Header Ads

LUTO! Por um Futebol limpo e honesto


Quanto vale o futebol? Quanto vale ir dormir pensando no dia seguinte que seu time entrará em campo pra jogar bola? Quanto vale acordar cedo na expectativa? Quanto vale sair de casa com antecedência, com grupo de amigos pra chegar cedo e gritar ao mundo que você é torcedor? E finalmente, quanto vale assistir seu time ser descaradamente prejudicado por erros infantis de arbitragem ou o rival direto ser beneficiado com mesmos erros?

O Futebol, assim como a política e gestão do Brasil respiram com a ajuda de aparelhos e não há desfibrilador apto a salvá-lo em caso de morte instantânea.

Primeiramente, essa análise que será posta nesse texto não diz respeito a um campeonato apenas, não diz respeito a um time apenas, diz respeito a todos que já se sentiram impotentes diante do que se diz "arbitragem". Não se ofenda se você é do time sempre beneficiado, aliás se você sabe disso comprova o problema que enfrentamos.

Nas últimas rodadas do primeiro turno do Brasileiro 2015 os torcedores viram a olho nu como a parcialidade influencia em um jogo. E sentiram na pele como é ver uma atrocidade e não poder fazer absolutamente nada. A última recomendação aos juízes era que qualquer bola na mão dentro da área seria pênalti. Simples assim. Não que seu concorde, creio em diversos fatores que devem ser considerados no lance concreto para se definir se há ou não a infração. Pênalti é coisa séria. A probabilidade de gol é altíssima e errar é exceção. Pois bem, somente com essa recomendação tivemos no mínimo três lances polêmicos entre os jogos. No primeiro o jogador corintiano espalma a bola com as mãos dentro da sua área no jogo contra o São Paulo. pênalti não marcado, Corinthians vence. No segundo, em jogo até então empatado, jogador do Sport em um carrinho toca a bola na área, pênalti marcado, Corinthians vence. E no terceiro, Léo Silva do Atlético MG chuta e a bola pega nas mãos do zagueiro gremista, pênalti não marcado, Corinthians assume a liderança do campeonato. Qual a semelhança entre os lances? Todos foram bola na mão. Qual a diferença? Só foram marcados aqueles que beneficiariam o time Paulista. E isso é só a ponta de um iceberg.

Normal? Sim. Justo? Não. Alguns dizem que isso depende da interpretação de cada juiz, que não há como isso ser determinado. Mas como assim? Na instância judicial dos processos comuns os juízes também têm decisões divergentes e por isso existem instâncias superiores que determinam o entendimento comum. O processo sobe, é revisto, se aplicam súmulas ou entendimentos majoritários até a decisão original se transformar quando necessário. Mas e a justiça Desportiva? Bem se sabe que pontos por erros em campo de arbitragem não são recuperados, o juízo é soberano! Esperem, se o juízo é soberano, como a Portuguesa caiu no lugar do Fluminense? Se o juízo é soberano, como o América MG perdeu pontos e consequentemente o acesso e outros clubes de mais expressão que também escalaram jogadores irregulares foram julgados "inocentes"? Então calma, a recomendação só vale para alguns clubes? A soberania em campo só vale para alguns clubes? Quem nunca teve um resultado modificado por má arbitragem ou pelo Tribunal Desportivo que atire a primeira pedra.

É óbvio que o time tem que fazer sua parte também se quiser levantar os canecos. Mas caramba! Nenhum time é perfeito sempre! Tem dia que simplesmente não é dia. Tem dia que um empate é sim comemorado, que o atacante não se inspira, que a zaga falha ou que o meio não funciona. Isso acontece com todos! A diferença é que alguns clubes não se encontram em alguns jogos e mesmo assim saem com a vitória, mesmo assim levam os três pontos com auxílio maroto da arbitragem. Como competir com isso? Se fosse uma, duas vezes, dava pra chamar de ordinária ironia do destino, mas sempre!? Prefiro chamar de ordinária falta de honestidade.

O Brasil amadurece politicamente. Mesmo a passos curtos. O cidadão passou a enxergar o mal da corrupção, a querer viver em um país mais justo e igualitário. E talvez também seja hora de ser revista a estrutura nacional do Desporto. A CBF é uma instituição moralmente falida. Não se confia, não há como depositarmos a medida da nossa paixão nas mãos de uma instituição sem alma, que não preze pela honestidade. O cidadão cansou. O torcedor cansou. O futebol está em queda livre e uma hora ou outra, alcançará o chão com velocidade tão alta que nada será capaz de pará-lo.

Os escândalos já começam a aparecer. E todos os times têm teto de vidro, não se exime da corrupção sem uma análise profunda de todos os anos desde a criação. Mas alguns times têm históricos absurdos de ajuda extracampo. Não é uma fama da qual se deva orgulhar. É suja. Mas traz títulos, traz "história"... por isso não é de ser admirar que declarações como "roubado é mais gostoso" sejam ditas com orgulho e naturalidade, O "jeitinho brasileiro" não vem mais sendo suficiente  na política e espero que não seja mais um dia no futebol.

Somente uma revolução séria dentro da arcaica estrutura será capaz de limpar o nome do futebol brasileiro e somente uma atitude de influentes limpos será capaz  de dar início a isso. Futebol é dinheiro e onde há dinheiro há corrupção, pelo menos no nosso país. E quem não acredita nisso vive um conto de fadas e crê em unicórnios. Isonomia não é utopia! Deveria estar ao alcance de nossa mãos. Mas não, no meio do caminho tinha um apito, no meio do caminho tinha dinheiro, no meio do caminho tinha e tem uma pedra tão pesada que nunca sequer foi movida.

Bom, berrar não adianta. Mostrar indignação também não. Protestar em campo gera multa ao seu time. Então o que fazer quando seu clube é roubado em campo? Quando você não é o destinatário final e FIEL de toda a ajuda? Quando você dorme e acorda pensando nas cores que carrega no peito e vive isso, e chega ao campo pra ver o motivo do seu orgulho ser destruído por erros? Te digo o que fazer. Primeiro continue a berrar, porque calar também não adianta. Segundo, respire fundo, conte até 10 e se pergunte, Quanto vale o futebol?

Porque a cada dia essa resposta vai ser tornando mais insuficiente e inverídica na minha mente. Uma mentira dita mil vezes não é uma verdade, é uma falácia gigante em que você mesmo se faz acreditar até o momento que ela cai como chumbo na sua cabeça e te faz ver a realidade. O futebol está morrendo.

Entre devaneios e verdades a única certeza é a de que amanhã você será roubado outra vez. Talvez até tenha um erro a seu favor, mas um erro de verdade, porque infelizmente errar ainda é humano. O nosso esporte respira com ajuda de aparelhos... e a energia que alimenta esses aparelhos está cada vez mais escassa. Porque essa energia, mesmo que não saibam é de CADA TORCEDOR, DE CADA TIME!  A CBF não é a mandante maior do futebol no Brasil, nós somos, é você que vai a campo, que é sócio torcedor, que compra a camisa, a chuteira, que consome os produtos dos patrocinadores dos campeonatos, é você que move os milhões, pena não sabermos lidar com isso. Porque é o que nos legitima a acreditar em um futebol limpo, em algo em que valha a pena crer. Porque amanhá você vai sair de casa, vai pegar sua camisa, vai torcer, vai ser roubado, vai ser chatear, vai voltar, em um ciclo sem fim. Por hora, grite para que seu time jogue muita, mas muita bola, torça pelo gol e reze. Porque é só isso que dá pra fazer.

Saudações.
E Boa Sorte.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.