Header Ads

Primeiro capítulo: batalha no "Tito" vencida

E foi assim que terminou a batalha no "Tito", aos 86 minutos, quando Kaio Jorge se aproveitou de uma sorte digna de noite iluminada, brigou com a defesa e viu uma bola sobrar pra ele frente a frente com o goleiro Unsain. A cena final que coroou quem esperou, a cena da recompensa que lavou a alma da torcida santista e deu fôlego para o técnico Jesualdo Ferreira no cargo. O primeiro gol do menino da vila pelo profissional e, com certeza, o gol mais importante do ano até aqui.

Kaio Jorge comemorando o gol que deu a vitória ao Santos sobre o Defensa y Justicia. Por: Reprodução.

Vocês não devem estar entendendo muita coisa, não é? uma introdução que começa pelo final, essa história de "capítulo", "batalha no Tito", que grande baboseira é essa? Fica aqui comigo que eu te explico. 

Então, vou explicar do começo. Essa é uma história sobre o Santos na Libertadores 2020 e o primeiro capítulo dela aconteceu na Argentina, mais precisamente no estádio Norberto "Tito" Tomaghello, conhecido apenas como "Tito". 

A partida começou com o Defensa ditando o ritmo da partida ao seu estilo característico de posse de bola, trocando passes e levando perigoso com seu principal jogador, o camisa 10 Neri Cardoso.

Já o Santos vinha atuando em um misto de Sampaoli com Jesualdo (há rumores de que antes da partida os jogadores decidiram ignorar algumas ordens do atual treinador e jogar como no ano passado); hora marcava pressão, hora marcava atrás da linha de meio campo. Hora construía jogadas tentando manter a posse e hora tentava chegar ao gol adversário com poucos toques. Uma verdadeira salada de frutas tática.

O primeiro gol da partida foi marcado por J.G Rodriguez, zagueiro argentino dos donos de casa, aos 45 do primeiro tempo. O peixe foi ao intervalo com uma tarefa muito difícil, virar um placar desfavorável, na casa do adversário. 

Jesualdo Ferreira concertou no segundo tempo sua pífia escalação. Colocou Jobson no lugar de Evandro e Kaio Jorge no lugar de Yuri Alberto. A formação que estava desestruturada se estruturou. Jobson e Pituca formaram uma dupla de volantes e Carlos Sanchez assumiu definitivamente a função de meia armador à frente dos dois. 

Soteldo e Sanchez são, desde o ano passado, os craques do Santos FC. É muito difícil segurar quando os dois estão inspirados, e nesta guerra na Argentina eles decidiram!

Soteldo fez linda jogada aos 72 minutos e cruzou para Jobson marcar seu primeiro gol com a camisa do Santos. E quando os torcedores do Santos já pediam aos céus para que terminasse a partida, quando o 1 ponto parecia 3, a recompensa de todo esforço coletivo chegou: Soteldo e Kaio Jorge se envolveram em um "bate-rebate" no meio do campo com 5 jogadores do Defensa y Justicia ( entre eles os dois zagueiro) e a bola sobrou pra Kaio...

Kaio Jorge então, naquela cena que conclui um roteiro de dar inveja à Tarantino e George Lucas, se viu frente a frente com Unsain e vocês sabem o que aconteceu.

A vitória, como eu disse antes, deu um alívio completo para Jesualdo e sua comissão. Três pontos muito maiores do que a exibição, mas é Libertadores e aqui o racional não tem muito valor. 

Aguarde o segundo capítulo.

Vêm ai... 
Santos x Delfín: O retorno para o palco principal.

Por: Gabriel Ferraz/ @_vsferraz

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.