Header Ads

Guia da Eurocopa - Grupo F

A Eurocopa está próxima e só no Linha de Fundo você vai acompanhar tudo da competição de seleções mais badaladas do continente europeu. Chegamos ao último grupo do torneio e agora vamos conhecer um pouco mais das seleções de Portugal, Islândia, Áustria e Hungria. Vamos lá?


PORTUGAL:

A seleção portuguesa vem pra edição de 2016 da Eurocopa sonhando com o título inédito, apesar de uma campanha ridícula na Copa do Mundo do Rio, Portugal quer sagrar-se campeã pela primeira vez do torneio e com isso Fernando Santos e todos os portugueses contam com a estrela de Cristiano Ronaldo, para que CR7 possa enfim vencer e jogar o que sabe pela seleção nacional tal como joga no Real Madrid.


A seleção portuguesa desde 1996 participa da fase final da Euro, nessas recentes participações classificou-se sempre para as quartas de final pelo menos. Nessas cinco últimas edições duas vezes Portugal parou nas quartas duas vezes (1996 eliminada pela República Tcheca; 2008 pela Alemanha), duas vezes na semi (2000 eliminada pela França; 2012 pela Espanha) e em 2004 quando os portugueses sediaram o torneio, liderados por Figo, Rui Costa e Pauleta, os lusos perderam o título da Euro jogando em casa diante da Grécia.

O que altera a seleção portuguesa desta edição para a última em 2012, é a que desta vez o treinador Fernando Santos decidiu apostar em algumas caras novas e ausência de alguns medalhões. Desta vez teremos a ausência de alguns nomes que recentemente vinham aparecendo nas convocações como Miguel Veloso, Hugo Almeida, Helder Postiga, Raúl Meirelles ao invés disso João Mário, Renato Sanches, Cédric William Carvalho e Rafa Silva estão presentes. Novos talentos de Portugal que terão chances na Euro 2016 ao lado dos experientes Ricardo Carvalho, Cristiano Ronaldo, Ricardo Quaresma e Nani.

Principal jogador de Portugal:


Cristiano Ronaldo há muito precisa mostrar seu valor na seleção, que já demonstrou no Real Madrid. É necessário mais do Cristiano Ronaldo que eliminou a Suécia praticamente sozinho nos playoffs da Copa 2014, é necessário constantemente. CR7 é um dos principais jogadores do mundo, há anos sucessivos entre os três melhores, ele precisa demonstrar seu valor em anos de competições com a seleção portuguesa também.

Há uma variante positiva para o gajo e para todos os portugueses que acreditam no futebol do atacante, desta vez não há lesão, pelo menos até a hora da postagem deste guia. O camisa 7 e capitão da seleção lusa está 100%, diferente de quando aconteceu o mundial no Brasil, onde ele jogou mas estava claramente longe da forma ideal, devido a lesão que inclusive sentiu na final da Champions League do mesmo ano. Os portugueses querem que a expectativa que se Cristiano Ronaldo como internacional de melhor do mundo, deixe de ser meramente uma expectativa e que seja unânime em Portugal. E para isso, CR7 precisa ser responsável por uma grande conquista como protagonista da Seleção Nacional. 

Goleiros: Rui Patrício (Sporting), Eduardo (Dínamo Zagreb-CRO) e Anthony Lopes (Lyon-FRA);

Laterais: Cédric (Southampton-ING), Vieirinha (Wolfsburg-ALE), Eliseu (Benfica) e Raphäel Guerreiro (Lorient-FRA);

Zagueiros: Pepe (Real Madrid-ESP), Bruno Alves (Fenerbahçe-TUR), José Fonte (Southampton-ING) e Ricardo Carvalho (Mônaco-FRA);

Volantes: Danilo Pereira (Porto), William Carvalho (Sporting), Renato Sanches (Benfica) e André Gomes (Valência-ESP)

Meias: Adrien Silva (Sporting), João Moutinho (Mônaco-FRA), João Mário (Sporting) e Rafa Silva (Braga);

Atacantes: Cristiano Ronaldo (Real Madrid-ESP), Ricardo Quaresma (Besiktas-TUR), Nani (Sporting) e Éder (Lille-FRA).

Expectativa para Portugal:

A expectativa para a seleção portuguesa é de que ela não tenha dificuldades para passar da fase de grupos e que eles consigam também surpreender no mata-mata para tentar o título da Euro.

