Header Ads

Os refletores tentaram avisar


Fala nação azul, ontem foi um daqueles dias em que tudo deu errado, literalmente. Vamos começar falando do refletor, certo? Que tentou nos dar uma segunda chance, mostrando que o jogo iria ser algo difícil de assistir, porém ignoramos os sinais que a vida nos ofereceu e com isso estamos aqui fazendo aquela velha e boa resenha de uma derrota amarga.

Na teoria os objetivos cruzeirenses seriam paralisar o Brasileirão na parte de cima da tabela, não perder o líder de vista e tentar lutar em uma competição que também queremos conquistar, tudo bem, que esses últimos jogos não refletem tudo o que podemos fazer, conseguimos sentir que o time está cansado ou com preguiça? Melhor pensar que seja cansaço.

E visando esse cenário todo, o tropeço contra a Chapecoense não é assustador, o que é inaceitável é empatar dentro de casa com o Vasco, aumentando a obrigação dos jogadores de ganhar do Paraná.


Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Sobre o jogo, seria capaz de resumir a partida em apenas algumas palavras: merecemos perder. Fomos inconstantes, apáticos, desmotivados, a Raposa conseguiu manter a retranca por um bom tempo, mas estava faltando aquele jogador para colocar velocidade e furar a marcação do adversário, a Chapecoense, que por sinal criou boas oportunidades de abrir o placar, apesar de tudo ou talvez por causa de tudo foi um primeiro tempo equilibrados.

Porém, lembram aquele comentário do início do texto: “ontem foi um daqueles dias que tudo deu errado”, agora irá começar a fazer sentido. Só na etapa final perdemos o Sassá lesionado, Thiago Neves com dor e ainda por cima levamos um gol de mão que passou a ser legal? Por um momento pensei que Bruno Silva, jogador da Chape estava jogando vôlei.

Tudo bem, nada justifica o gol irregular do jogador, mas a pergunta que não quer calar, onde estavam os nossos jogadores para marcar Bruno Silva, e porque deram tanto espaço para finalizar a jogada? Acorda, Cruzeiro.

E para finalizar, o segundo gol da Chape, serviu apenas para mostrar quem de fato merecia ganhar e cravar a nossa postura no jogo de ontem. Qual seria a solução? Correr atrás do prejuízo, não existe outra opção, até porque são erros e partidas como essa que vão custar caro daqui para frente. E como sempre digo: Pelo Cruzeiro tudo, da-lhe Cruzeiro.

Paula Fernandes /@Paulinha_CEC


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.