Header Ads

Em confronto direto América e Vitória empatam e somam um ponto cada

Foto: ECVitoria / Divulgação
Um América-MG bastante desfalcado encarou um Vitória motivado e completo em busca de seu primeiro triunfo na Série A. Equipes que nesse momento brigam na parte de baixo da tabela, e que subiram juntas da Série B em 2015, fizeram uma espécie de jogo de confronto direto valendo seis pontos. Mas não foi dessa vez ainda que o torcedor do Coelho comemorou três pontos. Quanto ao Vitória de Mancini, mostrou evolução tática e um novo padrão de jogo, mas o que sobrou em obediência tática faltou em ousadia e vontade de vencer.

RESUMO

Mancini colocou um Vitória para jogar de forma reativa sem a bola no chamado contra-ataque, mas não de forma tão direta, pois quando recuperava a bola, o time parecia não ter treinado a forma mais correta de praticar a reação: se agrupados e em bloco, trocando passes curtos e com jogo posicional; se com lançamentos longos; ou com transição rápida em arrancadas e cruzamentos limpos na área.

O Vitória que entrou no 4-4-2 com linhas quando sem a bola, teve outros tipos de variações quando com a bola ontem, pela característica de Tiago Real ser diferente da de Vander. O meia apareceu muito mais na faixa central do campo para tentar organizar jogadas, mas saiu lesionado para a entrada de Dagoberto.

Dagoberto que é atacante de origem entrou bem, com boas puxadas de contra-ataque e querendo jogo. Mas na parte tática do time só recompõe até o segundo terço do campo enquanto a linha estiver alta por ali, como também não faz perseguição ao oponente que estiver no seu setor quando é deixado para trás, isso sobrecarrega a defesa, mas não tão evidente ontem, pela fragilidade técnica do adversário.

A luta do time de Mancini após ter sofrido o gol, foi à mesma demonstrada contra o Corinthians e a Lusa. Esses jogadores precisam atuar com a obediência tática de ontem e com o posicionamento acertado que fizeram, mas com a vontade de ganhar e fazer gols que demonstra quando leva um gol.

Perdemos a oportunidade de fazer nossos primeiros três pontos fora de casa. Não pelo jogo, que foi igual e duro. Mas sim pelo oponente que esteve meio combalido ontem, e não tem força de torcida dentro dos seus domínios.

Mas Mancini hoje tem uma meta para ser seguido nos treinos, aliar a obediência tática da forma reativa do 4-4-2, com o jogo direto do 4-2-1-3, trabalhando situações de contra-ataque, cobrando intensidade de jogo aos seus atletas, a outros especificamente que sejam mais incisivos e acima de tudo, finalizar mais, arriscar mais os chutes a gol. O América provou que só faz gol quem chuta.

Entendo que esses foram os principais fatores a se destacar no jogo de ontem, claro que tivemos falhas individuais que estão ocorrendo exageradamente, é preciso que o individual de alguns atletas volte a crescer, como Ramon que apesar de duas ou três pixotadas, foi mais regular ontem.

As transições ainda carecem de uma maior dinâmica, mas ontem sofremos menos com isso por estarmos mais agrupados.

Penso que o lance de gol do Coelho é um chute defensável, não quero dizer aqui que houve falha de Fernando Miguel, mas não foi uma finalização sem chances não. Tanto que ele defendeu bolas no mesmo jogo com grau de dificuldade maior e terminou sendo um dos destaques.

Quanto à direção do clube, deixo aqui um apelo. Reforce esse elenco o quanto antes, ontem já perdeu no mínimo mais dois jogadores para um jogo complicado no domingo, mais uma batalha.

Não sabemos até quando vai funcionar Kieza. Marinho ontem já foi bem abaixo e vive se queixando de lesões. Norberto foi expulso e teremos que improvisar novamente? Mês de maio praticamente se foi.

Sr Manoel Matos, já deu velho.

É isso aí galera!

Seja Sócio SMV!

É isso aí galera!

Por @AdsonPiedade

FICHA DO JOGO
AMÉRICA 1 X 1 VITÓRIA

Estádio: Arena Independência, em Belo Horizonte
Motivo: 3ª rodada do Campeonato Brasileiro
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Júnior (PE)
Auxiliares: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Gols: Victor Rangel, aos 28 minutos do 2º tempo (América); Kieza, aos 39 minutos do 2º tempo (Vitória).
Público: 1.318
Renda: R$ 21.825

Cartões amarelos: Rafael Bastos, Hélder, Artur, Tiago Luís (América); Victor Ramos, Norberto (Vitória).
Cartão vermelho: Norberto (Vitória).

AMÉRICA
João Ricardo; Hélder, Alison (Artur), Sueliton e Danilo; Leandro Guerreiro, Claudinei, Xavier, Rafael Bastos (William Barbio) e Tiago Luís (Ernandes); Victor Rangel. Técnico: Givanildo Oliveira

VITÓRIA
Fernando Miguel; Norberto, Victor Ramos, Ramon e Diego Renan; Amaral, Willian Farias, Leandro Domingues (Euller) e Tiago Real (Dagoberto); Marinho (Alípio) e Kieza. Técnico: Vagner Mancini

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.