Header Ads

A coroação de um Reizinho

     Fala, Turma da Fuzarca!

   Um lance muda tudo no futebol, pode levar do céu ao inferno ou o inverso em questão de segundos. Qualquer torcedor guarda na memória uma jogada marcante, seja ela frustrante ou alegre. Em poucos anos de vida, já coleciono uma variação indescritível de sentimentos.

   A dor de uma queda; uma euforia pelo título; uma decepção por um gol perdido e a maior sensação de prazer: olhar para arquibancada de São Januário e ter a certeza que no Vasco é o meu lugar. No Rio de Janeiro, aquele que tem uma Cruz de Malta no lugar de um simples coração é o único que pode contar para todos a felicidade de nunca ter vergonha da sua história.

   Desde o início, lutando por negros e operários, por um futebol mais heterogênico. Do branco ao preto, do pobre ao rico. Sem diferenciar classes. Tentaram nos impedir, imposições foram feitas. Ou retirava negros e operários ou não jogávamos. Ou construía estádio ou estávamos fora. Hoje, a hipocrisia reina. O time da Zona Sul se auto declama “Time do Povo” e orgulha-se de não ter estádio.

    Do Remo ao Expresso, do Expresso a Geração 90, passando por diversos ídolos. Barbosa, Moíses, Bellini, Ademir, Felipe, Edmundo, Dinamite, Romário, Juninho, entre outros tantos que compõe a nossa linda história.

    Um gol, há 18 anos, transformava um reserva em ídolo, um Antônio em Reizinho. Juninho batia a falta como um pai cuidava dos filhos. A bola empurrada pela força de uma torcida que construiu o mais belo estádio entrava com perfeição no Monumental. O gol que levou o Vasco a final virou música, tornou-se Monumento Histórico.


    Hoje, o Vasco padece de um mal há quase uma década. A força da nossa torcida é fundamental para não deixar o Gigante entrar num cenário subalterno do futebol mundial. Quem diz que o Club de Regatas Vasco da Gama é pequeno não entende a importância de um legado histórico que o clube deixa até a data atual.

      “Não digo que sou um Vascaíno doente. Doente é aquele que não é Vascaíno” – Carlos Drummond de Andrade



Abçs, Galera,

Matheus Freitas   @_MFreitas9_

Linha de Fundo   @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.