Header Ads

Peru não segura vantagem e Equador consegue o empate

Na segunda rodada da Copa América Centenário, o Peru saiu na frente com dois gols logo no começo, mas a Seleção Equatoriana conseguiu o empate no University of Phoenix Stadium em um jogo que teve emoção até o fim.

O resultado deixou ambos com chances de classificação na rodada final, mas com ligeira vantagem para o Equador que entra em campo sabendo o que precisa fazer contra o já eliminado Haiti. O Peru encara o Brasil sabendo que precisa vencer já que um tropeço dos equatorianos é improvável.

Renato Tapia e o autor do primeiro gol Equatoriano (Foto: Ross D Franklin)
EQUADOR: Reação contra o risco de uma nova eliminação precoce

O jogo da segunda rodada começou bem ruim para o Equador antes mesmo de a bola rolar para o duelo diante do Peru. Com a goleada aplicada pelo Brasil sobre o Haiti, uma derrota no jogo contra os peruanos praticamente eliminaria a La Tri já que uma goleada por mais de sete gols na última rodada parece improvável.

A pressão pelo resultado diante de um Peru mesclado parece ter surtido um efeito negativo. Entrando desligado, o Equador conseguiu se complicar e antes mesmos dos quinze minutos já perdia por 2x0. Pior do que o resultado era o desempenho: pouca criatividade no ataque e muitos riscos para o gol de Dominguez, que voltava ao time hoje, mas não teve grande culpa nos gols sofridos.

Gustavo Quinteros viu seu time em uma situação absolutamente desconfortável – e aqui nem tanto pela situação da tabela ou mesmo pelo placar do jogo, mas principalmente pelo panorama que se desenhava para furar a defesa peruana. Sem a sempre útil altitude de Quito, o Equador se viu obrigado a ser o time a propor o jogo já que era a melhor seleção em campo, fato que não é simples para uma equipe montada para o contra-ataque.

Diante do Brasil, Quinteros pôde manter a sua formação voltada para explorar a velocidade. Atirando-se ao ataque, os brasileiros davam espaços para os contra-ataques equatorianos. No jogo contra o Peru esses espaços sumiram e dificultaram demais a estratégia do treinador. O alento veio na reta final do primeiro tempo: longe de ser melhor em campo, Enner Valencia recebeu passe e marcou um golaço.

O empate saiu dos pés de Bolaños (Foto: Divulgação)
A dificuldade poderia ser mantida na segunda etapa não fosse um gol logo cedo que empatou o jogo em um dos poucos lances que os habilidosos Montero, Bolaños e Enner Valencia conseguiram trocar passes na frente da área peruana até então. O gol que parecia tranquilizar os ânimos, porém, trouxe um cenário absolutamente louco para a partida.

Era-se de se esperar um Equador satisfeito com o empate (com uma vitória por 2x0 diante do fraco Haiti, na última rodada, a vaga já estaria garantida), não foi o que aconteceu. A La Tri foi com tudo em busca da virada e, lógico, deixou espaços no contra-ataque. Um risco absolutamente desnecessário.

A pressão equatoriana foi muito grande e chances de gol foram criadas aos montes. O Peru não deixou por menos e respondeu com pelo menos três ataques perigosos. No fim, a bola do jogo acabou com o time peruano: um chute de Ruidíaz passou muito perto da trave e quase jogou pelo ralo toda reação da La Tri.

Na rodada final, o Equador precisa vencer o Haiti por 2x0 para não ter sustos. Com esse placar, a La Tri consegue garantir a vaga na próxima fase e evita uma nova eliminação precoce na primeira fase.

PERU: Início surpreendente, final desfavorável

A Blanquirroja vinha para o seu jogo mais difícil da Copa América até o momento. Enfrentar o Equador, que é detentor de uma defesa compactada, estando com algumas dificuldades para finalizar, deixava os peruanos aflitos.

Mas diferentemente do que se esperava, o Peru começou o jogo assustadoramente bem e levou menos de quinze minutos para abrir uma vantagem de dois gols. O primeiro foi marcado por Cueva (o meia São-Paulino) e o segundo por Edson Flores, ambos com assistência de Paolo Guerrero.

O ritmo do jogo acabou diminuindo, a Seleção Equatoriana não levava nenhum perigo Real, o que fazia os peruanos já comemorarem a classificação antecipada. Entretanto, o jogo ainda não havia chegado ao fim e antes do primeiro tempo acabar, Enner Valencia literalmente “carregou” no peito e diminuiu a vantagem alvirrubra.

Comemoração do primeiro gol da Blanquirroja, marcado por Cueva. (Foto: AFP)
O Equador mudou sua postura e passou a explorar sua velocidade, tanto é que antes mesmo dos cinco minutos do segundo tempo, Miller Bolanos só rolou para dentro, para dar aos equatorianos o tão sonhado empate. Porém, a La Tri demonstrou não estar contente com o placar e saiu em busca da virada. Essa saída para o jogo, facilitava as coisas para o Peru que viu um adversário mais aberto e propenso a aceitar o contra-ataque.

No finalzinho do jogo, numa jogada entre Guerrero, Ruidíaz e Cueva, um chute de primeira poderia ter dado a classificação à blanca y roja, mas o atacante do Coxa Branca viu o seu chute passar raspando a trave, acabando com as chances de se classificar nesta rodada.

O próximo jogo do Peru é contra a “embalada” Seleção Brasileira, que apesar de ter vencido por goleada, ainda está longe de conseguir esconder seus erros. E é justamente em cima destes erros que a Seleção Peruana vai tentar jogar. Um empate pode até classificá-la, caso o resultado entre Haiti x Equador não seja a vitória equatoriana.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.