Header Ads

Elias marca na estréia e evita derrota do Sampaio em casa

No Estádio Castelão, o Sampaio Corrêa recebeu o Grêmio Esportivo Brasil, de Pelotas-RS, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os dois times vivem momentos diferentes. A Bolívia Querida luta na zona de rebaixamento, enquanto o time Xavante briga por uma vaga no G4. O resultado do jogo ficou longe de ser o esperado pelos torcedores bolivianos, empate em 1 x 1.  Momentaneamente, o time tricolor saiu da lanterna, ainda dependendo do resultado do jogo do Tupi contra o Criciúma.

(Foto: Elias Auê)
Para essa partida Wagner Lopes não contava com Edgar, Pimentinha e Daniel Barros, este último passará cerca de um mês fora. Mas o técnico também contou com a estreia do atacante Elias, vindo do Figueirense. Outra duas novidades foram a entrada dos atacantes Jean Carlos e William Paulista no onze inicial.

O time da casa iniciou bem o jogo, com uma proposta bastante ofensiva, utilizando-se bastante os dois flancos. Logo aos 13 minutos, o Sampaio assustou com um levantamento na área, a defesa adversária afastou e Léo Gago pegou o rebote seguido por um chute que saiu pela linha de fundo ao lado da trave. Como era esperado, até os primeiros quinze minutos o Brasil esperava o Sampaio agir e o time maranhense empurrava o adversário todo para o seu campo de defesa. A participação dos três atacantes sampaínos dava uma boa movimentação ao time, mas sem a efetividade do meia Cleitinho. O Brasil tentou levar perigo em cobrança de falta de longa distância por Brock, mas o chute saiu fraco e centralizado para a fácil defesa de Rodrigo Ramos.

Na primeira metade do primeiro tempo o jogador mais incisivo era Jean Carlos, mostrando talento e vontade em algumas jogadas individuais. Em uma delas, ele fez tabela com Elias e saiu cara a cara com Eduardo Martini. O atacante tinha como opção o passe para William Paulista que chegava pela entrada da pequena área, mas preferiu a finalização errada em cima do goleiro. Um minuto depois, o time gaúcho respondeu. Bola enfiada por Diogo Oliveira para Nathan. Ele chutou e o arqueiro tricolor tirou a bola para escanteio. Na cobrança, a bola foi cruzada na área e o jogador do time Xavante cabeceou no travessão. Na sobra houve um bate-rebate dentro da pequena área, com direito a defesa de Rodrigo Ramos com o pé. A defesa boliviana rebateu para fora da área e Galiardo chutou forte. A bola passou tirando tinta da trave. O Brasil parecia não parecia se acomodar e tentou novamente tirar o zero do placar com Nem, chutando colocado da entrada da área, tentando acertar o ângulo esquerdo, mas o goleiro Rodrigo Ramos fez uma linda ponte, impedindo o gol. O Sampaio teve uma chance na bola parada em uma falta sofrida por Jean Carlos, que acabou torcendo o tornozelo e foi substituído por Waldir, alteração muito contestada pela torcida. Léo Gago cobrou a falta chutando forte, mas no centro do gol. Eduardo Martini espalmou para escanteio.

O primeiro tempo teve um ritmo acelerado, com as duas equipes tentando bastante o caminho do gol. A segunda etapa começou muito lenta, com toques de bola sem objetividade e profundidade. Somente aos 11 minutos o Sampaio saiu para o jogo. O lateral Eder limpou os marcadores na entrada da área e chutou colocado de esquerda, mas o goleiro do time gaúcho defendeu com segurança. Minutos depois, foi a vez do Brasil levar perigo. Diogo Oliveira chutou fraco da entrada da área e a bola sobrou no pé de Nathan. O centroavante brigou com o zagueiro tricolor e chutou no canto direito, mas Rodrigo Ramos defendeu com a ponta dos dedos.

O Sampaio precisava muito de um resultado positivo, mas foi o time gaúcho quem saiu na frente do placar. Aos 16 minutos, em cobrança de escanteio, Rodrigo Ramos saiu mal do gol e Nathan recebeu livre dentro da área para chutar e fazer o gol para o time Xavante. A Bolívia Querida não se intimidou diante do placar adverso e logo empatou a partida. Elias recebeu bom cruzamento de Waldir e subiu para cabecear encobrindo o goleiro, marcando logo um gol em seu primeiro jogo com a camisa do Tricolor de Aço. O atacante estava há muito tempo apenas treinando, jogou pouco neste ano e sentiu o peso do gramado. Alguns minutos após o gol, ele foi substituído por Henrique. Aos 33’, o seu substituto fez uma linda jogada, driblando vários marcadores, e tocou para Rafael Estevam que chutou forte, mas Eduardo Martini fez uma ótima defesa. Dois minutos depois, Cleitinho deu lugar a Rubens. O meia saiu sem cumprir com eficiência o seu papel no time, muito abaixo do esperado pelo técnico. Próximo aos cinco minutos finais, Henrique recebeu a bola na entrada da área e chutou colocado de canhota, sua jogada mais peculiar, mas a bola explodiu no travessão. E ainda teve tempo para o Brasil tentar desempatar com Marcos Paraná, que arriscou de fora da área com um chute forte, mas a bola apenas passou perto da trave. O árbitro apitou o final do jogo e o empate foi um péssimo resultado para o Tricolor. A torcida boliviana saiu desanimada com o resultado e cobrou dos jogadores, com todo direito.

O Sampaio, precisando de um gol para ter um alívio, avançava muito as suas linhas defensivas e ficava muito exposto em alguns momentos. O Brasil encontrava alguma facilidade para armar contra-ataques. Foi um jogo razoável, com direito a bolas na trave e belas defesas. Mais uma vez o goleiro Rodrigo Ramos foi o destaque da Bolívia Querida, apesar de sua falha no gol. Após a boa estreia de Elias, que mostrou vontade e aplicação, já se projeta uma boa dupla de ataque com Edgar.

Na rodada seguinte, o Sampaio Corrêa terá uma difícil tarefa. Vai a Lucas do Rio Verde-MT enfrentar o Luverdense, no Estádio Passo das Emas, na próxima terça-feira, dia 21. “Vumbora”, Sampaio!

FICHA DO JOGO:
SAMPAIO CORRÊA 1 x 1 BRASIL-RS

Local: Estádio Governador João Castelo (Castelão), São Luís (MA)
Data/Hora: 17 de Junho de 2016, às 21h
Gols: Nathan, aos 16’ 2ºT (Brasil-RS) e Elias, aos 19’ 2ºT
Cartões amarelos: Léo Gago (Sampaio); Galiardo, Brock e Marcos Paraná (Brasil-RS)

SAMPAIO: Rodrigo Ramos; Eder Sciola, Wágner Fogolari, Luiz Otávio e Rafael Estevam; Diego Lorenzi, Léo Gago e Cleitinho (Rubens); Jean Carlos (Waldir), William Paulista e Elias (Henrique). Técnico: Wagner Lopes

BRASIL-RS: Eduardo Martini; Weldinho, Leandro Camilo, Teco e Brock; Galiardo (Leandro Leite), Marcão, Nem (Washington) e Diogo Oliveira (Clebson); Nathan e Marcos Paraná. Técnico: Rogério Zimmermann

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.