Header Ads

Taça Rio: quando o Flamengo se contenta apenas em ser grande

Após uma Taça Guanabara tranquila, de campanha iniciada pelos meninos e terminada com tranquilidade pelo elenco principal, a Taça Rio veio para jogar na cara dos flamenguistas a realidade. Temos um excelente elenco, com inúmeros bons jogadores. Mas somos sabotados sempre por um conjunto que não funciona, pela preguiça de fazer fazer mais do que apenas o necessário, e de um diretoria que não tem a menor compreensão do futebol, seus rituais e das coisas que fazem ele valer a pena. Isso tudo demonstrado em cada um dos jogos dessa Taça Rio.

1ºRodada - Flamengo 4 x 0  Madureira

Primeiro jogo após a final da Taça Guanabara, era o último jogo do time principal antes da estréia na Libertadores contra o River Plate. Foi um jogo animador com boas trocas de passes, Paquetá sendo mais uma vez o melhor jogador e um bom jogo para testar Diego Alves, pelo menos nos chites de longe. No final, Vinicius Jr. apareceu só para deixar o dele. 4x0. Mesmo assim, foi um jogo com uma infinidade de gols perdidos.


(Alexandre Cassiano / O Globo )

2º Rodada - Fluminense 4 x 0 Flamengo

O desastre já estava anunciado desde antes do jogo. Somente pelo fato revoltante do Fla-Flu ser em Cuiabá, a escalação de Carpeggiani com três primeiros volantes era desanimadora. O primeiro lance do jogo deve praticamente ter acabado com qualquer esperança que sobrava em Romulo para esse ano. Jogo vergonhoso, no qual tomamos 2 gols de Gilberto. E olha que o Diego Alves ainda pegou bastante. Era para ser lembrado pelo elenco para motivar em jogos posteriores. Mas, assim como nossas últimas derrotas, esse elenco gosta de esquecê-las e atenuar sua gravidade.


( Lucas Merçon / Fluminense F. C. )

3º Rodada - Flamengo 1 x 0 Botafogo

Com um gol impedido aos três minutos de jogo, o Flamengo resolveu sentar em cima da vantagem e controlar o jogo. Perdemos mais uma vez a chance de aplicar uma goleada histórica sobre um rival extremamente frágil. Preferimos tomar um baile tático de um Botafogo tecnicamente muito inferior, que foi muito mais intenso, marcador e que obrigou Diego Alves a fazer uma defesa monumental em cabeçada de Marcelo. Fora as trapalhadas da arbitragem, uma vitória sobre um rival que deixou um gosto de raiva na cabeça dos flamenguistas.

Flamengo x Botafogo

( André Melo / Eleven )

4º Rodada - Flamengo 3 x 0 Boavista

Podendo fazer um jogo espetacular em um estádio cheio para que o torcedor carioca visse seu ídolo de volta, a diretoria do Flamengo quase conseguiu estragar um momento especial. Jogo em Volta Redonda, estádio vazio como sempre, com um time de camisa amarela. Só não conseguiu porque ver Júlio César de novo do Flamengo foi uma das homenagens mais legais do Flamengo nos últimos anos, e porque Paquetá nos brindou com mais um golaço.

Julio Cesar vai encerrar a carreira com a camisa do Flamengo

( Gilvan de Souza / Flamengo )

5º Rodada - Macaé 1 x 0 Flamengo

Em mais um jogo que ficou demonstrada a diferença do time titular para o reserva, ficou clara também a a fragilidade tática do time. Paquetá parecia ter acreditado que merecia uma convocação mesmo e prendia demais a bola tentando plastificar todos os lances. Time bagunçado, um lance com uma leve falha de Diego Alves que foi fatal para a derrota do rubro-negro.


( Gilvan de Souza / Flamengo )

6º Rodada - Flamengo 4 x 0 Portuguesa

Após duas derrotas, a classificação para a semifinal da Taça Rio chegou a ser ameaçada. No entanto, a goleada contra a portuguesa foi mais um jogo típico de estadual. Assim que se abre a porteira, os gols saem. Um penalti salvou Dourado das vaias e no final, Geuvânio entrou e fez dois gols um após o outro e mais uma vez o Flamenguista torce para a recuperação de um dos reforços do ano passado. Dos vários reforços.


( Flamengo / Divulgação )

Semifinal - Flamengo 1 x 1 Fluminense 

Era o jogo da forra. Era jogo pro Flamengo mostrar quem é que manda com o time titular e destroçar um Fluminense taticamente muito inferior. Mas como não valia nada, não nos esforçamos praticamente nada no primeiro tempo e o segundo tempo foi previsível estando atrás do placar. O Flamengo martela de tudo que é jeito, não consegue entrar na defesa do flu até que Everton (sempre ele) faz um golaço. Mais uma vez provada a fragilidade do Flamengo na transição defensiva, que passou mal com a velocidade dos garotos tricolores. E sim, Diego, foi uma derrota.



( Fluminense F. C.)

O saldo dessa Taça Rio foi mais uma vez demonstrar que o Flamengo se recusa a ser gigante. Era um campeonato para demonstrar o abismo entre si e seus rivais, e atropelar todos eles. Mas nos contemos em apenas vencer, sem precisar dar show ou esmagar os adversários. E esse contentamento nos levou a eliminação. Vamos ter que jogar um jogo a mais desse campeonato hoje já meio sem sentido e aguardemos a semi-final desta quarta-feira.

No mais,
Saudações rubro-negras.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.