Header Ads

A queda do último invicto

(Foto: Rodrigo Villalba/Photopress/Gazeta Press)
A Chapecoense viajou para Campinas neste sábado (11), para enfrentar no Estádio Moisés Lucarelli a Ponte Preta. Com a responsabilidade de ser o último invicto, o Verdão não conseguiu manter o bom futebol e foi derrotado pela Macaca por 2x1.

Para a partida, Guto Ferreira teve duas novidades, Josimar após ser poupado contra o Fluminense por de sentir a coxa na vitória sobre o Coritiba, e Cleber Santana por cumprir suspensão também contra os Cariocas, voltaram à equipe titular.

Com a bola rolando, a Chapecoense iniciou a partida bem organizada, valorizando a posse de bola e criando boas jogadas de ataque. Enquanto os donos da casa se defendiam bem, mas tinham dificuldades para atacar.

Aos 17 minutos, Guto Ferreira enfrentou problemas, Dener roubou a bola no meio campo, na corrida o lateral sentiu a coxa e caiu no gramado, sem condições de seguir na partida, o jovem Lucas Mineiro entrou na partida.

A alteração mudou completamente o cenário da partida, Dener vinha sendo o melhor jogador do Verdão, com sua saída a Macaca conseguiu criar jogadas de ataque. Aos 32’ após cobrança de escanteio, Roger apareceu livre e cabeceou no canto direito, Danilo pulou e fez uma defesa sensacional, salvando o Verdão. Aos 46’ novamente em cobrança de escanteio, Fabio Ferreira escorou de cabeça, para Wellington Paulista cabecear por cima.

A pressão da Ponte surtiu efeito um minuto depois, aos 47’ Reinaldo escapou e cruzou, Lucas Mineiro falhou e Felipe Azevedo de cabeça finalizou para o fundo das redes, abrindo o placar no Majestoso. O lance gerou muita reclamação por parte dos Catarinenses, Lucas Gomes foi derrubado no ataque, o juiz nada marcou.

A Chapecoense voltou para o segundo tempo com uma alteração, Tiaguinho que chegou esta semana em Chapecó, fez sua estreia no lugar de Lucas Gomes. Precisando ir para o ataque, o Verdão iniciou melhor a segunda etapa, aos 20 minutos Hyoran ajeitou e Silvinho bateu forte de longe, com muito perigo, mas para fora.

Aos 30’ os donos da casa tiveram a oportunidade de ampliar o placar, após cruzamento, Wellington Paulista caiu na área, o juiz mandou seguir e a bola caiu nos pés de Pottker, que dominou e bateu forte, por cima da meta de Danilo.

Como diz o ditado “quem não faz, toma”, foi assim que o Verdão chegou ao empate aos 33 minutos, Silvinho dominou e tocou para Arthur Maia, que chutou forte de fora da área empatando a partida em Campinas.

O resultado pelas circunstancias da partida era ótimo para a Chapecoense, que se defendeu para segurar o placar. Mas novamente em uma falha da defesa, a Ponte voltou a ficar a frente no marcador, aos 44 minutos quando João Vitor chutou forte de longe, Danilo espalmou e no rebote Pottker livre finalizou por baixo das pernas do goleiro, marcando o gol da vitória da Macaca.

Com o resultado, as duas equipes ficam com 10 pontos na tabela, A Ponte com uma vitória a mais, subiu para o 7° lugar. Enquanto o Verdão caiu para a 9° colocação, com duas vitórias e quatro empates.

Na próxima rodada, a Chapecoense recebe na quarta-feira (15), o vice-líder Grêmio, na Arena Condá, às 19h30. No mesmo dia e horário, a Ponte Preta recebe no Moisés Lucarelli o Atlético Paranaense.

Fica a preocupação sobre as constantes contusões musculares, Dener foi o último a sentir a coxa e deve ficar fora por no mínimo três semanas, se juntando a Ananias e Gil. Para completar, Guto Ferreira não tem reserva para substituir o lateral esquerdo, Alan Ruschel que foi contratado, ainda não está liberado para jogar, já Lucas Mineiro teve uma partida desastrosa diante da Ponte Preta, outra opção seria improvisar Claudio Winck, que segue entregue ao departamento médico. 

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.