. Poderia empatar o jogo? Poderia mas não teve qualidade nem gana pra isso. Flamengo foi totalmente desorganizado e apático em face a organização do Botafogo. A entrada do atacante colombiano pode ser considerado um ponto positivo, o único aliás, da partida inteira. Não como um todo, mas individualmente mostrou um pouco de disposição pra fazer gol. Não entendo porque o treinador o deixa de fora das partidas, nem relacionando-o.

O que deixa o torcedor Rubro-Negro revoltado é a passividade do Flamengo, a falta de vontade, de raça, de ânsia pela vitória. O que vimos ontem foi uma reversão de expetativa. Todo mundo colocava o Flamengo como franco favorito por ter um elenco mais qualificado e falamos disso aqui no resumo da Taça Guanabara que logo no início fizemos um panorama da pré temporada e das expectativas durante o ano. E o Botafogo provou, com merecimento, que a organização tática faz diferença no futebol. Carpeggiani mexe demais na equipe. Éverton Ribeiro que é a contratação mais cara da história do Flamengo nas últimas duas decisões ficou de fora. Mesmo sendo um sanguessuga dentro de campo, embora nos últimos jogos tenha mostrado um ponto de vontade, o meia tem qualidade e pode fazer a diferença em alguma jogada decisiva.

A eliminação surpreende o torcedor Rubro-Negro, mas o mal futebol do time não surpreende. Flamengo não vem jogando bem, tem um time bagunçado, desorganizado, as ideias do Carpeggiani pro jogo de ontem foram desastrosas. É evidente que a pressão vai aumentar em cima do time e do treinador. Lá no início do campeonato o Flamengo era o time cotado pra estar na final do Carioca. E não está. Não tem essa história de que Carioca não vale nada, porque título e taça sempre vale. Botou a camisa e entrou em campo, é pra ganhar. Temos que aceitar que o time jogou mal demais e o rival foi melhor. Além disso, se a postura do time não mudar, o vexame na Libertadores é certo. Que essa inter temporada de duas semanas sirvam pra tomar vergonha na cara e treinar e evitar nova vergonha na América. Parabéns ao Botafogo, e vida que segue.

Historicamente, o Flamengo é aquele time que se não der na técnica, vai na raça e na vontade. Um time que já teve Rondinelli, o Deus da Raça, envergando o Manto Sagrado não pode ser representado por esse time arame liso. Pra jogar no Flamengo tem que deixar em campo até a última gota de suor e de sangue. Sinceramente, esse é o Flamengo menos Flamengo que já vi.

Não esquecendo, próximo compromisso do Flamengo é contra o Vitória da Bahia no Barradão pela primeira rodada do Brasileirão, no dia 14/04.

No mais, saudações rubro-negras.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.