Header Ads

Mais uma decepção

Na noite de ontem o Avaí foi à Belém enfrentar o Paysandu pela nona rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Mais uma vez decepcionou, voltou sem os três pontos e amargou mais uma derrota longe de casa. Com o Jejum, o time azurra se afasta cada vez mais do G4, colocando a frustração no coração avaiano.

O jogo inteiro foi dominado pelo papão que, logo aos 20' minutos, quase abriu o placar com Jhonnatan numa cabeçada que fez o goleirão avaiano realizar um milagre. Renan, que é o único jogador desse elenco capaz de vestir o manto avaiano, estava determinado em não deixar o papão da Curuzu festejar seu aniversário de 102 anos.

Apesar da determinação do paredão avaiano, logo após, num cruzamento de Lucas, Jhonnatan em impedimento abriu o placar aos 22' do primeiro tempo. O time que há dezessete dias não vencia, triunfou na noite de ontem e comemorou com vitória o seu aniversário.

A segunda etapa não foi diferente. Com um time apático, sem vontade, com erros bisonhos e a falta de determinação e qualidade, o Avaí não levou perigo algum ao goleiro do Paysandu. Sem nenhum meia de referência, o time azurra não criou nada, fazendo com que o Paysandu se tranquilizasse em campo e não sofresse pressão, tendo apenas que administrar o resultado.

Foto: Ricardo Lima / Estadão
Relembrando

O técnico do papão é um velho conhecido do torcedor avaiano. Minha infância na Ressacada foi marcada pelas defesas de Gilmar Dal Pozzo que ontem estreou pelo Paysandu. Como técnico, muito retranqueiro. Como pessoa, na noite de ontem perdeu seu caráter, ao atrapalhar uma jogada avaiana. Apesar da situação "compreensível" teve sorte ao enfrentar um time tão enguiçado como está o Avaí.

"Silascou"

Não é de hoje que venho comentando as atuações pífias do técnico Silas. Sinceramente eu ainda não entendi qual é a sua pretensão. Qual técnico em sua sã consciência coloca quatro atacantes sem nenhum meio de campo para criar jogadas? Os volantes sem apoio não conseguiam passar da metade do campo. Com as laterais parecendo "avenidas pavimentadas e com sinalização", como disse um amigo, não conseguiam fazer um cruzamento. Tivemos que apostar na qualidade individual, coisa inexistente nesse elenco.

Renan, o salvador da Pátria

Expresso aqui a minha solidariedade ao goleiraço Renan, único capaz de vestir o manto azul e branco nessa temporada. Um jogador de qualidade e hombridade está tendo que aguentar a fase que estamos passando com esse elenco. Se não fosse ele, a Série C viria com trinta rodadas de antecedência. O meu desejo é que ele nunca vá embora, justamente por ser um dos melhores goleiros da história do Avaí, porém tenho pena dele por estar no meio dessa canalhada que mancha a história do Leão da Ilha.

Constatação

É o pior elenco das últimas décadas. Seu Amadeu Horn, que Deus o tenha, deve se revirar no túmulo vendo esses jogadores fajutos desonrando a camisa do nosso Avaí. Espero sinceramente que essa diretoria acorde pra realidade, porque se não acordar, que vão todos tomar no CURUZU.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.