Header Ads

Palmeiras joga bem e vence Santa Cruz

Em mais um ótimo jogo atuando dentro do Allianz Parque, o Palmeiras bateu o Santa Cruz por 3x1 com direito a um primeiro tempo que beirou a perfeição e uma etapa final que evidenciou o que todos já sabem: o Verdão tem um ataque sensacional, mas deixa a defesa exposta em diversos momentos. Não que isso preocupe já que o próprio Cuca repete com certa insistência que prefere ganhar jogos por 4x3 a ganhar por 1x0.

Cuca, aliás, escalou bem a equipe para o duelo deste sábado. Prevendo um adversário bastante recuado, abriu mão de um volante de marcação (Matheus Salles ou Thiago Santos) e colocou Moisés como primeiro volante. Deu muito certo e, além de dominar completamente o primeiro tempo, teve em Moisés um dos melhores jogadores do time.

Com exceção feita a dois contra-ataques, Fernando Prass foi mais um espectador de um Palmeiras envolvente, com uma ótima saída de bola e muita movimentação de Tchê Tchê, o meio-campo palmeirense conseguia quebrar a marcação e encontrar espaços para o sempre veloz trio de ataque. As chances começaram a aparecer e, consequentemente, Tiago Cardoso também.

Depois de algumas boas defesas, ele não conseguiu segurar o toque de Cleiton Xavier após cobrança de lateral feita por Moisés (a mesma jogada que Cuca forçava no Atlético-MG e que, com camisa verde, já havia funcionado no Couto Pereira) e a bola sobrou para Dudu estufar a rede e abrir o placar. Sem acomodação, o segundo gol saiu ainda no primeiro tempo. Em ótima jogada ensaiada de falta, Jean ampliou.

Dudu marcou dois gols contra o Santa Cruz e ajudou a construir a vitória. (Foto: Globo Esporte)
A segunda etapa foi completamente diferente e o Santa Cruz veio com tudo para buscar o empate. O gol sofrido logo aos cinco minutos, ainda que Grafite estivesse ligeiramente impedido, colocou a ótima atuação em risco – especialmente porque no minuto seguinte Keno quase empatou em bobeada na saída de bola alviverde que funcionou tão bem no primeiro tempo.

Passado o susto, o Palmeiras reagiu e voltou a equilibrar o jogo. O terceiro gol não demorou a sair: boa jogada de Gabriel Jesus, que havia levado bronca de Cuca minutos antes, e Dudu fechou para marcar o terceiro gol e colocar uma maior justiça ao que era o jogo até ali.

Não que tenha parado por aí. Se não saíram mais gols, não faltaram oportunidades. O Palmeiras fez duas jogadas de efeito, com passe de letra e duplo chapéu de Jesus, mas não balançou a rede. O Santa Cruz respondeu e obrigou Prass e duas grandes defesas, com direito a uma delas tocando a trave caprichosamente e matando qualquer esperança de reação pernambucana.

PONTO TÁTICO: A escalação em função do adversário tem sido o principal mérito de Cuca nesse começo de campeonato. Vendo que teria pouco a marcar no começo, deixou Moisés como homem mais recuado em seu 4-1-4-1 tradicional sem a bola. Com isso, o Palmeiras ganhou em qualidade no passe e permitiu amplo domínio na primeira etapa.

O DESTAQUE: Impossível não atribuir o grande jogo do Palmeiras à atuação de Moisés. Ele foi dono da área central do gramado e impediu inúmeras vezes que o contra-ataque pernambucano levasse perigo para Fernando Prass. Ainda bateu a lateral que abriu o caminho da vitória.

BOLA MURCHA: Voltando ao time após cumprir suspensão, Vitor Hugo não teve a atuação segura de sempre. Foi ele quem deixou Grafite livre no único gol sofrido em casa pelo Palmeiras até aqui, além de errar alguns cortes. Parecia um pouco desligado.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.