ISLÂNDIA:

A seleção Islandesa é a grande surpresa da Eurocopa 2016. Os ‘Nossos Garotos’, como são conhecidos, desbancaram seleções tradicionais europeias e conquistaram a vaga inédita para o torneio. A seleção conquistou a classificação automática após terminar a fase classificatória em 2º lugar no grupo A, desbancando Holanda e Turquia, e só perdendo a liderança para a República Tcheca na última rodada.


A seleção caiu no grupo ‘F’ e junto com os ‘Nossos Garotos’ estão Portugal, Áustria e Hungria. Após a boa campanha realizada nas eliminatórias do torneio, a expectativa é que a Islândia consiga, pelo menos, a classificação para as oitavas de final, brigando principalmente com Portugal e Áustria pela 1ª e 2ª posição e com a Hungria correndo por fora.

O treinador sueco Lars Lagerback, 67, que anunciou sua aposentadoria após a Euro, já divulgou os 23 nomes finais para a disputa do torneio. A grande surpresa é a presença do veterano Eidur Gudjohnsen. O jogador marcou época no Chelsea, onde conquistou duas Premier League (04-05 e 05-06) e depois no Barcelona, onde conquistou a Champions League (08-09), está com 37 anos e atualmente defende o Molde FK, da Noruega.

Principal jogador da Islândia:


O grande destaque da seleção, além de Gudjohnsen, é o meio campista Gylfi Sigurdsson, jogador do Swansea City do País de Gales. O meia, que forma boa dupla com Aron Gunnarsson, é a principal arma de criação do time de Lagerback.

Goleiros: Hannes Þór Halldórsson, Ögmundur Kristinsson e Ingvar Jónsson

Defensores: Birkir Már Sævarsson (D), Ragnar Sigurðsson (D), Kári Árnason (D), Ari Freyr Skúlason (D),Haukur Heiðar Hauksson (D), Hörður B. Magnússon (D), Sverrir Ingi Ingason (D), Hjörtur Hermannsson (D).

Meias: Aron Einar Gunnarsson, Emil Hallfreðsson, Birkir Bjarnason, Jóhann Berg Guðmundsson, Gylfi Þór Sigurðsson, Ólafur Ingi Skúlason, Theódór Elmar Bjarnason, Arnór Ingvi Traustason, Rúnar Már Sigurjónsson.

Atacantes: Kolbeinn Sigþórsson, Alfreð Finnbogason, Jón Daði Böðvarsson, Eiður Smári Guðjohnsen.

Expectativa para a Islândia:

A tarefa do time da Islândia é complicada, pois ela é cotada para ser umas das eliminadas logo na fase de grupos da competição. A equipe vai ter que dar o sangue e alma em campo para conseguir a classificação.

ÁUSTRIA:

Adormecida por muitos anos, a tradicional seleção austríaca quer ser mais do que mera figurante na Eurocopa 2016. Com qualidade técnica e recuperando características do passado, a Áustria chega à competição sonhando em continuar sua evolução.


Essa é a primeira vez que a Áustria participa de uma Eurocopa por mérito próprio. Em 2008, sua estreia na competição e quando caiu logo na fase de grupos, a equipe não precisou jogar as eliminatórias por ser co-sede do torneio. Graças a esse feito e ao fato que os austríacos tiveram a segunda melhor campanha da fase classificatória, atrás apenas da Inglaterra, é possível dizer que chegar à Eurocopa foi um grande feito dessa seleção.

Na convocação, o treinador Marcel Koller ainda terá que dispensar mais um jogador, já que chamou 24 para os amistosos antes da Euro e apenas 23 podem estar na equipe que irá para a França.

Convocados:

Goleiros: Robert Almer (Austria Viena), Heinz Lindner (Eintracht Frankfurt – Alemanha) e Ramazan Ozcan (Ingolstadt 04 – Alemanha).

Defensores: Aleksandar Dragovic (D. Kiev – Ucrânia), David Alaba (Bayern Munique – Alemanha), Florian Klein (Estugarda – Alemanha), Gyorgy Garics (Darmstadt 98 – Alemanha), Martin Hinteregger (Borussia Moenchengladbach – Alemanha), Christian Fuchs (Leicester City – Inglaterra), Kevin Wimmer (Tottenham Hotspurs – Inglaterra) e Sebastian Prodl (Watford – Inglaterra).

