Header Ads

A eliminação e o sentimento de "tanto faz"

Keno foi o melhor jogador do Santinha em campo (Fonte: Globoesporte)
Na noite desta quarta-feira (20), o Santinha entrou em campo pela Copa do Brasil diante do Vasco. A dúvida entre continuar na competição nacional e disputar a inédita Sul-Americana havia sido sanada, já que na última semana Milton Mendes garantiu que o certame nacional era mais rentável e mais viável logisticamente. Para confirmar isso, a diretoria disponibilizou uma certa quantidade de ingressos pelo preço de R$ 5,00 para a arquibancada superior, a fim de lotar o arruda. Porém, todo o discurso foi desmentido em campo.

Em todos os duelos do tricolor, eu e meu pai pegamos a nossa bandeira, vestimos o manto coral e nos preparamos para o show de cornetadas e pitacos. Mas o dia estava estranho: nos limitamos a ligar a televisão e de primeira já vimos uma escalação com Derley, Leandrinho e Wellington improvisado de volante (qual era a chance disso acabar bem?). Além do mais, o Arruda parecia estar adormecido. Graças a vaga assegurada na competição internacional, um sentimento de "tanto faz" tomou conta do estádio e chegou ao ponto de deixar a torcida quieta.

Com a bola rolando, observamos um primeiro tempo muito ruim, com total desentrosamento do time que sequer chegou a ameaçar de forma veemente o gol defendido por Martin Silva. Sem falar no festival de passes errados e no total isolamento de Bruno Morais, que foi muito mais útil na bola aérea defensiva do que propriamente no ataque. A situação estava tão ruim que meu pai pressagiou: "Matheus, ou a cobrinha muda de postura, ou a gente vai ser eliminado fácil, fácil". Foi dito e feito.

Na etapa complementar, o time voltou apático e, para piorar, Néris foi substituído com dores na coxa. Com isso, a zaga passou a ser formada por Danny Morais e Wellington (só de lembrar já tenho calafrios). A partir daí, as falhas de posicionamento e as recomposições lentas fizeram com que a equipe carioca aproveitasse os espaços e entrasse facilmente no nosso sistema defensivo. Gostaria de fazer observações sobre algumas atuações individuais:

- Quem foi o responsável por dizer que Wellington é jogador de futebol? Independente de quem tenha sido, errou feio. Sugiro que na próxima partida disponibilizem uma 38 para este jovem, talvez assim ele consiga matar uma bola.

- Derley precisa ser informado que o Santa Cruz não é um time de futebol americano, mas sim de campo. Portanto, Field Goals não servem de nada nesse esporte. Além disso, o dito cujo mostrou total despreparo para decisões, já que estava brigando até com a própria sombra e consequentemente foi expulso. Em resumo, um jogo para esquecer.

- Acabou a paciência com Leandrinho. O cara chegou no Santinha em fevereiro com o status de "armador habilidoso" que nos faltava, mas em quase CINCO MESES ainda não fez nenhuma partida consistente com a nossa tradicional camisa. Porque ainda estão insistindo com ele? Simplesmente não dá para entender.

- Keno voltou ao seu auge técnico e físico. Zé pequeno está voando, buscou jogo, marcou o dele e participou ativamente de todas as tramas ofensivas do tricolor. Mostrou disposição e vontade, pena que foi um grito no deserto, se é que me entendem.

O juiz apitou e decretou nossa eliminação da Copa do Brasil, ao mesmo tempo em que carimbou o passaporte tricolor para a primeira participação em uma competição internacional. E novamente o clima de "tanto faz" predominou: eu e meu pai sentimos o desgosto de uma derrota, é claro, mas ao mesmo tempo tivemos o consolo da vaga na Sul-Americana. "Não falei, rapaz, conheço todos os "pantinhos" do Santa! Esse jogo não estava pra ganhar. Mas agora pegamos o Sport na Sul-Americana e temos grandes chances de passar de fase", expôs meu pai, desligando o radinho de pilha e me enchendo de esperanças em relação ao próximo certame.

Que venha o time do satã. Independentemente da estratégia que será adotada por Milton Mendes no primeiro clássico das multidões em uma competição internacional, já sabemos o que não devemos fazer: repetir a postura, os erros e, principalmente, a escalação da partida contra o Vasco.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.