Header Ads

Em jogo apertado, Uruguai perde para Argentina

Na noite desta quarta, o Uruguai sofreu um duro viés contra a Argentina. A derrota evidenciou problemas graves da equipe e que dificilmente será solucionado, o time agora vai para última rodada precisando a vitória contra o traiçoeiro Paraguai, que já conseguiu arrancar pontos da Argentina. O time mostrou que sente demais a falta de Suárez, peça fundamental da celeste olímpica.


A partida começou com os hermanos tomando conta do jogo. Com posse de bola e triangulações no meio campo, a Argentina ia buscando infiltrar-se na defesa uruguaia, porém usando pouco as laterais do campo. Messi e Di Maria se movimentavam e entravam em diagonal, mas faltava cobertura ofensiva para vencer a marcação celeste. O Uruguai se compactou com duas linhas de quatro para tentar negar espaços ao adversário, e deixava Lodeiro encarregado de marcar Mascherano, na saída de bola. Uma espécie de 4-4-1-1 que era bastante mutável, de acordo com a fase do jogo.

Messi foi vigiado durante os 90 minutos.
O time era pouco criativo e não teve reais chances de gol durante a primeira etapa. Tentavam roubar a bola dentro do seu campo, tentando quebrar linhas de passe e com alguns duelos individuais, como por exemplo, Álvaro Pereira vs Messi. Quando conseguia recuperar a bola, fato que ocorreu poucas vezes, o time utilizava a bola longa, que até alcançava Cavani, mas que sozinho, pouco fazia. Mascherano passou a fazer a função de zagueiro na saída de bola, o que dificultou ainda mais a marcação uruguaia. Primeiro tempo com superioridade argentina que não se resumiu em gols.

Muslera foi muito bem durante o jogo. Seguro.
Já no segundo tempo os espaços foram aparecendo. Com a Argentina em busca da vitória, seu meio campo passou a criar mais e marcar menos. Pastore passou a se movimentar e achar espaço, confundindo a marcação uruguaia. Messi chamou a responsabilidade e sofreu com duras faltas. Os espaços desejados por Tabárez começaram a surgir, o problema é que o time uruguaio não soube aproveitá-los.

Em muitos contra-ataques, os jogadores seguraram demais a bola e não souberam olhar o espaço de jogo ao redor, escolhendo o drible (que não deram certos) e jogadores marcados ao invés de virar o jogo, encontrando jogadores desmarcados em espaços vazios. Quando pareciam que iam escolher a opção certa, apelavam pra bola longa ou chutes despretensiosos. Zabaleta conseguiu achar um espaço na defesa uruguaia, e Aguero finalizou de cabeça. A partir daí a celeste sentiu o gol, até tentou pressionar no abafa, mas sem obter sucesso.

Letal. Cirúrgico.
Jogando a vida contra o Paraguai, a equipe vai ter que se soltar mais e marcar menos, o que parece bem improvável. Vamos esperar o que Tabárez vai tirar da cartola, agora, é uma missão complicadíssima. Só a vitória interessa!

AVANTE, CELESTE!

@gabrielantony_ || Gabriel Antony


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.