Meio-campo: Valentino Lazaro (Red Bull Salzburg), Jakob Jantscher (Lucerna – Suíça), Marcel Sabitzer e Stefan Ilsanker (Leipzig – Alemanha), Julian Baumgartlinger (Mainz 05 – Alemanha), Markus Suttner (Ingolstadt 04 – Alemanha) e Zlatko Junuzovic (Werder Bremen – Alemanha).

Ataque: Alessandro Schopf (Schalke 04 – Alemanha), Lukas Hinterseer (Ingolstadt – Alemanha), Martin Harnik (Estugarda – Alemanha), Rubin Okotie (TSV 1860 Munique – Alemanha), Marc Janko (Basileia – Suíça) e Marko Arnaurovic (Stoke City – Inglaterra).

rincipal jogador da Áustria:


O jogador do Bayern de Munique é a principal arma defensiva da Áustria. Versátil e com muita habilidade, David Alaba pode jogar de lateral esquerdo, volante ou até zagueiro se necessário. Aos 23 anos, Alaba foi eleito por cinco vezes o Melhor Jogador Austríaco do Ano e participará de uma Eurocopa pela primeira vez na carreira. É uma boa chance de brilhar ao lado de companheiros mais experientes.

Expectativa para a Áustria:

Os austríacos chegam à França com altas expectativas. Graças ao bom desempenho nas Eliminatórias, a seleção poderá sonhar com um desempenho diferente do apresentado na última Eurocopa e, quem sabe, passar até da fase de grupos como melhor terceiro colocado.

HUNGRIA:

Uma das maiores seleções que o mundo viu está novamente numa Eurocopa. A Hungria dessa vez será uma coadjuvante esquecida, pois, aquela seleção da década de 50 ficou pra trás, e hoje não chega aos pés da qual encantou o mundo. Craques como Grosics, Czibor, Kocsis, Hidegkuti, Bozsik e Budai eram comandados pela sua estrela, Puskás. (mais informações sobre: Seleção de Ouro - Hungria de 54 Especial).


Está será a terceira participação da Hungria em Eurocopa. A primeira foi um sucesso para a época, um terceiro lugar veio bem para o time que acabara de perder jogadores extraordinários. A segunda participação retornou um quarto lugar para os Húngaros, uma posição até então digna de orgulho.

Uma das Estrelas recentes da Hungria, Miki Feher, faleceu em campo quando disputava uma partida da sua equipe Benfica, contra o Vitoria Guimarães. Feher retardou um lateral adversário, após o arbitro mostrar-lhe o cartão amarelo, Feher passou mal e desabou, falecendo em campo.

Principal jogador da Hungria: 


Revelado pelo Debrecen, Dzsudzsák era tido como um dos craques da geração que surgia, e tinham razão. Em 2008 se transferiu para o PSV, da Holanda onde se consagrou, marcou 44G em 144J. Dzsudzsák passou pelas seleções de base da Hungria até chegar ao profissional em 2007. Ponta de origem, Dzsudzsák é a estrela dessa seleção convocada para a Eurocopa, da França. Fez sua estreia na seleção em 2007, num jogo contra a Grécia. Hoje aos 29 anos e em atividade a 12, o atacante é um dos principais nomes do seu atual time, o Bursaspor da Turquia, e também o principal nome da seleção húngara.

Expectativa para a Hungria:

Em um grupo não tão disputado, a Hungria tem chances sim de classificação, tentará um segundo lugar, ou até mesmo uma das melhores colocadas na terceira posição. Seleções como Portugal, Islândia e Áustria, vão vir com força total para enfrentar a Seleção de Ouro.

Jogos - Grupo F:

1ª rodada:

Áustria x Hungria - Stade De Bourdeaux - (14/06) - 14h
Portugal x Islândia - Geoffroy Guichard - (14/06) - 17h

2ª rodada:

Islândia x Hungria - Velódrome - (18/06) - 14h
Portugal x Áustria - Parc Des Princes - (18/06) - 17h

3ª rodada:

Islândia x Áustria - Stade De France (Saint-Denis) - (22/06) - 14h
Hungria x Portugal - Stade Des Lumiéres - (22/06) - 14h

Produzido pelos colunistas:

Rodrigo Ferreira || @RodriMaher || PORTUGAL

Fellipe Soares || @_FellipeS || ISLÂNDIA
Mariana Sá || @imastargirl || ÁUSTRIA
Sérgio Júnior || @fantastico_scr || HUNGRIA

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.