Header Ads

Sampaio acumula sua segunda derrota na Série B


O Sampaio Corrêa enfrentou a primeira das muitas longas viagens que fará nesta Série B. O time foi a Florianópolis, em Santa Catarina, encarar o Avaí, na Ressacada, sob o comando do técnico interino Arlindo Maracanã, recentemente aposentado dos gramados, após a demissão do sérvio Dejan Petkovic. O “velho” Maraca já havia desempenhado essa função no ano passado na estréia da Série B com triunfo sobre o Vitória e na derrota para o Palmeiras na Copa do Brasil.

Os dois times ainda não convenceram na temporada. O Sampaio não conseguiu a classificação na fase de grupos da Copa do Nordeste e perdeu a final do Maranhense. Já o Avaí fez uma campanha ruim no Catarinense e foi eliminado na Copa do Brasil para o Operário-PR. Precisando convencer, os dois deveriam fazer um duelo para ganhar confiança, superando o revés da primeira rodada.

O Sampaio foi a campo com três volantes e dois atacantes, formação bem diferente da constantemente usada pelo ex-treinador. Arlindo fez algumas trocas na equipe titular e promoveu as estréias de Gedeilson na lateral direita e de Max no comando do ataque. O volante Daniel Amora e o zagueiro Eli Sabiá fizeram sua primeira partida como titulares. Ruan voltou à meta tricolor no lugar de Rafael que não conquistou a confiança do torcedor boliviano. Outro que voltou ao onze tricolor foi o volante Auremir, muito utilizado no início da temporada. A proposta do técnico Maracanã era ter uma maior compactação e diminuir a possibilidade de erros de passe para não dar a bola para o Avaí. O técnico Silas, do clube catarinense, armou um time teoricamente bastante ofensivo, com três meias, sem volantes de origem e três atacantes. A ideia era ter mais posse de bola e controlar as ações ofensivas.

O jogo inicia de forma lenta. Aos 8 minutos, o Avaí se lançou ao ataque e após cruzamento pela esquerda de João Paulo, o zagueiro Eli Sabiá cortou errado contra o próprio gol, mas Ruan fez boa defesa, evitando o gol. Aos 13 minutos, mais uma ação do Avaí. Desta vez, Vinicius Pacheco encontra espaço e liberdade para pensar entre os marcadores e chuta da entrada da área, sem sofrer pressão. A bola passa com certo perigo ao lado do poste direito. Somente aos 18 minutos, o tricolor maranhense teve a sua primeira ação ofensiva efetiva. Cruzamento de Guilherme Santos pela esquerda para a finalização de Edgar, sem susto para o goleiro Renan.

O jogo continua monótono, sem grandes chances de gol. Max recebe bom passe de Pedrinho na entrada da área e prefere a finalização equivocada que desvia no zagueiro adversário a tocar a bola para Edgar que estava livre pela esquerda e com melhor condição para finalizar. Aos 29, cobrança de falta para o Avaí. João Paulo efetua a cobrança, mas a bola passa ao lado direito do gol defendido por Ruan. A partida chega aos seus cinco minutos finais sem chutes diretos ao gol das duas equipes. Mas aos 40 minutos, o zagueiro Gabriel carrega a bola pelo meio de campo e enfia pela direita, em profundidade, para Tauã. Ele faz o cruzamento rasteiro para William, que se adianta à marcação e finaliza para o gol. A bola passa por debaixo do goleiro Ruan para o fundo das redes, abrindo o placar na Ressacada. Era um chute defensável, apesar da velocidade da bola. Falha do arqueiro tricolor.

Nos minutos finais, o meia Vinicius Pacheco sofre uma preocupante lesão e deixa o estádio de ambulância direto para o hospital. Tatá entra em seu lugar. O primeiro tempo termina com apenas uma finalização certa, que ocasionou o gol avaiano.

O jogo teve um início muito morno, com o Sampaio tímido, mas tentando jogar compactado, estudando o Avaí e esperando suas ações. Por sua vez, o Avaí tocava bem a bola, mas sem muita objetividade. A primeira etapa não teve grandes emoções, além do gol. O Sampaio não conseguiu converter a superioridade numérica no meio de campo em posse de bola e sobrecarrega o meia Pedrinho na armação. Poucas vezes se viu algum dos volantes ajudando no setor de criação. Conseqüentemente, a bola não chega ao ataque e nas duas oportunidades que teve não concluiu as jogadas com qualidade. O Avaí por ter três meias de armação deveria criar mais oportunidades, mas não funcionou a tentativa do seu treinador.

No intervalo, o tricolor maranhense fez a sua primeira substituição. Arlindo Maracanã sacou Daniel Amora e promoveu mais uma estréia. Gustavo Marmentini, meia-atacante que estava emprestado pelo Atlético-PR ao Luverdense, entra em seu lugar para tentar municiar com qualidade o ataque maranhense e aproveitar a falta de jogadores com característica forte de marcação no meio de campo do time do Avaí.

