Header Ads

Cristiano Ronaldo e Dzudzack brilham e Portugal e Hungria se classificam

Cristiano Ronaldo enfim acordou, o português que estava deixando a desejar nos primeiros jogos afinal decidiu mostrar toda a sua intimidade com a bola e levou Portugal para as oitavas de final da Euro 2016. Apesar de não vencer os húngaros, Portugal esteve por três vezes atrás do placar e chegou por três vezes a igualdade graças ao seu capitão. Cristiano Ronaldo foi responsável por uma assistência e dois gols em uma atuação de gala do craque português.

Portugal precisou de muito jogo de cintura e mais do que nunca precisava de CR7 para seguir na Euro, as jovens promessas nas quais o treinador Fernando Santos apostou nos dois primeiros jogos (André Gomes e João Mário) estavam afobados e precipitados. Isto ficou mais latente quando a Hungria abriu o marcador, a experiência dos mais velhos, Ronaldo, Nani, Pepe, Ricardo Carvalho precisava prevalecer. O primeiro tempo foi sofrível para os portugueses, mesmo com mais posse de bola, não conseguia criar perigo, até que num toque de categoria Ronaldo deixou Nani na cara do gol, era o que os portugueses queriam, o empate, no fim da primeira etapa

Na etapa complementar, entraram Renato Sanches e Quaresma, a dinâmica do jogo mudou, Portugal era mais objetivo, só que mais uma vez uma ducha de água fria, mais um gol húngaro. Só que neste jogo CR estava inspirado e conseguiu o empate com um golaço de letra. Se tornando o único jogador a marcar em quatro Euros diferentes. Mais uma vez um balde de água fria, a Hungria fez outro, mas CR contava com o apoio de Quaresma, o cigano colocou a bola na cabeça de Cristiano que deu números finais ao jogo: 3 a 3.

Agora Portugal será adversário da Croácia nas oitavas de final, e o que queremos é vencer. Jogar bem, se joga. Ter a bola, se tem. Falta concretizar em gol.


Surpreendentemente, a Hungria foi a primeira colocada no Grupo F. Grupo com Portugal, Islândia e Áustria. No jogo de hoje, a Hungria demonstrou que vai chegar junto e o que quer nessa Eurocopa, ser a seleção surpresa.

Logo cedo à equipe húngara abriu seu marcador, forçando Portugal ir ao ataque, o que deu certo, o 3-3 no placar final não foi em vão, os times se equilibraram, mas, a Hungria demonstrou que queria vencer a partida, mesmo morta em alguns momentos do jogo.

O jogo húngaro se resumiu em, atacar, ser atacado e ver no que dar, assim saiu os três gols adversários, contra-ataques. Mas sem deixar a desejar, os húngaros foram pra cima dos portugueses, chegando até a colocar bola na trave, o que poderia resultar em um placar favorável à Hungria.

A liderança veio para aliviar torcida e a federação, que mesmo antes de começar a Eurocopa, não pensava em nada a não ser um terceiro ou quarto lugar. Agora o foco será na Bélgica, seleção que conta com craques recém-descobertos no mundo da bola.



Rodrigo Ferreira e Sérgio Júnior.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.