Header Ads

Hyoran brilha e um apito salva os Flamenguistas novamente


Hyoran comemorando seus 23 anos e um golaço pelo Verdão. (Foto: Cleberson Silva)
Há quase 24 horas após o termino de Flamengo 2x2 Chapecoense, resolvi expressar minha opinião sobre esta partida, hoje em um formato um pouco diferente, mas que todos já esperavam o que aconteceria.

Se de um lado vemos um time nadando em crise e vaias, de outro temos um elenco que merece palmas, um time guerreiro, raçudo e mais que isso, um elenco campeão. Guto Ferreira desde que assumiu o comando do Verdão deu a equipe uma forma de jogo, trouxe de volta o espírito Chapecoense, de um time que nunca desiste, de forte marcação e de muita entrega dentro das quatro linhas.

Nesta quarta-feira (25), o Verdão viajou a Volta Redonda para enfrentar o “poderoso” Flamengo, um time queridinho de tal emissora, de tal confederação, em partida válida pela 3° rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a bola rolando, quem partiu para cima foram os donos da casa, pressionados pela torcida, o Flamengo manteve a maior posse de bola, e logo aos 7° minutos, abriu o placar, Everton recebeu de Jorge e cruzou, Felipe Vizeu bem colocado empurrou para o fundo das redes.

A alegria dos Rubro-Negros durou pouco, aos 10 minutos Lucas Gomes disputou com Juan dentro da área e o árbitro marcou pênalti. O artilheiro Bruno Rangel foi para a cobrança e bateu forte, sem chances para Paulo Victor, empatando a partida. O Verdão só não virou aos 20 minutos por que PV não deixou, Cleber Santana cobrou falta, mas o goleiro bem colocado pulou para salvar o Mengão.

O Flamengo seguia com maior posse de bola, mas quem seguia levando perigo era a Chapecoense, na última chance do primeiro tempo, aos 40 minutos Lucas Gomes escapou bem pela direita e cruzou perigosamente, Léo Duarte bem colocado se antecipou e afastou.

As equipes voltaram para os segundo tempo com as mesmas formações. Em campo pouca inspiração e jogadas de perigo, a forte marcação da Chapecoense anulava os ataques Rubro Negro que teve sua vida complicada aos 22 minutos, Everton acertou a barriga de Gil, e acabou expulso pelo árbitro.

A primeira grande chance da segunda etapa veio só aos 29 minutos, Bruno Rangel recebeu dentro da área e chutou forte, Paulo Victor bem colocado fez grande defesa, no rebote foi à vez de Lucas Gomes chutar e novamente o goleiro Flamenguista fazer um milagre e salvar a virada.

Foi ai que apareceu a estrela de Guto Ferreira, o treinador que destacou no inicio da semana o futebol de Hyoran, quando entra na segunda etapa contra um time cansado, por ser um jogador leve e muito veloz. Era uma noite especial para o meia, que completava 23 anos nesta quarta-feira, que foi chamado pelo treinador para substituir Lucas Gomes.

E foi aos 34 minutos, com um toque mágico, Hyoran cobrou falta no ângulo de Paulo Victor, que nada pode fazer, marcando 2x1 no placar. Após a virada, só restava o Verdão se fechar e garantir três pontos valiosos longe de casa.

Fica tranquilo Cirino, vou dar uma mãozinha ao Mengão. (Foto: Pedro Martins/ Agif/Gazeta Pres)
Nos minutos finais, enquanto a torcida vaiava e pedia raça aos jogadores Flamenguistas, a pressão era total dos donos da casa. No último ataque, Rodrigo Andrade fez falta boba, na cobrança Alan Patrick cobrou e a bola bateu nas costas de Gimenez, o árbitro não pensou duas vezes e marcou pênalti para os donos da casa.

Após muita reclamação, Alan Patrick foi para a cobrança e empatou a partida, garantindo mais um ponto na tabela para os Flamenguistas, assim como foi contra o Sport, na base do apito.

Para a Chapecoense o empate que era considerado um bom resultado, fica com gosto amargo, e revoltante, por uma arbitragem vergonhosa, como é no futebol brasileiro. Fica de alerta as outras equipes que disputam a Série A do Brasileirão, para os Flamenguistas fica a comemoração, de um time sem vontade nenhuma, mas com uma grande força de pessoas que não querem ver o “poderoso” Mengão na Série B.

Na próxima rodada, o Verdão receberá a surpresa da competição, o Santa Cruz no próximo sábado, às 21h na Arena Condá. Fica o convite ao torcedor que vá a Arena, e aplauda esses guerreiros, que vem nos orgulhando, dentro e fora de Chapecó.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.