Header Ads

Verdão joga mal e perde em Campinas

Depois de ótima estreia diante do Atlético-PR, o Palmeiras não conseguiu repetir a movimentação e os ótimos passes trocados em Campinas e acabou derrotado contra a Ponte Preta por 2x1. A primeira derrota alertava para a necessidade de ser mais regular nas partidas caso queira manter o ritmo positivo nos resultados.

A derrota em Campinas em si não é nenhum absurdo, já que a Macaca costuma complicar nos jogos disputados no Moisés Lucarelli diante dos paulistas – ano passado venceu Santos e São Paulo e forçou um suado empate diante do Corinthians -, mas a atuação do primeiro tempo chamou atenção negativamente. Depois de dez bons minutos iniciais, o Palmeiras simplesmente se perdeu em campo.

Jesus lutou muito, mas foi mais uma figura com pouca inspiração no jogo de hoje. (Foto: Cesar Greco / Palmeiras)
Com Matheus Salles e Jean perdidos na marcação, a Ponte tinha facilidade na troca de espaços e chegava fácil no campo de ataque. Além disso, ofensivamente o Palmeiras não conseguia trocar passes com a mesma tranquilidade da semana passada. A desatenção ficou evidenciada nas bobeiras de marcação que permitiram que a Macaca fizesse dois gols rapidamente, ambos com Felipe Azevedo.

Mesmo jogando mal, o Verdão ainda conseguiu incomodar a meta do goleiro João Carlos em algumas vezes. Na principal delas Cleiton Xavier ganhou de cabeça e quase marcou, mas muito pouco para quem tinha jogado tão bem na primeira partida.

O segundo tempo prometia fortes emoções. Cuca sacou Matheus Salles e deixou o time com apenas Jean na marcação. Apesar da pressão inicial, o Verdão não conseguiu descontar e logo o jogo ficou bem controlado pelo time campineiro. A bola era sempre do alviverde, que terminou o jogo na casa dos 60% no quesito, mas poucas chances de gol foram criadas dos dois lados.

Já no final, o Palmeiras descontou com Gabriel Jesus em lance mal anulado pelo assistente. Um erro tecnicamente grave (a bola veio do defensor da Ponte Preta), mas que não teve influência no placar. Seria um exagero culpar a arbitragem em uma partida que o Verdão simplesmente não jogou.  Ainda deu tempo de descontar com Moisés, gol agora validado, já nos acréscimos.

Se a empolgação pela goleada era descabida, também não há razão para pânico na derrota de hoje. Um jogo ruim que teve como ponto positivo a visão ofensiva de Cuca, que se arriscou a uma goleada para buscar o resultado. O próximo jogo será um bom desafio: o bom time do Fluminense, em casa. É preciso ganhar, mas principalmente jogar bem novamente.

O DESTAQUE: se foi difícil escolher um pior em campo no jogo anterior, hoje foi quase impossível ver um destaque. O “menos pior” foi Tchê Tchê, que repetiu a boa movimentação pelo meio e ajudou nos poucos momentos bons do time.

BOLA MURCHA: absolutamente perdido e substituído no intervalo, Matheus Salles dificultou muito a vida do Palmeiras no primeiro tempo e não conseguiu dar a segurança defensiva que vinha ajudando nas últimas partidas. Apenas um nome, porém, em uma tarde em que nada funcionou bem.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.