Header Ads

E todo esse caminho eu sei de cor

OFoto: José Tramontin / Operário-PR.

A situação do Vila Nova é caótica e a cada jogo ela se complica mais. O Tigrão foi até Ponta Grossa onde enfrentou o Operário. Em caso de derrota o Tigre poderia entrar na zona de rebaixamento após um longo tempo fugindo dela, foi o que aconteceu. O Z-4 persegue o Vila Nova. A equipe foi derrotada por 1x0 e pode entrar na zona de rebaixamento neste sábado em caso de vitórias do São Bento, Guarani ou Criciúma. 

O time me lembra bem a equipe de 2014, sem reação, sem vontade e sem técnica nenhuma de jogo. Uma vergonha total em campo e também fora dele, muito parecido com o que foi visto naquele ano. Não é só falta de comprometimento por parte dos atletas, muito mais é por parte da diretoria. É algo bem parecido com o que aconteceu entre os anos de 2010 e 2014 quando o Vila viveu quedas eminentes para a Série C. Esse filme não me é estranho. 

O Vila Nova hoje tem a maior folha da história do clube e com investimentos maiores. Mas qual o efeito disso em campo? O reflexo da má administração atualmente vem sendo visto dentro das quatros linha quando o Vila Nova vai a campo, o futebol pífio é notável. 

O que mais envergonha o torcedor e que após anos lutando por um quase acesso, o clube volta aos seus tempos de vacas magras. Onde sua briga maior não é contra o rebaixamento e sim contra o próprio ego de alguns dirigentes. O problema do Vila Nova está longe de ser solucionado, o rolo de contas só aumenta e o Tigre morrerá engasgado com ele. 

O Jogo

A equipe comandada por Marcelo Cabo foi a campo com duas mudanças, Alan Mineiro entrou na vaga de Mateus Anderson e Magno herdou a vaga de Neto Moura. As mudanças foram apenas só de jogadores e não de postura. No futebol, o Vila Nova continuou apático. 

Tivemos um primeiro tempo sem muitas chances para os dois lados. Só aos 22 minutos a primeira chance real surgiu, Cleyton cobrou falta e Lázaro desviou por cima do gol. Aos 27 minutos em uma bola cruzada para a área, o volante Índio pegou de primeira a bola passou por cima do gol defendido por Rafael Santos. O Vila Nova se quer ameaçou o gol de Rodrigo Viana. 

De volta para o segundo tempo, os donos da casa voltou em busca do gol e foi o que aconteceu. Aos 06’ minutos da etapa final em cobrança de escanteio de Danilo Baía, Lázaro subiu mais alto que todo mundo para cabecear a bola morreu no fundo das redes, 1x0 Operário. Lei do ex no Germano Krüger. 

Aos 28 minutos, o Tigrão teve um lance duvidoso ao seu favor. Rodrigo Viana rebateu a bola, que sobrou para Robinho que foi derrubado dentro da área, mas o árbitro mandou seguir o lance. Pênalti claro. 

A partida ficou por isso mesmo, a equipe de Marcelo Cabo não conseguiu reagir em campo e foi novamente derrotado. Com 15 pontos o Tigre se ver mais ameaçado do que nunca pela zona de rebaixamento, correndo o grande risco de entrar e não sair mais de lá. 

O problema da equipe está mais em baixo, a culpa foi colocada em Eduardo Baptista assim como está sendo colocada em Marcelo Cabo, porém todos sabem de quem é a real culpa desse fracasso. O fracasso no qual tem nome, sobrenome e recebe bem. Chega de tanto desastre, o Vila Nova precisa respirar e sua história precisa ser novamente escrita.

#ReageTigrão 

@ariannysanntos

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.