Header Ads

Ainda respirando

Finalmente, um motivo para o torcedor do Goiás se alegrar e aproveitar o final de semana sem frustrações, afinal de contas, depois de oito jogos com jejum de vitórias, voltamos a vencer e respiramos na tabela da segunda divisão. O adversário foi o Avaí, que vive uma fase complicada assim como a nossa está sendo, e nesse jogo de "seis pontos", a vontade de alguns atletas e a nova cara que Léo Condé deu ao time foi essencial para que saíssemos com os três pontos.

Cassiano marca o gol da vitória do Goiás contra o Avaí. Foto: globoesporte.com
Era notável que o time tinha melhorado e progredido na partida contra o Paraná, mas o resultado não veio. Era esperado que jogando em casa contra o Avaí, o Esmeraldino pudesse então dar esse retorno. Tarefa fácil? Nada disso. Sofremos e só vimos que a vitória estava certa bem no finalzinho do jogo, mesmo tendo uma atuação superior ao Avaí desde o início. Vale destacar a garra de Rossi e Wendel, disparado os melhores jogadores da partida.

Sofrimento no começo nos mostrava que não seria uma tarefa fácil voltar a vencer. Perdíamos muitas chances e quando o juiz anulou um gol legítimo nosso ainda no primeiro tempo, percebeu que tudo estava contra nós, até a sorte. Fato esse foi quando tivemos um pênalti e a chance de Rafhael Lucas se redimir com a torcida esmeraldina, mas ele cobrou extremamente mal e ficou fácil para Renan defender (Renan do Avaí, não do Goiás), que, aliás, fez uma excelente partida e evitou uma goleada nossa.

Eu não vaiei e nem xinguei Rafhael Lucas. Não era o dia dele marcar e a pressão em cima do atacante deve ter pesado, ainda mais na hora de cobrar o pênalti. Mas pela primeira vez ele começou a aparecer mais para o jogo e teve chances reais de gol, mostrando que o time está mesmo em progresso. Não acho que Cléo perderia os gols que ele perdeu, mas com ele no Departamento Médico, não temos opções para substituir.

Rafhael Lucas perdeu pênalti e não teve uma noite agradável. Foto: globoesporte.com
Na verdade, temos o Cassiano, mas que não faz o estilo centroavante, porém, fez o que Rafhael não fez: gol. Aliás, ele era outro jogador bastante contestado pela torcida, assim como Wagner, que por incrível que pareça fez uma coisinha ou outra nesse jogo e deu uma assistência bonita para o gol da vitória. Ao apito final, um sentimento de alívio que fazia tempo que não sentíamos, bateu novamente e a felicidade de poder sair do Serra Dourada com um sorriso no rosto finalmente deixou de ser uma utopia.

Os próximos três jogos do Goiás são jogos "vencíveis". O primeiro deles é contra o Bragantino, que mesmo sendo fora de casa, os paulistas não vivem um momento tão bom. Depois, temos o nosso primeiro clássico nessa Série B e é contra o nosso cliente favorito: Vila Nova. Três pontos dados na nossa mão. Por último, enfrentaremos o Paysandu em casa e devemos vencer pelo fato de ser um confronto direto e uma equipe que também tem sua fase de turbulência.

O momento no Goiás é de reformulação. Com Ximenes indo embora, e graças a Deus, pois eu não sei o que deu em mim de chamar aquele homem de "profissional" algum dia, tivemos uma melhora. É esperar pro pseudo-presidente terminar seu passeio na Europa e fazer algo pra continuar arrumando a casa, e principalmente, para trazer reforços. Ainda precisamos de mais finais de semana com um céu limpo e pássaros cantando na Serrinha.

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.