O segundo tempo inicia com os dois times mais dispostos a buscarem os gols. E aos 3 minutos, após uma jogada individual, o atacante Tauã finalizou à esquerda do gol sem susto para o goleiro Ruan. Aos 10 minutos, chance clara de gol para o Avaí. Bola enfiada entre os zagueiros para a velocidade de Tatá. O meia avaiano finaliza, mas o arqueiro tricolor sai bem do gol, diminuindo o ângulo de chute, e defende o chute. Logo em seguida, jogada em velocidade de Tauã pelo flanco direito, encontrando a defesa maranhense desguarnecida e finaliza, mas Ruan defende com segurança.

O Sampaio que tinha a proposta de jogar compactado segue dando espaço para as investidas nos contra-ataques pelas laterais do time catarinense. Aos 17 minutos, substituição no tricolor maranhense. Pedrinho sai para a entrada de Pimentinha, na tentativa de explorar as bolas longas com a velocidade do atacante e em suas jogadas individuais criar oportunidades de gol. O Avaí também faz mais uma mudança. Tira o artilheiro do jogo William e coloca em seu lugar o atacante Lucas Coelho.

Aos 23 minutos, Gedeilson perde a bola no setor defensivo do Sampaio para Romarinho que invade a área e finaliza para a defesa de Ruan. No minuto seguinte, os dois treinadores fazem suas últimas alterações. No Sampaio, sai Max e entra o centroavante Carlos Alberto. No Avaí, o meia Rafinha entra na vaga de Romarinho. Como sempre, pelo Sampaio Edgar é quem ainda tenta desequilibrar. Em bela jogada pela esquerda, ele invade a área na diagonal e limpa os defensores, mas na finalização a bola desvia na zaga e sai pela linha de fundo. No minuto após a jogada, Pimentinha carrega a bola pela direita, corta para dentro, clareia o espaço e chuta de fora da área. A bola passa rasteiro ao lado do gol de Renan.

Os dois times continuam sem muita criatividade e trocando passes sem objetividade. Somente aos 45 minutos surge um acontecimento relevante. O Sampaio tem nova chance de gol. Carlos Alberto recebeu bom passe de Pimentinha na entrada da área, fez o pivô e rolou para a esquerda para Edgar sozinho finalizar por cima do gol. Já nos acréscimos, no último minuto, Tatá aproveitou a indecisão de Levi e Eli Sabiá que se atrapalharam numa bola alta na intermediária e ficou com a sobra. Ele vê o goleiro Ruan adiantado e chuta por cobertura, fazendo um belo gol e liquidando o placar. Não havia mais tempo para nada. O Sampaio amarga a sua segunda derrota no Campeonato Brasileiro e o Avaí consegue a sua primeira vitória na competição.

O jogo foi muito fraco, com os dois times apáticos na maior parte do tempo. Os goleiros quase não trabalharam e o Sampaio não finalizou certo uma vez sequer. Foi muito pouco para o que se esperava de duas equipes em busca de afirmação. O Tricolor de São Pantaleão continua esbarrando na deficiência da sua defesa, apesar de não muito exigida e não comprometer tanto nesse jogo, e na ineficiência do seu setor de criação. O Sampaio ainda sente falta de um bom meia armador que dê maior qualidade ao meio de campo. O meia Rubens, contratado junto ao Imperatriz, ainda não fez a sua reestréia, mas tem a desconfiança dos torcedores quanto a sua capacidade para uma competição de grande exigência. A torcida boliviana ainda aguarda reforços sob a promessa de melhoria na equipe para a seqüência do Brasileiro e Copa do Brasil. O experiente volante Léo Gago, contratado na semana passada, ainda não foi regularizado, mas certamente será de grande importância para o time, dando mais segurança ao setor defensivo e ajudando, como em suas passagens por outros clubes, com gols de fora da área e em cobranças de falta.

A sequência desgastante de jogos da Bolívia Querida continua. A próxima partida pelo Brasileiro Série B será contra o Paraná, no Castelão, na próxima terça-feira, dia 24, às 19h.

FICHA TÉCNICA: 
Local: Estádio Aderbal Ramos da Silva (Ressacada), em Florianópolis (SC), 21 de maio de 2016 (Sábado), 16h (de Brasília)
AVAÍ: Renan; Renato, Gabriel, André Santos, João Paulo; Lucas de Sá, Jájá, Vinicius Pacheco; Romarinho, Tauã e William. Técnico: Paulo Silas
SAMPAIO: Ruan; Gedeilson, Eli Sabiá, Rodrigo Arroz e Guilherme Santos; Auremir, Levi, Daniel Amora (Gustavo Marmentini), Pedrinho (Pimentinha); Edgar e Max (Carlos Alberto). Técnico: Arlindo Maracanã
Cartões Amarelos: Tatá (Avaí); Guilherme Santos (Sampaio)

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.